Brasil,  Sampa,  São Paulo

O que fazer na Avenida Paulista

Se tem uma avenida mais emblemática e icônica de Sampa que a Avenida Paulista, eu desconheço! Esse fato entraria para a minha lista dos motivos de eu ser uma paulistana de araque!!! E essa lista é tão grande quanto a lista do que fazer na Avenida Paulista!!!

A Paulista é palco para diversas manifestações e eventos importantes como a corrida de São Silvestre, o réveillon e a Parada do Orgulho LGBT.

A Avenida Paulista está localizada no coração da cidade, no limite entre as zonas central, sul e oeste, em uma das regiões mais elevadas de Sampa. Foi inaugurada em 1891, quando era uma avenida residencial onde viviam importantes famílias da cidade. Atualmente é um dos principais centros financeiros da cidade.

Mas o que fazer na Avenida Paulista?

Senta que a lista é grande!

  • Visitar museus e centros culturais;
  • Participar de lançamentos em livrarias;
  • Comer em restaurantes conceituados;
  • Estar em contato com a mata atlântica em meio a arranha-céus;
  • Curtir o happy hour em um de seus inúmeros bares;
  • Ir para a balada;
  • Assistir a espetáculos teatrais e sessões de cinema de variados estilos de produção;
  • Fazer compras.

Ufa! Quanta coisa!

A lista do que fazer no estado de São Paulo é enorme. São diversas opções no interior, como Cunha, Jundiaí e Mococa.

Na região metropolitana temos Guararema, por exemplo.

E no litoral, cidades como Santos e Ilhabela.

Linhas de metrô

Ao longo da extensão da Paulista passa a linha Verde do metrô com as seguintes estações: Consolação, Trianon-Masp e Brigadeiro.

Na Rua da Consolação, fim da Paulista, há a estação Paulista da linha Amarela. E um pouco antes do início da Paulista há a estação Paraíso da linha Azul. Tanto na linha amarela como na azul é possível fazer baldeação com a linha vermelha.

Logo, todos os caminhos levam à Paulista. Não tem desculpa para não usar e abusar do transporte público!

A melhor forma de conhecer Sampa é utilizando o transporte público.

Aqui no blog tem um roteiro completinho pelo centro de São Paulo, no qual coloquei os pontos turísticos e as estações de metrô mais próximas para acessá-los.

A pé ou de bike

A melhor forma de explorar os quase 3 km da Paulista é a pé, opção facilitada por sua topografia plana! Mas se caminhar não é seu forte, aproveite a ciclovia que percorre toda sua extensão.  Há pontos de aluguel de bike ao longo de toda a avenida.

O que fazer na Avenida Paulista aos domingos

Desde 2015, todos os domingos e feriados, das 10h às 18h, a Paulista é fechada para veículos e se transforma em um grande espaço de convivência, entretenimento e esportivo.

Há aulas de danças, apresentações de bandas e artistas de ruas, ensaios de blocos de carnaval, pastores pregando, enfim, de tudo um pouco e tudo gratuito!

Aos domingos ocorrem também diversas feirinhas de arte e artesanato, incluindo a famosa feira de antiguidades no vão livre do MASP, que ocorre ali desde 1979.

O que conhecer

Iniciando o passeio próximo à estação Paulista da linha amarela:

Face às restrições impostas pela pandemia do coronavírus, a maioria dos lugares aqui listados está fechada para visitação. Consulte os sites de cada atração antes de visitá-las.

IMS Paulista

O IMS (Instituto Moreira Salles) apresenta uma grande variedade de atividades, como cinema, música e gastronomia, mas seu foco é a fotografia. Toda a programação foi desenvolvida em torno desta temática. São palestras, cursos, workshops, exposições e uma biblioteca inteiramente dedicada ao tema. Algumas atividades são gratuitas. Confira a programação e horário de funcionamento.

Foto do site do IMS Paulista.

Conjunto Nacional

O Conjunto Nacional foi inaugurado 1958 e é um complexo que reúne cinema, teatro, centro comercial, dois edifícios comerciais e um residencial.

É lá que está localizada a Livraria Cultura, onde ocorrem diversos lançamentos literários.

Avenida Paulista fechada para veículos aos domingos. Foto tirada em frente ao Conjunto Nacional.

Residência Joaquim Franco de Melo

É um dos poucos casarões remanescentes da época em que a Paulista era uma avenida residencial, construído em 1905.

Parque Tenente Siqueira Campos ou Parque Trianon

Inaugurado em 1892, o parque Trianon é considerado um oásis verde em meio aos arranha-céus da Paulista, com vegetação remanescente da mata atlântica.

Há espaço para caminhada, bancos para apreciar a fauna e a flora e, eventualmente, ocorrem apresentações culturais como shows, debates e peças de teatro. Aberto todos os dias das 6h às 18h.

Parque Trianon iluminado durante as festas de fim de ano.

Museu de Arte de São Paulo (MASP)

O MASP foi inaugurado em 1968 e conta com um acervo com cerca de 8 mil peças, incluindo obras de artistas nacionais e internacionais renomados.

Consulte a programação, horário de funcionamento e valores dos ingressos.

MIRA ou Mirante 9 de julho

Com acesso pelo vão livre do MASP, o mirante 9 de julho é um espaço cultural que, além da linda vista que tem da cidade, conta com espaço para coworking com wifi gratuito, uma cafeteria, um restaurante e uma programação multicultural com música, arte e cinema ao ar livre.

Casa das Rosas

A Casa das Rosas é um casarão projetado por Ramos de Azevedo, o mesmo arquiteto que projetou o Mercado Municipal e a Pinacoteca, construído em 1935 em estilo clássico francês.

Atualmente é um centro cultural dedicado à poesia. Em sua programação há saraus, encontros literários, shows de música e dança, exposições e cursos. O local possui também um café e um belo jardim.

Foto do site do Governo do Estado de São Paulo.

Centro Cultural Fiesp

O Centro Cultural Fiesp oferece aos visitantes uma programação extremamente variada. São três espaços principais: Galeria de Arte do Sesi, Teatro do Sesi e o Espaço Mezanino. As exposições itinerantes, os espetáculos de teatro, música e dança têm entrada gratuita. Portanto, os ingressos são extremamente disputados e devem ser retirados com antecedência na bilheteria.

No entanto, o que mais chama atenção é a fachada do edifício. Todas as noites ela ganha iluminação especial e projeta diferentes imagens para quem passa pela Paulista.

O formato triangular do prédio da Fiesp o destaca na Paulista.

Edifício Gazeta

O Edifício Gazeta é a sede da rede de televisão, rádio e jornais Gazeta. O prédio foi fundado na década de cinquenta e é considerado uma das construções mais sólidas e seguras da cidade.

Lá encontramos o Teatro Gazeta e o Cinema Reserva Cultural.

O Cinema Reserva Cultural prioriza a exibição de filmes de arte. Além disso, o local também possui uma livraria, um bistrô, uma cafeteria e uma lojinha dedicada ao público cinéfilo.

Edifício do Instituto Pasteur

O centro de pesquisa do Instituto Pasteur, dedicado principalmente ao estudo do vírus da Raiva, encontra-se instalado em um edifício datado de 1903.

Foto do site Wikipedia [Por Dornicke (2008)].

Itaú Cultural

O Itaú Cultural é voltado para a pesquisa e produção de conteúdo, promovendo eventos culturais como exposições, mostras audiovisuais, espetáculos de dança e teatro, shows, cursos, dentre outros, tudo gratuito!!!

No acervo há mais de 30 mil documentos sobre arte e cultura brasileiras, além de espaço para exposições temporárias. Veja a programação do espaço.

Sesc Paulista e Itaú Cultural. Foto de Cláudio Penteriani.

Sesc Paulista

O Sesc Paulista encontra-se ao lado do Itaú Cultural. São 17 andares dedicados às atividades do Sesc, oferecendo salas de espetáculo, áreas para exposições, atividades físicas, odontologia, biblioteca, etc. Algumas atividades são gratuitas e outras pagas.

Mas o espaço mais disputado é o mirante gratuito no último andar. De lá se tem uma vista incrível não só da Paulista, mas de boa parte de Sampa.

Ah! Não deixe de experimentar o delicioso bolo de coco gelado no Café Terraço.

Quero agora!

Japan House

Japan House é o primeiro centro cultural do mundo dedicado à difusão da cultura nipônica, inaugurada em 2017.

Com entrada gratuita, o espaço foi idealizado pela comunidade japonesa com o objetivo de introduzir o Japão contemporâneo ao brasileiro através de sua arte, tecnologia e gastronomia.

Foto de Cláudio Penteriani.

No entanto, o local também mostra as raízes, história e tradições do Japão, por meio de exposições, oficinas, shows, gastronomia oriental e uma biblioteca com cerca de 2 mil livros.

Se você se apaixonou por esse cultura, vai amar viajar para o Japão. Para isso, você precisa saber quais são os itens essenciais para conhecer essa país incrível!

Onde comprar

Se na sua lista do que fazer na Avenida Paulista te interessar incluir locais para compras, opções não faltarão!

Ao longo da avenida há três shoppings: Top Center, Cidade São Paulo e Pátio Paulista, além de diversas lojas de rua.

Se está procurando por eletrônicos e afins, há duas galerias com diversos stands de venda: Market Paulista e Shopping Veneza.

Onde comer

Opções de onde comer também não faltam, localizadas tanto na Paulista como nas ruas próximas. No entanto, vou citar dois em especial:

Ponto Chic

O Ponto Chic se orgulha de ter criado o verdadeiro sanduíche Bauru em 1937. Tudo começou no Largo do Paissandu, na loja fundada em 1922 coincidentemente na Semana de Arte Moderna.

O local era frequentado por intelectuais, artistas, modernistas, dentre eles Mario de Andrade, Anita Malfatti e Monteiro Lobato, além dos alunos da Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Um desses alunos era Casimiro Pinto Neto, o Bauru, que tinha esse apelido por ser da cidade de Bauru, SP. Ele foi o criador do sanduíche mais pedido da casa.

A criação

Era um dia que eu estava com muita fome. Cheguei para o sanduicheiro Carlos – hoje já falecido – e falei: – Abre um pão francês, tira o miolo e bota um pouco de queijo derretido dentro. Depois disso o Carlos já ia fechando o pão eu falei: – Calma, falta um pouco de albumina e proteína nisso. (Eu tinha lido em um opúsculo livreto de alimentação para crianças, da Secretaria da Educação e Saúde, escrito pelo ex-prefeito Wladimir de Toledo Piza, também frequentador do PONTO CHIC – que a carne era rica nesses dois elementos) bota umas fatias de roast beef junto com o queijo e já ia fechando de novo quando eu tornei a falar: – Falta a vitamina, bota ai umas fatias de tomate.

Quando eu estava comendo o segundo sanduíche chegou o “Quico” -Antonio Boccini Jr.-, que era muito guloso e pegou um pedaço do meu sanduíche e gostou. Ai ele gritou para o garçom, que era um russo chamado ALEX: Me vê um desses do “BAURU”.

Ponto Chic
Esse queijo derretido… meo deos!

A receita do verdadeiro bauru leva quatro tipos de queijos fundidos em banho-maria (queijo prato, estepe, gouda e suíço), fatias de rosbife, tomate e pepino em conserva em um pão fresquinho e crocante. Em 28 de dezembro de 2018, o sanduíche bauru foi declarado Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de São Paulo!

No entanto, você não precisa ir até a unidade do Paissandu para experimentar essa delícia, pois há uma unidade no comecinho da Paulista!!

La Barbara Forneria

A La Barbara Forneria fica na Rua Manuel da Nóbrega, bem pertinho da Paulista, pequenininha, com suas mesas todas dispostas na rua, mas que faz pizzas retangulares deliciosas e serve um chopp geladinho e delicioso por preços honestos.

Uma excelente opção do que fazer na Avenida Paulista no happy hour enquanto curte o clima da mais paulistana das avenidas!

Não curtiu essas opções? Então use o TripAdvisor para encontrar um lugar que tenha mais seu estilo. Saiba quais outros apps de viagem você tem que ter no seu celular!

O que fazer em…

Quer mais sugestões do que fazer em outros lugares do Brasil e do mundo? Dá uma olhada no que as meninas do grupo “Viagens por Escrito” recomendaram:

7 Comments

  • Cecilia

    Adorei as dicas de o que fazer na Avenida Paulista. Eu adoro essa avenida e acho que é o que temos mais próximo daquelas grandes avenidas de Nova York. A Paulista me traz lembranças da minha mãe, que amava ver a decoração de Natal que os bancos e algumas instituições promoviam por lá. A gente enfrentava até congestionamento pra poder ver o capricho da decoração. Não sabia a historiada criação do Bauru. Pensei que fosse criado lá no interior. Adorei saber. Beijos

  • Luciana Mardegan

    Sempre que vou a São Paulo, a Avenida Paulista faz parte do roteiro! É uma experiência diferente a cada visita! Shows de rua, malabarismo, famílias, enamorados… tem de tudo. Gosto de cada vez experimentar um restaurante diferente… mas a Livraria Cultura é sempre parada obrigatória! Parabéns por ter enaltecido esse fantástico ponto turístico de São Paulo!

  • Pamela

    Nossa há muita coisa mesmo para se fazer na Avenida Paulista e vi o quanto não conheço nem metade… 🤣🤣🤣 quero muito conhecer o Sesc e a Casa das Rosas, já está na lista há um tempo! Post super completo!

  • Mari Vetrone

    Adorei as dicas, Ba! Realmente a Av. Paulista é dos lugares com mais coisas diferentes pra fazer em São Paulo! Quando morei fora era dos lugares que mais tinha saudades e agora com a pandemia outra vez! Tomara que tudo isso passe logo e a gente volte a passear nessa cidade linda como antes! 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: