Europa,  França,  Organizando sua Viagem,  Paris

Por que não Paris – França?

Ah, Paris! Desde que me conheço por gente que sonhava em conhecer Paris, França. Nunca sonhei com Disney, EUA, como a maioria das crianças e adolescentes. Sempre foi Paris.

Somente com 30 anos de idade realizei esse sonho. Demorou, mas foi espetacular! Chorei da compra das passagens até o dia que deixamos a cidade.

Chorei loucamente antes desta foto também. Notem a cara vermelha!

Foi simplesmente incrível realizar este sonho. Mesmo que, hoje em dia, a cidade não esteja entre meus destinos favoritos, ela sempre terá um espaço especial nas minhas memórias!

Quantos dias ficar em Paris, França?

Se você não for fazer nenhum bate e volta, 4 dias inteiros dá para conhecer os principais pontos turísticos e algo a mais.

Contudo, caso faça bate e volta acrescente um dia inteiro para cada um deles.

Quando ir à Paris?

Verão

Vai do meio de junho a meio de setembro, altíssima temporada!

Eu detesto viajar na alta temporada, seja para onde for. E pelo que colegas me passaram, Paris, França, fica insuportavelmente cheia durante o verão.

Além disso, os preços são mais elevados e não podemos esquecer do insuportável calor, sendo que a cidade não está preparada para ele. Ar condicionado é item raro!

Inverno

Vai do meio de dezembro ao meio de março.

Viajar no inverno também tem seus contras, como dias reduzidos e atrações fechadas (ou parcialmente fechadas), mas a temperatura é tão lindamente gostosa, os preços muito mais baixos e as atrações mais vazias!

Além disso, Paris, França, fica toda decorada e iluminada para o natal do fim de novembro até começo de janeiro, compensando os dias mais curtos.

Primavera e Outono

Como resultado, temos os meses de março até maio e de outubro a novembro como os mais gostosos. As temperaturas costumam ser amenas, a maioria das atrações estará funcionando normalmente e os preços estarão mais convidativos.

A programação cultural é rica e a floração na primavera fazem parte do roteiro de março a maio. Já nos meses de outubro e novembro, os festivais gastronômicos e de vinhos, além das cores maravilhosas do outono agradam os turistas! 

No entanto, vale ressaltar que a probabilidade de chuva é quase a mesma ao longo do ano em Paris, França. Então guarda-chuva, capa de chuva ou casaco impermeável devem fazer parte da sua bagagem!

Nossa escolha!

Nós fomos na segunda semana de novembro. Pegamos um dia de chuva, dois dias nublados, dois dias de sol e um dia que teve tudo isso!! As atrações funcionavam normalmente, mas muitas das estátuas estavam cobertas com tecidos em Versalhes, por exemplo, e a maioria das fontes estava desligada.

Outono, seu lindo, nos jardins de Versailles

Mesmo nessa época do ano achei a cidade cara (e olha que o Euro estava muito mais baixo que hoje). Foi difícil encontrar uma hospedagem que coubesse no bolso.

Não achei nada muito cheio, com exceção da Monalisa! Não compramos nenhum ingresso com antecedência. Pelo contrário, compramos tudo na hora e a maior fila que pegamos foi da Torre Eiffel, na qual esperamos por cerca de 30 min para comprar os ingressos e entrar no elevador.

Onde se hospedar em Paris, França?

Primeiramente, Paris é dividida em 20 arrondissements, distribuídos em uma espiral a partir do centro. Já os principais pontos turísticos estão localizados nos arrondissements 1 a 9.

Se você reservar com antecedência ou tiver condições de bancar as hospedagens situadas nessa região, sem dúvida alguma é a melhor. Você conseguirá fazer quase tudo que a cidade oferece usando pouco ou quase nada do transporte público.

No nosso caso, não deu! Para variar, decidimos realiza-la cerca de 1 mês antes de embarcarmos, então as hospedagens disponíveis eram muito caras ou muito ruins na região.

Quando eu já havia entrado em pânico e estava desistindo, a entidade dos viajantes f… zicados surgiu com uma opção que nos agradou muito. Era o Hotel Coypel, situado no arrondissement 13 ao lado da estação de metrô Place d’Italie (cerca de 200 metros).

Place D’Italie

Estávamos a apenas 10 minutos de metrô da torre Eiffel, sem baldeação, e a apenas uma baldeação da linha de trem que nos levava direto ao aeroporto. A localização era perfeita e cabia lindamente no nosso bolso!

Surpreendentemente, a região contava com opções de mercado, restaurantes, boulangeries e lojas, tudo ali no entorno da Place D’Italie. Após nossa estadia, o hotel foi reformado, mas ele tinha um ar bem clássico quando fomos.

Dado esse exemplo, caso você também não encontre hospedagens com preços acessíveis na região turística, considere se afastar do centro, entretanto sempre busque opções próximas a alguma linha de metrô. Contudo, mantenha-se sempre na região interna ao Boulevard périphérique de Paris, um anel viário que circunda toda a cidade (como o rodoanel de Sampa).

Como se locomover por Paris e arredores?

Paris possui uma rede ferroviária bastante ampla e eficiente. Ao mesmo tempo um trânsito caótico. Desse modo, use e abuse do transporte ferroviário e evite os ônibus e táxis para não perder tempo e também dinheiro, no segundo caso.

Há 3 tipos de passes de transporte público que turistas podem utilizar: o Paris Visite, o carnê com 10 tickets e o cartão Navigo Découverte.

Paris Visite

Esse passe de uso individual está à venda nas máquinas localizadas nas estações de metrô e aeroportos. É válido para metro, trens RER, tramway (bondes), funicular de Montmartre e trens Transilien.

Há opções para 1, 2, 3 ou 5 dias consecutivos, de uso ilimitado dentro de cada prazo. Você pode escolher o bilhete para uso somente nas zonas 1 a 3, neste caso não inclui os aeroportos, Versailes e Eurodisney, dentre outros, ou para as zonas 1 a 5, incluindo todos esses pontos.

Você deve preencher o passe com seu nome, sobrenome, o dia de início do uso e o último dia de validade

Para tarifas atualizadas, consulte o site oficial.

Carnê com 10 tickets

O carnê com 10 tickets de metro sai mais barato que comprá-los individualmente. Você consegue utiliza-los em toda a cidade de Paris, mas deverá comprar tickets separados para os aeroportos, Versailles, Eurodisney, dentre outros.

Para informações atualizadas de valores, visite o site oficial.

Cartão Navigo Découverte

É um cartão de passe mensal ou semanal ilimitado. O mensal a validade inicia no primeiro dia do mês e o semanal inicia na segunda feira. Ou seja, para nós turistas, ele valerá a pena somente se você chegar em Paris no início da semana.

Com ele você poderá utilizar ilimitadamente o metrô, trem RER, ônibus, tramway, Orlybus e o funicular de Montmartre, estando incluídas as zonas 1 a 5.

O cartão pode ser comprado nos guichês nas estações de metrô, ao custo de 5 euros (maio de 2020). Em seguida faça a recarga mensal ou semanal. Você deve levar uma foto 2,5×3 e escrever seu nome e sobrenome.

Para valores atualizados, consulte o site oficial.

Nossa escolha

Escolhemos o Navigo Découverte por dois motivos principais:

  • Chegamos em Paris na segunda e fomos embora no domingo, então precisaríamos do passe por 7 dias;
  • Iríamos utilizar o trem RER aeroporto-centro-aeroporto e faríamos um bate e volta para Versailles.

Logo, ao somar os custos, este passe ficava muito mais barato que as outras duas opções acima citadas.

Usamos e abusamos do Navigo!

Portanto, faça as contas e não esqueça que a validade inicia na segunda e termina no domingo, seja qual for o dia que você começou a utiliza-lo.

Como ir dos Aeroportos para o centro de Paris, França?

Charles de Gaulle (CDG)

– Trem RER B

O trem RER B para nas seguintes estações em Paris: Gare du Nord, Châtelet – Les Halles, Saint Michel – Notre Dame, Luxembourg, Port-Royal, Denfert – Rochereau e Cité Universitaire. Verifique em qual estação deve fazer baldeação para seguir até sua hospedagem.

A viagem leva entre 25-35 minutos, dependendo da estação que descer, além da baldeação.

Para chegar ao local de embarque no aeroporto haverá muitas placas indicativas do caminho, não precisa se preocupar!

Nós utilizamos essa opção. Foi super fácil, rápida e econômica, embora tenhamos sofrido para carregar as malas escada acima e abaixo!

– Ônibus Roissybus

Opção de ônibus direto com ponto final ao lado da Opéra Garnier. Próximo passam as linhas 3, 7 e 8 do metrô.

A viagem dura cerca de 1h15 mais o tempo de metro até sua hospedagem.

– Le Bus Direct

São duas linhas que ligam o aeroporto CDG a Paris:

  • Linha 2 – paradas na Porte Maillot/Palais des Crongrès, Étoile/Champs Élysées e Tour Eiffel/ Suffren;
  • Linha 4 – paradas na Gare de Lyon e Gare Montparnasse

A viagem dura entre 40 a 80 minutos, dependendo de qual parada descerá, mais o tempo de metro até sua hospedagem.

Não é neve, é muita chuva!
– Taxi

As tarifas são fixas, variando entre 50 e 55 euros dependendo da região de Paris que irá desembarcar. A viagem dura cerca de 40 minutos.

Orly

– Trem RER B

Em contraste com o aeroporto CDG, não há uma estação de trem dentro do aeroporto Orly. Dessa forma, você terá que pegar o Orlyval, o qual liga os dois terminais do aeroporto à estação RER B na cidade de Antony. Este trajeto leva cerca de 8 minutos.

De Antony, as paradas em Paris são Cité Universitaire, Denfert – Rochereau, Port-Royal, Luxembourg, Saint Michel-Notre Dame, Châtelet – Les Halles, Gare du Nord, levando entre 15 e 30 minutos, dependendo de qual estação descer, mais o tempo até o sua hospedagem.

– Orlybus

Translado direto do aeroporto à Praça Denfert, próximo da estação Denfert-Rochereau onde passam as linhas 4 e 6 do metro.

A viagem dura cerca de 30 minutos, mais o tempo até sua hospedagem.

– Le Bus Direct

A linha 1 para na Gare Montparnasse, Trocadéro e na Étoile/Champs Élysées.

A viagem dura cerca de 20 a 60 minutos, dependendo de onde descerá, mais o tempo até sua hospedagem.

– Taxi

As tarifas são fixas, custando entre 30 e 35 euros dependendo do seu ponto de desembarque. A viagem dura cerca de 40 minutos.

Translado entre os dois aeroportos

Vai que seu voo tem uma conexão com mudança de aeroporto!

A linha 3 do Le Bus Direct liga os dois aeroportos. A viagem dura cerca de 70-80 minutos.

Outras informações

Há também a opção de translado privativo. Neste caso, para ambos os aeroportos, as tarifas variam entre 80 e 110 euros, dependendo do número de pessoas. A viagem dura cerca de 40 minutos até a porta da sua hospedagem.

Vale ressaltar que a duração da viagem, especialmente quando utilizado ônibus, táxi ou van, pode variar dependendo do horário de partida, seja do aeroporto ou de sua hospedagem. Em caso de horário de pico, considere mais tempo.

Almoçando em frente ao Arco do Triunfo!

Para valores, horário de funcionamento e outras informações atualizadas:

Passes de atrações

Há duas opções de passes para visitar as atrações de Paris: Paris Museum Pass e Paris Pass.

Paris Museum Pass

Ele dá acesso a mais de 60 atrações em Paris e arredores, por 2, 4 ou 6 dias consecutivos (valores atualizados podem ser consultados no site oficial).

Algumas das atrações incluídas são Arco do Triunfo, Panteão de Paris, Museu do Louvre, Museu d’Orsay e Palácio de Versalhes. Entretanto, não estão incluídas exposições temporárias, tampouco a Torre Eiffel e a Ópera Garnier.

Você pode adquiri-lo nas próprias atrações participantes, em centros de informação turística, inclusive dos aeroportos. Você também pode compra-lo online, mas não há vantagem, pois inclui custo de envio.

Para utiliza-lo, primeiramente deve preencher os campos na face posterior com nome completo e a data do primeiro uso (esta será preenchida pelo funcionário da primeira atração que visitar).

Quando vale a pena comprar o Museum Pass?

Se sua estadia for de pelos menos 4 dias em Paris, França, e você for visitar pelo menos uma atração incluída no passe em cada dia de estadia.

Vantagem 1 – você não só não terá que enfrentar a fila para compra do ingresso, como também poderá furar a fila em grande parte das atrações.

O Rio Sena tava super cheio quando fomos

Não há necessidade de comprar um cartão para menores de 18 anos. Eles entram gratuitamente na maioria das atrações, basta mostrar documento que comprove a idade. No entanto, eles poderão furar fila juntamente com os adultos portando o passe.

Ah, mas se eu comprar o ingresso com antecedência, eu também corto fila. Ok, mas você terá essas outras vantagens também?

Vantagem 2 – ao longo da validade do passe, você poderá visitar uma mesma atração quantas vezes quiser.  Então ao invés de morrer de cansaço tentando visitar o Louvre em um só dia, divida em uma horinha por dia!

PS: Agora para utilizar o Museum Pass no Louvre é preciso fazer reserva para cada pessoa pelo site oficial do museu

Vantagem 3 – Mas o que mais gostei foi que, pelo fato de estar incluído no passe, visitei atrações que não entraria se tivesse que pagar à parte, as visitei simplesmente por estarem no meu caminho! Se eu gostava, ficava mais tempo. Caso contrário, saía e seguia com meu roteiro!

Foi assim que subi no Arco do Triunfo e entrei no Pantheon, dois pontos que depois percebi que fizeram diferença na minha experiência!

Em cima do Arco do Triunfo

Faça uma lista das atrações que gostaria de visitar, some os valores. Compare com os valores do MP, e suas vantagens, para tomar a decisão mais econômica para você!

Paris Pass

O Paris Pass inclui todas as atrações do Museum Pass e outras como cruzeiro pelo Sena e ônibus turístico. Além disso, também está incluído o Paris Visite para as zonas 1 a 3.

Para consultar os valores atualizados a as atrações incluídas, visite o site oficial.

O valor desse cartão é bastante elevado, valendo a pena em casos bem específicos.

Quanto custa viajar para Paris, França?

Paris foi uma das cidades mais caras que já visitei. Para exemplificar, 6 dias em Paris gastamos 3 vezes mais que 6 dias em Berlim, cidade que visitamos na mesma viagem.

Não lembro os valores exatos da nossa viagem em 2013. A realidade era completamente diferente da de hoje.

Alimentação

Não posso dizer que comemos mal em Paris, pois todo dia tinha queijos, vinhos, mostarda (todos franceses), brioches e croissants acompanhados de jamon ou presunto de parma! Só que tudo isso comprado no supermercado. Quase todas as nossas refeições foram preparadas com compras feitas no supermercado.

Restaurante fomos umas 4 vezes nos 6 dias. E comemos algumas besteirinhas na rua como batata frita e crepe, afinal estávamos em Paris, tínhamos que comer essas coisas por lá!

Pode ser os dois ao mesmo tempo?

Caso faça as refeições fora, seus gastos ficarão em torno de 70-80 euros por dia por pessoa, para café da manhã, almoço simples com bebida e jantar simples com bebida mais gorjetas. Separadamente, considere algo em torno dos 10 euros para o café da manhã, 20-30 euros para o almoço e 40 euros para o jantar.

Um dos cafés da manhã que tomamos na Boulangerie ao lado do nosso hotel. Se não me engano, gastamos cerca de 8 euros para nós dois. No hotel estavam cobrando 10 euros por pessoa.

Em contrapartida, nossos gastos giraram em torno de 40 euros por dia por casal ao prepararmos a maioria das nossas refeições. Alguns dias mais, outros menos.

Locomoção

Se você utilizar somente transporte público, seus gastos devem ficar em torno de 4 euros por dia (um bilhete de ida e um de volta). Ida e volta do aeroporto custarão mais 20-25 euros por pessoa. Bate e volta ficam em torno de 8 e 16 euros, ida e volta, por pessoa, por dia.

Atrações

Atualmente (maio/2020), o ingresso do Louvre custa 15 euros, da Torre Eiffel até o topo, 25 euros e do Castelo de Versailles entre 20 e 27 euros, dependendo da época do ano. O custo médio dos demais passeios é de 12 euros por atração.

Passagens áreas e hospedagem

Gastos com passagens aéreas e hospedagem variam muito também, mas hoje seria algo em torno de R$ 3000,00 as passagens por pessoa e cerca de R$300,00 a diária para o casal em um hotel 3 estrelas mais afastado do centro.

Em breve!

No próximo texto contarei como ficou nosso roteiro de 6 dias, ou melhor, 5 dias e meio pela cidade!

Quer algo agora?

Que tal unir sua viagem a Paris na França (talvez em um stopover!) com cidades do Leste Europeu? Como Viena, Bratislava, Varsóvia e a fofa Cesky Krumlov?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: