Alemanha,  Berlim,  Europa,  Leste Europeu

9 motivos para conhecer e voltar a Berlim, Alemanha

Se tem um lugar que gostaria de voltar é Berlim na Alemanha. Fomos para lá, em 2013, sem nenhuma grande expectativa.

Na minha cabeça o auge da viagem seria Paris, sonho de toda uma vida. Mas queríamos conhecer um outro lugar nessa viagem. E algumas pessoas nos sugeriram Berlim. Por que não?

Foi nossa primeira grande viagem internacional. Sete anos se passaram. Nesse meio tempo conhecemos diversos outros países e cidades. No entanto, Berlim ganhou meu coração e segue sendo minha cidade preferida no mundo. Os motivos são:

1 – História

Eu sou completamente apaixonada por história. Confesso que até o colegial não era minha matéria preferida. Mas quando comecei a estudar para o vestibular, o tema me conquistou.

E Berlim é história pura. Por onde você anda se depara com um pedacinho de história, especialmente relacionada à segunda guerra.

Por onde o muro passava há marcação no chão.

Se você gosta do tema da Segunda Guerra Mundial, não deixe de visitar Varsóvia, que teve 85% de seu território destruído pelos nazistas.

Aprendi durante nossos dias lá que os Berlinenses não querem apagar esse pedaço negro de sua história. Querem mantê-lo vivo para que erros do passado não se repitam. Acho que deu certo!

2 – Comida

Gente, eu simplesmente me apaixonei pela comida alemã, principalmente a comida de rua. Não teve um dia sequer que não comemos em alguma das refeições o maravilhoso wurst, vulgo, salsichão.

Não deixe de experimentar o curry wurst, que é o salsichão fatiado coberto com ketchup e curry. Delicioso!!!

Ah, tem também os Döner kebab, que apesar de ser um prato turco e aqui no Brasil chamarmos de churrasquinho grego (que salada!), o encontrávamos a cada esquina de Berlim, Alemanha.

Interessante que na Turquia não comemos nenhum Döner kebab como os que comemos na Alemanha.

Mas isso não tornou a experiência gastronômica no país menos bárbara! Passamos 11 dias na Turquia e te conto até quanto custou nossa viagem!

3- Cerveja!!

Pensou em comida, pensou em bebida!

Nessa época eu iniciei os trabalhos nessa área de bebidas alcoólicas (pois é, comecei tarde!). E comecei exatamente porque estava indo para as terras do vinho e da cerveja, França e Alemanha, respectivamente.

E não é que cerveja pode ser boa? Adorei as cervejas alemãs. Ainda mais com os preços. Algumas custavam menos que água!!! Use e abuse, mas com moderação!

Olha esses preços!

Mas cerveja barata e boa mesmo você encontra na República Checa. Até na super turística cidade de Cesky Krumlov encontramos excelentes opções!

4- Custo da viagem

Qualquer coisa após Paris é barato, mas Berlim é realmente uma cidade muito barata para se conhecer (antes da alta do Euro, pelo menos).

Paris é cara? Com certeza. Mas há formas de economizar e aproveitar seus dias pela capital francesa.

Muitos dos passeios são gratuitos. E os que não são, os preços são honestos.

Comida é muito barata, seja de rua, seja em restaurantes. Comemos até no restaurante da torre de Berlim e ficamos longe de estourar o orçamento!!!

Almoçando no restaurante da Torre. Teve até cerveja com framboesa!

Hospedagem também achei bem barata. Ficamos em um hostel, mas em quarto privativo com banheiro privativo, recentemente reformado, em frente a um ponto de ônibus e a cerca de 500 metros da Hauptbanhof. Excelente localização e preço.

Temos uma certa queda por Hauptbanhof!! Também nos hospedamos pertinho da estação central de Viena durante nossa estadia de 4 dias na cidade!

5 – Transporte Público

Como foi o primeiro país que conhecemos com transporte público eficiente, nós ficamos bastante impressionados com a qualidade.

Usamos metrô, trem e ônibus e não temos qualquer queixa sobre nenhum deles. São pontuais, limpos e cobrem toda a cidade.

Outro exemplo de transporte público eficiente é do Japão. É invejável!

Saiba quais sãos os dois itens essenciais para realizar sua viagem pelo Japão!

Além disso, a cidade tem muitas ciclovias. Então o trânsito é praticamente nulo, mesmo nos trechos da cidade onde há diversas obras. E olha que Berlim era um canteiro de obras quando estivemos lá!

Do alto do Parlamento só víamos guindastes na cidade!

Só teve um dia que o nosso ônibus atrasou (uns 3 minutos), por causa de um pequeno trânsito. Por causa disso perdemos nosso trem para ir ao “Designer Outlet Berlin” que fica a cerca de meia hora do centro de Berlim, Alemanha. Só para não dizer que é 100%!

6 – Hospitalidade

Não vou dizer que os alemães são as pessoas mais calorosas e simpáticas do universo. Não mesmo!

Inclusive, depois dos Parisienses (que não corroboraram a fama de grossos com a gente), a frieza dos alemães nos chocou inicialmente.

No entanto essa frieza, estranha para nós latinos, em momento algum foi um empecilho nos momentos em que precisamos de qualquer ajuda. Foram todos especialmente educados e prestativos.

E na boa, na minha opinião isso conta muito mais que uma saudação animada e calorosa!

No quesito educação entra também o fato de quase todo mundo falar inglês. Ufa! Era engraçado quando a gente perguntava se falavam inglês e nos respondiam que falavam um pouquinho antes de nos humilharem!

7 – Estilo de vida

Eu simplesmente fiquei fascinada pelo modo de viver dos Berlinenses que, possivelmente, espelha o estilo de vida alemão.

O zelo com a qualidade de vida é evidente. A cidade é limpa, bem cuidada.

Há preocupação com a quantidade de lixo produzida, com reciclagem, que para mim são pontos muito importantes e deveria ser de todos. Afinal, nenhum ser vivo, nem mesmo os humanos, podem viver sem um meio ambiente saudável.

Máquinas para reciclagem de garrafas.

Isso também é visível pela quantidade de áreas verdes encontradas na cidade. Para ter uma noção da magnitude disso, quase um terço da área de Berlim é composta por parques, praças, ruas arborizadas etc!

Tiergarten no outono!

Mesmo em dias de chuvas, que foram uma constante durante nossa estadia de 6 dias, vimos muitas pessoas realizando suas tarefas diárias de bicicleta ou transporte público.

Outro ponto muito importante é o respeito às diferenças. O Berlinense me pareceu ser um dos povos mais diversificados e tolerantes que já conheci. Taí a prova de que podemos sim aprender com nossos erros. Basta querer!

8 – Segurança

Pela primeira vez na minha vida tive a sensação de me sentir segura.

Me lembro até hoje do sentimento que tivemos ao estar na periferia, numa estação de trem erma, tarde da noite e nos sentirmos seguros. E percebermos que os locais ao nosso redor também se sentiam.

Nunca me senti assim em São Paulo. E não tem coisa mais triste que isso, de ter medo do ir e vir.

São Paulo é uma cidade muito rica, seja em cultura, em história ou na gastronomia. Não deixe o receio da insegurança te impedir de conhecer o lindo centro histórico de São Paulo e a Avenida Paulista.

Para quem curte uma balada, e Berlim tem diversas opções, não precisa ter medo de voltar tarde da noite!

9 – Porque passei mal nos dois primeiros dias!

Por último, mas não menos importante, quero desesperadamente voltar para Berlim, Alemanha, porque passei mega mal nos primeiros dois dias na cidade, a ponto de querer voltar ao Brasil.

Eu tava pior que esse urso polar sofrendo com o calor de 2ºC que fazia naquele dia.

Da época que eu ainda patrocinava esse tipo de turismo. Saiba porque sou contra o turismo animal exploratório.

Por causa disso, tivemos que cortar algumas coisas do nosso roteiro.

Maaaas, se não fosse por esse mal estar, não saberia da existência do melhor remédio fitoterápico da vida para mal estar no sistema digestivo, que é o maravilhoso Iberogast!

O Iberogast faz parte da minha lista de itens de viagem que não faltam na minha mala!

E aí, concordam comigo que Berlim, na Alemanha, é um destino para se querer conhecer e voltar várias vezes?

Gostaria de voltar!

Saiba para onde as meninas do grupo “Viagens por Escrito” gostariam de voltar:

5 Comments

  • Adriana Rodrigues

    Sei relato me entusiasmou, ha mais coisas em Berlim para serem vistas! Mesmo eu não gostando de aprofundar nas histórias da Seg Guerra é um local que parece muito interessante! A parte como campos de concentração, ou locais parecidos, feu pulo com certeza, saber o que realmente aconteceu ja me basta, eu sou bem sensível para estas coisas, quando vou a lugares que tem este “peso” levo dias para tirar aquela energia.

  • Cecilia

    Não só concordo, como já voltei três vezes a Berlim. Mas a Alemanha é apaixonante mesmo. Vá conhecer Hamburgo e você ficará indecisa pra sempre sobre qual das duas é a melhor cidade alemã para voltar sempre. Moraria fácil nas duas.

  • Mari

    Berlim também está na minha lista de lugares para voltar. É uma cidade tão incrívelmente viva que nunca acaba o que visitar, né? Mas poxa, que pena que vc passou mal! Tinha que ter um perrengue bárbaro envolvido? hahahah Beijos!

  • Daniela de Oliveira Marin

    Estudei em colégio alemão quando criança e sempre tive loucura de conhecer a Alemanha desde pequena. Foi um dos primeiros mochilões bem completos que fiz na vida. Berlim é incrível mesmo!!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: