Ásia,  Europa,  Organizando sua Viagem,  Turquia

Quanto custa viajar para Turquia?

Continuando com as dicas para montar seu roteiro pela Turquia, nesta etapa falarei um pouco mais sobre nossas impressões, assim como responderei a pergunta que todo mundo quer saber: Quanto custa viajar para Turquia?

9-  Comunicação

Gente, tentamos, mas não conseguimos sair de lá nem falando obrigado… o que acho ruim. Gosto de pelo menos saber falar bom dia, boa tarde, boa noite, por favor, licença e obrigada na língua. Foi assim também nos países da Europa central. Não rolou!!!

Eu jurava que ao menos em Istambul e na Capadócia não teríamos grandes problemas de comunicação, mas não foi bem assim. Nos pontos mega turísticos era tranquilo. Não tinham o melhor inglês do mundo, mas se faziam entender e parecia que entendiam a gente. Mas era só sair um pouquinho da zona turística ou sair do usual e já era. Para vocês terem noção nem no nosso hotel de Istambul falavam inglês, foi complicado. Nos hotéis da Capadócia não tivemos problema!

Sim, as tulipas são originárias da Turquia!!

Agora imagina viajar para Turquia pouquíssimo explorada, na região de Mardin, lá no sudeste do país, divisa com Síria e Iraque, com predominância do turismo turco. Nossa, lá foi 99% a base do google translate.

Google Translate tem que ter!

Portanto, a dica de ouro é: baixe o turco no seu google translate! Mesmo que você esteja sem internet, ainda irá conseguir se comunicar.

Além disso, a tradução fica bem melhor de turco para inglês e vice-versa. Se não souber inglês, tudo bem, dá para entender a tradução para português, mas algumas coisas ficam beeem esquisitas (até em inglês ficava, mas menos).

Em suma, apesar do crescente turismo, eles não estão preparados para ele. Prepare sua mimica e seu google translate!

10 – Comportamento

A população turca é predominantemente muçulmana, com uma pequena parcela de cristãos e judeus, que não interferem significativamente no comportamento geral da população.

Por este motivo, viajar para Turquia é ter contato com algumas diferenças significativas comportamentais, dentre elas o hábito das mulheres cobrirem o corpo e os cabelos, o raro contato físico entre homens e mulheres em público e o hábito de não consumir bebida alcoólica e carne suína.

No entanto percebi que, em especial em Istambul, o hábito de cobrir o corpo é bem eclético. Vimos desde mulheres com vestimentas totalmente ocidentais, ousadas até, até aquelas que vestiam burca. Igualmente nas cidades que visitamos no interior.

O contato físico entre homens e mulheres nós observamos somente em Istambul e nas partes turísticas da Capadócia. Casais de mãos dadas e alguns até se beijavam, mas tudo muito discreto.

Já a bebida alcoólica e o porco, esse realmente é bem levado a sério em todo o país. Somente em um restaurante havia disponível no cardápio. E em nenhum havia porco (saudades do bacon no café da manhã!!). Viajar para Turquia é quase um detox!!

Usar ou não véu?

Com exceção das mesquitas, nas quais eu era obrigada a colocar o véu todas as vezes e não entrar na área destinada aos homens, nos demais lugares eu só via olhares curiosos por não estar usando véu, nenhum me recriminando.

Queria ter aprendido a colocar o véu bonito como na novela “O Clone”

Acredito que o que mais chamou atenção foi meu cabelo curto (quase não tinha mulher de cabelo curto por lá, só as chinesas), ainda mais que evitei usar roupas que marcassem muito o corpo. Já ouvi relatos diferentes, sobretudo a respeito de mulheres viajando sozinhas.

Eu sou da filosofia de que posso discordar com aquele hábito, mas quando estou visitando um certo país de hábitos e cultura diferentes, tenho que seguir aqueles hábitos por questão de respeito. De forma alguma quero desrespeitar e causar uma impressão negativa. Portanto, leve um véu, não custa nada. E se você souber colocá-lo direitinho, renderá ótimas fotos!

11 – Segurança

Me senti bastante segura ao viajar para Turquia, inclusive na região de Mardin. Há muito policiamento nas ruas, em especial próximo aos pontos turísticos, inclusive do exército. Todo canto passamos por raio x, até no shopping (geralmente o que acaba tomando mais tempo nas filas).

Não vi muitos mendigos na rua e os poucos que vimos eram mulheres com filhos (eu acredito que seja pela cultura). Uma seguidora do instagram comentou, quando falei sobre isso nos stories, de que eles têm uma cultura familiar muito forte, de que se alguém está passando por uma situação difícil, a família acolhe. Além disso é muito vergonhoso para eles pedir dinheiro, então eles vendem qualquer coisa, oferecem qualquer serviço, mas evitam pedir dinheiro.

Muito cuidado com os golpes

O que temos que tomar muito cuidado ao viarjar para Turquia é com os golpes. Até a gente caiu!!! Pior que foi num golpe mega manjado do engraxate. O cara derruba a escova dele, você a pega para devolver e ele mega agradecido se oferece para limpar seus sapatos. Ao final ele te cobra.

Nem tudo são flores, mas é cada lugar mais lindo que o outro! Museu de Mardin.

A gente tinha acabado de voltar do interior da Turquia, onde tivemos uma experiência maravilhosa de hospitalidade, era quase meia noite, estávamos exaustos. Demoramos uma vida para entender o que tinha acontecido. Ainda bem que só morreram 24 reais nessa brincadeira, mas a gente se sentiu estupido pela vida.

Acima de tudo, fiquem espertos, não acreditem em tudo que falam para vocês, leiam sobre os golpes mais comuns de cada lugar (depois lendo sobre o assunto, fiquei sabendo que esse é um clássico de lá… se tivesse feito a pesquisa direitinho…).

12– Receptividade

Nossa sensação de receptividade aumentava conforme a gente se afastava de Istambul. Foi nota 9 na região de Mardin, nota 7 na região da Capadócia e nota 5 em Istambul.

Achei os turcos muito mal-humorados em Istambul, do tipo “se você não quer, há quem queira” na região dos pontos turísticos. Conforme a gente se afastava deles, o tratamento ficava um pouco melhor.

Já no interior, na maioria dos lugares, nos recebiam muito bem e foram raros os casos de algum tipo de hostilidade.

Só não deu nota 10 para Mardin, pois percebi que o fato da gente não entender nada de turco, em alguns lugares eles simplesmente desistiam e nos ignoravam, mas também houve casos em que faziam de tudo para nos ajudar.

Outro tipo de golpe

Na Capadócia, quiseram nos dar golpes duas vezes pra embarcar a gente em compras de tapetes e cerâmicas, isso não gostei. Mas no fim eles saíram de trouxas, pois faziam um mega tour, nos davam chá, nos tratavam quase como lordes e no fim a gente dava tchau sem comprar nada. Eram locais totalmente pega turistas com preços fora do comum.

Chá turco no copinho típico na loja de tapetes que tentaram nos dar golpe!

Outra coisa que nos deu essa impressão foi a total falta de vontade de tentar se fazer entender e de nos entender. A gente vai sempre comparar com o Japão, né…

13 – Viajar para Turquia – Além de Istambul

Gente, quando eu tava pesquisando para fazer meu roteiro eu percebi como a viajar para Turquia é um pacote completo. O país é rico em paisagens, em cultura e em história.

Infelizmente, nos apenas 11 dias que eu tinha disponível, não deu para fazer nem 1/3 do que eu pesquisei.

Portanto, se você quiser sair um do básico Istambul-Capadócia (inclusive nesta região tem muita coisa fora do roteiro básico para fazer – Aguardem cenas dos próximos capítulos), você pode incluir no seu roteiro também:

1) Pamukkale e Éfeso

Ao final, percebi que teria dado para fazer um bate e volta para um dos dois. No entanto, enquanto fazia o roteiro, achei que não daria…

Pamukkale, que em turco significa castelo de algodão, são piscinas termais de origem calcária, supridas de água que descem em cascata de uma colina. A água de coloração azulada em contraste com as piscinas naturais na cor branca é simplesmente lindo! Foi declarado Patrimônio Mundial da Unesco em 1988.

As ruínas da antiga cidade de Éfeso, contemporânea a Tróia (sim, essa cidade existe e tem até uma réplica do lendário cavalo dado pelos gregos!), era uma cidade grega que, posteriormente, ganhou muita importância quando sob controle do Império Romano a partir de 129 a.C.. Chegou a ser a segunda cidade mais importante do império, atrás somente de Roma. Suas ruínas estão bem conservadas, destacando-se a Biblioteca de Celso. Também entrou na lista da Unesco de Patrimônio da Humanidade.

Para fazer os dois lugares com calma, reserve ao menos um dia e meio, pois elas distam cerca de 200km uma da outra.

2) Região de Diyarbakir e Mardin

Tem que estar no seu roteiro! Tirei os dois lugares que citei acima para incluir a região do Curdistão Turco. Não duvido que foi uma das melhores decisões que já tomei!

Vai viajar para Turquia? Inclua essa região no seu roteiro. Mesquita em Mardin.

3) Capadócia

Quem nunca sonhou em voar de balão sobre a região da Capadócia? Custa um rim, mas está entre as minhas 10 experiências bárbaras até hoje.

Além dos típicos roteiros com agência, você pode conhecer a região por conta própria seja alugando um carro como fizemos (em breve) ou utilizando o transporte público como o “Caminhos me levem” fizeram, desta forma economizando boas liras turcas para recuperar seu rim!!!!

4) Todas as sugestões do Quanto Custa Viajar

Como vocês puderam perceber nesta micro amostra viajar para Turquia oferece de tudo um pouco, para todos os gostos!!

14 – Onde comprar em Istambul

Nós não somos muito de comprar em viagens, a não ser que sejam vinhos!!!

Mas dessa vez achamos que a Decatlhon valeu muito a pena e aproveitamos para comprar nossos mochilões (que saíram 2 pelo preço de 1 e 1/3 aqui no Brasil). Comprei também um casaco de lã na Mango que tava bem em conta. Estava tudo em promoção, por eles já estarem lançando a coleção primavera verão.

Fora isso, não podemos negar que o grande bazar tem de tudo e mais um pouco e não só porcaria não, tem muita coisa boa por preços competitivos, já que tem muita loja. Reserve ao menos 3h nesse lugar, se você tiver intenção de comprar.

Joias e tapetes valem muito a pena!

E esses lustres e abajures?? Queria todos!!!

E negocie! Para eles é falta de educação aceitar um preço logo de cara!!! Se você realmente quer comprar, dá sempre para conseguir bons descontos durante a negociação! Até a gente conseguiu! Mas não se iluda. Eles são muito bons negociadores e vão sacar imediatamente se você vai comprar a coisa. A partir daí não baixam mais nem um centavo!

No bazar de especiarias os preços não tavam tão bons. Por outro lado, se você for no mercado ao ar livre que fica na lateral externa do primeiro, os preços são significativamente mais baratos, pelo menos 30% menos. O pistache, por exemplo, compramos um pouco dentro e depois compramos do lado de fora pela metade do preço! Portanto, dê sua voltinha, experimente tudo e mais um pouco, e compre do lado de fora. Você vai economizar boas liras turcas!

15 – Tax Free

É super fácil solicitar os impostos de volta, mas vá com tempo!

Há dois tipos de impostos de venda, o reduzido de 8% e o normal de 18%. No momento da compra você deve solicitar um recibo especial emitido pelas lojas participantes. Você tem direito a receber o valor do IVA nas compras acima de 118 liras turcas (incluindo impostos).

O problema está se as coisas que você comprou estão na mala despachada ou se estão na mala de mão. Se estiverem na mala de mão, super simples, você faz tudo depois de passar pela migração. Tem que ir até a aduana, mostrar os itens, pegar o carimbo e depois ir no guichê da empresa (tem a Global Blue e a Innova) apresentar a documentação e receber seu dinheiro de volta.

Universidade de Istambul

Agora se estiver na mala despachada, você terá que fazer check in na cia aérea, mas não despachar as malas. Logo depois você irá em um outro guichê da aduana, que irá então verificar seus objetos, dar o carimbo e ela irá despachar suas malas. Depois é só ir na empresa de tax free após a migração para receber o dinheiro.

A gente demorou tanto para entender como era o processo com a mala despachada, e a gente não tava com muito tempo disponível, que decidimos fazer o processo quando a gente voltasse da Itália e deixaríamos os objetos separados na mala de mão. Deu tudo certo!

Contudo se você não tiver essa segunda oportunidade, vá com tempo.

16- Quanto custa viajar para Turquia?

Considero que nessa viagem saí um pouco do meu normal. Fiquei somente em hotéis, inclusive hotéis mais de luxo, pois eu precisava ficar nos cave hotels lá na Capadócia!!! Porém, mesmo assim, a média da diária para o casal saiu R$ 217,00! Imagina se eu tivesse ficado em Airbnb!!!

Além disso, fizemos compras de itens que não eram vinhos! Em outras palavras, nosso orçamento de compras foi até que razoável.

Comemos todos os dias em restaurantes, acho que passamos no mercado só para comprar água! Mas realmente o preço valia muito a pena. A gente fazia excelentes refeições na faixa dos 100 reais o casal, isso quando a gente incluía bebida alcoólica.

Gastos detalhados

Observações:

  • A taxa de câmbio utilizada foi de cerca de R$ 0,76, média ponderada final após todos os câmbios que fizemos de euro para liras turcas;
  • As passagens áreas internas e o aluguel dos veículos foram pagos com cartão de crédito. Portanto, a conversão inclui também o IOF;
  • O passeio de balão na Capadócia foi pago em dinheiro e em euros. A conversão foi de R$4,49, valor que compramos euros no Brasil em espécie;
  • Compramos dois cadeados para os nossos mochilões no aeroporto que foram pagos em euros. Mesma conversão do item supracitado;
  • O total em liras turcas refere-se ao que foi gasto lá, incluindo as passagens áreas internas. Destas despesas, somente as últimas foram pagas no cartão de crédito;
  • Valor total em reais = Total geral, com todos os gastos incluídos.

Curiosidades

  • o café da manhã turco é muito diferente do que estamos acostumados. Há sempre variedades de folhas e legumes, especialmente tomate e pepino. Os pratos quentes são bem condimentados, e sempre há batata frita disponível (às vezes fria)!!!!
O que foi essa batata frita servida em um dos hotéis que ficamos em Goreme (Capadócia)?
  • Iogurte é um coringa, vai com tudo, doce, salgado, como bebida. Eu simplesmente amei o iogurte deles. Eles são os maiores consumidores de iogurte do mundo!
  • Absolutamente tudo pode ser kebab! Seja o döner clássico que conhecemos, até espetinhos, almondegas, hambúrgueres, tudo que tem carne eles chamam de kebab. Era sempre uma surpresa a apresentação!

Você sabia disso??

  • Outro hábito ultra turco é do chá (Türk çayı). Eles são o quarto maior consumidor de chá do mundo. Tomam em média 10 xicaras por dia naqueles copinhos ultra mega blaster charmosos em formato de tulipa, a flor símbolo do país (sim meu povo, as tulipas são originárias da Turquia! Pasmem!). Os sabores mais consumidos são o chá preto e o de maçã, este último principalmente por turistas. Para o meu paladar me agradou o chá preto, sem açúcar, lógico. Mas eles sempre servem com um torrão de açúcar, tão lindo!
  • A forma que eles preparam e o próprio café turco são muito diferentes, dizem que é um dos melhores cafés do mundo. Eu não gosto de café, mas experimentei e achei mais suave e cremoso! Trouxe um kit para minha mãe e ela simplesmente amou!
  • Tukish delight – todo canto você encontra os famosos doces turcos. Eles têm como base uma bala de goma misturada com frutas, frutas secas e, principalmente, pistache. Não achei tudo isso e ainda custa uma pequena fortuna, não menos que 100 reais o quilo. Se você gosta, se farte experimentando nas diversas lojas do Grande Bazar e Bazar de Especiarias.
  • Mas a baklava, meo deos, que delicia, me apaixonei! É uma massa de nozes trituradas, uma espécie de massa folhada banhada em mel e sempre com muito pistache.
Os famosos Turkish Delights. Prateleira inferior recheada das deliciosas baklavas!

3 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: