Brasil,  Mococa,  Road Trip,  São Paulo

Roteiro de 2 dias em Mococa

Fomos no dia 29/04/2018 para Mococa para prestigiar o casamento dos nossos amigos. A cidade fica a cerca de 280 km ao norte de Sampa (umas 3-3h30 de carro), quase divisa com Minas.

Dia 1 – Centrinho

Hoje em dia a cidade integra o Circuito do Café com Leite, sendo que as principais atrações turísticas são os antigos casarões e fazendas históricas, onde é possível fazer cavalgadas, se deliciar com comidas e bebidas típicas do interior paulista e mineiro e aprender um pouco sobre a história da região no século XIX. No centro da cidade também há diversos casarões históricos além da igreja Matriz (interior não é interior sem sua igreja Matriz!) para visitar. Infelizmente chegamos muito tarde na cidade e não conseguimos fazer a parte histórica antes de ir ao casamento. Mas em um dia, sem pressa, dá para conhecer o centrinho e ir a uma fazenda.

Dessa vez não precisei organizar a Lua de Mel, ufa! Organizar uma viagem alheia não é nada fácil!

Roteiro de 2 dias, Mococa, interior de São Paulo
Fim de tarde em Mococa direto do Casório.

Lá nos hospedamos por uma noite no Plaza Hotel Mococa, somente a 800 metros da praça principal! O hotel é antigo, mas confortável. Café da manhã do tipo buffet que só ficou faltando o doce de leite!

Dia 2 – Além do Centro

No dia seguinte, tomamos um café reforçado antes do check out, abastecemos o carro no posto ”Rede Serviços JPS” (indicação da minha amiga – confiável e bom preço) e partiu Cachoeira do Itambé!

Cachoeira do Itambé

A cachoeira do Itambé fica na divisa entre os municípios de Mococa e Cássia dos Coqueiros, uma belíssima queda de 84 metros no meio da vegetação. Saindo de Mococa é cerca de 40km, uns 50 minutos de carro. Minha amiga tinha me falado de uma forma de visita-la, mas lá acabamos descobrindo uma outra:

Acesso 1

– A que a maioria faz é acessando pelo Restaurante e Camping do Zezé (é onde o google maps vai te mandar quando você colocar Cachoeira do Itambé na busca). Para acessar você tem que pagar 10 reais por pessoa. Tem estacionamento, banheiros e um restaurante que não aceita cartão de crédito ou débito. Então vá com dinheiro se quiser comer lá. A vista da cachoeira desse lugar é espetacular!

Roteiro de 2 dias, Mococa, interior São Paulo Cachoeira do Itambé
Acesso 2

– Pelo Rancho do Rui, você segue na estrada além do anterior, pega um pedacinho de estrada de terra à direita e você chega lá (tem bastante placa, não tem como se perder!).  O caseiro e atendente do restaurante nos atendeu. Um senhor super simpático, que infelizmente esqueci o nome e perdi o telefone (havíamos prometido de mandar o vídeo do drone para ele) nos falou que lá tem quartos para hospedagem, além de camping, estacionamento, banheiros e um restaurante que aceita cartão de crédito e débito!!!

Paramos aí em busca de comida e um lugar que aceitasse cartão (a gente nunca tem dinheiro vivo na carteira), estávamos famintos. Daí ele nos levou até a Cachoeira, que deste ponto você pode vê-la de cima, para os mais corajosos dá para ficar bem do ladinho da queda (morro de medo de altura, ver o Yu e o senhorzinho indo até o local me dava um puta mal estar), além de também ter trilha para chegar na base da cachoeira e não precisar pagar!!! Ah, se eu soubesse antes… Ah! O risole de carne tava ultra mega bom!

A Trilha

Mas e a trilha?? Meeeu, não é fácil. Não é impossível, mas cansa. Qualquer pessoa com um pouquinho de condicionamento consegue fazê-la. A gente começa a cerca de 100 metros de altura em relação à base da cachoeira, ou seja, temos que descer, mas não é aquela descidinha de boinha, gradual, é quase queda livre!!! Têm várias cordas ao longo do caminho para ajudar na descida e na subida.

Fazer essa trilha molhada deve ser impossível, porque ela já dá uma escorregada seca, imagina cheia de barro. Depois que desce tudo, tem uma parte de trilha meio que plana, com leves subidas e descidas no meio. Já quase na cachoeira, tem que subir um pouco para chegar nela.

Meu, ela é enorme, um poço gigante embaixo para nadar e muuuuito gelada. Mas o dia tava quente, tava batendo um sol e depois de 200 horas eu criei coragem de entrar de cabeça! A vazão de água tava relativamente baixa, então dava até para chegar bem perto da queda. Em época de chuva não aconselham. De abril a setembro é a época que chove menos, com pico seco em julho.

Roteiro de 2 dias, Mococa, interior São Paulo, Cachoeira do Itambé
Yu pequenininho!

Um visual surreal como vocês podem ver no vídeo!

Cachoeira do Itambezinho

Depois de tirar todas as fotos e voar com o drone, decidimos também fazer a trilha da Cachoeira do Itambezinho na volta. Tem um ponto na trilha que ela bifurca. Pouca gente faz essa trilha, então ela tava bem menos aberta. Paramos quando chegamos em um ponto que não dava mais para passar. Fomos nas pedras e de lá deu para ver uma parte dela. Ela é menor no quesito vazão de água, mas a altura não é tão menor não. Conseguimos ver os detalhes só com o drone, que foi um desafio pilotar por ali, por causa das árvores.

A primeira trilha a gente deve ter feito em cerca de 30 min. Não é longa, mas tem essa parte mais técnica dela que demanda uma atenção.

Mirante

Depois de curtir tudo que a cachoeira tinha a nos oferecer, partimos para o Mirante de Cássia dos Coqueiros (ou Mirante das Areias), fica a cerca de 1300 metros de altitude e tem um visual incrível. Quando o tempo está limpo dá para ver 7 cidades entre SP e MG (quase dá para tocar Minas!). Fomos com o intuito de ver o pôr do sol, mas a vista é para o lado leste, ou seja, vá para ver o nascer do sol, que deve ser incrível.

Roteiro de 2 dias, Mococa, interior São Paulo, mirante de cássia dos coqueiros

De qualquer forma não perdemos o pôr do sol, foi só ir para o outro lado do morro e aproveitar!

Para chegar lá, pode colocar no google maps que ele indica o caminho direitinho. Saindo da cachoeira, é tudo por estrada de terra, mas em boas condições, então qualquer carro vai de boa. Tem placas sinalizando e área para estacionamento. Depois é só fazer um micro trilha de 50-100 metros que vc chega lá.

Demos sorte de pegar a cachoeira quase vazia, em alguns momentos até ficamos sozinhos (o número máximo de pessoas que pegamos foram 4 além de nós dois) e o mirante não tinha ninguém! Isso porque estávamos bem no meio do feriado!

Como tem alguns pontos que a gente ficou total sem internet, aconselho baixar o mapa off-line dessa região. O que nos salvou foi o Rancho do Rui que tinha wi-fi e aproveitamos para colocar o caminho para o Mirante.

Depois do pôr do sol, foi hora de voltar para Sampa, de alma lavada pela cachoeira!

Curte esse contato com a natureza? Então a preserve! Carregue seu lixo com você, não largue bitucas de cigarro pelo caminho (que em épocas secas podem causar incêndios). Seja um turista, um cidadão consciente! #FicaADica

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: