Ásia,  Japão,  Organizando sua Viagem

Itens essenciais numa viagem para o incrível Japão

Confesso que até surgir uma superpromoção no “melhores destinos”, uma viagem para o Japão não era exatamente um sonho e nem estava na minha bucket list de curto prazo.

Saiba quais apps e sites utilizo para organizar minhas viagens!

Um dos motivos era porque eu achava que seria impossível fazer essa viagem por conta, principalmente devido à barreira linguística, ou seja, sairia muito mais caro do que eu estava disposta a pagar. No entanto, duas colegas de trabalho haviam feito uma viagem para o Japão, China e Coreia do Sul recentemente e nos mostraram que não só era possível, mas também que não era todo aquele bicho de 7 cabeças que eu havia imaginado.

A partir desta experiência alheia, o Japão foi ganhando posições na minha bucket list e acabou se tornando a melhor viagem da minha vida até hoje!

O Japão divide essa posição com a maravilhosa África do Sul. Ambos estão na minha lista das 10 experiências bárbaras que tive até hoje!

Já tem post da nossa road trip de 17 dias e dos 10 lugares que não podem faltar no seu roteiro pela África do Sul.

Neste texto falarei sobre dois itens muito importantes para tornar sua viagem para o Japão não só realidade, mas também menos complicada e mais econômica!

Por que Japão?

Conhecer o Japão é se deparar com uma cultura muito diferente da nossa e, em muitos aspectos, muito à frente da nossa. O respeito com o próximo é simplesmente invejável. Sua organização, educação e consciência de seus limites são exemplos a serem seguidos.

É um país tão povoado e populoso que consegue manter suas cidades limpas mesmo sem muitas lixeiras, onde você pode esquecer sua mochila no trem e saber que ela estará lá quando sentir sua falta (somos testemunhas disso!), em que o caos é organizado. Uma população que já usava máscaras quando estavam doentes para não contaminarem outras pessoas (o que tem sido simplesmente um parto para muitos brasileiros atualmente). Pegar um trem na hora do rush e o silencio imperar dentro do vagão, pois todos colocam seus celulares no silencioso e, quando conversam, falam baixo. Também no mesmo horário é possível descer na sua estação sem nenhuma dificuldade, pois o espaço simplesmente se abre a um simples pedido de “sumimasen” (com licença).

E num passe de mágica saímos desse aperto!

Além dessa cultura e história incríveis, o Japão possui um transporte público exemplar, que nos permite conhecer diversas cidades com muita velocidade, facilidade e comodidade. E olha, tem muito lugar para conhecer.

Ainda, o país possui belezas naturais incríveis. Na primavera se encante com a floração das cerejeiras. No outono se apaixone por todas as suas cores.

Vá de mente e coração aberto e se deixe levar por este país incrível!

Itens essenciais em uma viagem para o Japão

São dois, sendo o segundo dependente do primeiro: o visto japonês e o passe de transporte Japan Rail Pass.

1- Visto japonês para turismo

Existem algumas modalidades de visto, no entanto descreverei somente a modalidade turística.

Acho que foi um dos vistos mais fáceis que já solicitei. Você só precisa juntar toda a documentação, levar ou enviar à embaixada ou consulado mais próximo e aguardar o deferimento, que sai em no máximo 1 semana, caso tudo esteja de acordo. Há casos em que eles pedem por documentação extra, podendo demorar um pouco mais.

No entanto, há um detalhe muito importante: você deve dar entrada no visto no máximo com 90 dias de antecedência da sua viagem para o Japão pois, após a emissão, o solicitante terá até 3 meses para entrar no país.

Passo a passo

Documentação exigida

  • Passaporte original com validade de mais de 3 meses;
  • Formulário de solicitação de visto original, assinado conforme o passaporte. No caso de menores de 18 anos, assinado pelo responsável com cópia simples do RG deste anexada;
  • Foto 4,5×4,5 ou 3×4 em fundo branco, sem data e recente (tirada no máximo há 6 meses);
  • Cópia da reserva de passagem de ida e volta partindo do Brasil;
  • Cópia autenticada do RG ou CNH ou apresentação do original com cópia simples;
  • Comprovante de renda (original e cópia simples):
    • Imposto de Renda de Pessoa Física (incluindo o recibo);
    • Extratos bancários dos últimos 3 meses (aplicações, poupança, investimentos);
    • No caso de dependentes (pais, filhos ou cônjuge):
      • Comprovante de renda do financiador da viagem;
      • Cópia simples de documento que comprove relação familiar;
  • Documentos que comprovem a finalidade da viagem. No caso de viagem a turismo, um cronograma de viagem seguindo o modelo da Embaixada.

Entrega da documentação

De posse de toda a documentação exigida, compareça pessoalmente na embaixada ou consulado mais próximo para dar entrada na solicitação. Caso não possa comparecer, somente familiares de primeiro grau podem representa-lo, munidos de documentação que confirme o parentesco. No caso de solicitação via agências de viagens, esta deverá portar procuração autenticada em cartório.

Caso não more próximo à Embaixada ou Consulados, você pode solicitar seu visto via Centro de Visto Japonês (CVJ) que tem autorização para receber toda a documentação pelos Correios. Neste caso, além da taxa de emissão de visto, você também pagará uma taxa de serviço.

Pagamento do visto

A taxa de emissão do visto será paga no momento da retirada, em dinheiro e o valor varia dependendo do número de entradas. Consulte o valores atualizados no site da Embaixada Japonesa.

Caso Okinawa esteja no seu roteiro, apresente documentação comprovando sua visita, como passagem aérea ou reserva de hotel, e terá isenção da taxa de emissão de visto.

Consulte qual Consulado ou Embaixada atendem sua região, além de dados de contato e horários de atendimento, no site da Embaixada do Japão no Brasil.

A emoção de ver o Monte Fuji pela primeira vez do trem!

Nossa experiência

Demos entrada no nosso visto no Consulado de São Paulo cerca de 20 dias antes da nossa viagem para o Japão. Na mesma semana nos informaram que nossa solicitação havia sido deferida e fomos retirar nossos passaportes.

Foi tudo muito rápido e organizado, bem do jeitinho japonês de ser. Não vejo nenhuma necessidade em fazer solicitação via agência caso você more próximo à Embaixada ou ao Consulado. É um gasto a menos!

2- Japan Rail Pass

Não existe no mundo passe de transporte para turistas mais incrível que este. Assim como não há forma melhor de economizar em uma viagem para o Japão no quesito transporte se não comprando o JR Pass.

O JR Pass é um passe válido em todas as linhas do grupo JR. Ele é aceito nos trens intermunicipais, incluindo os famosos trens bala ou Shinkansen, trens municipais, ônibus e balsas.

Pegando a balsa entre Hiroshima e Miyajima

Como disse anteriormente, o transporte púbico no Japão é incrível e é quase todo baseado no sistema ferroviário. As estações são bem localizadas e interligadas, facilitando o deslocamento entre cidades e dentro da própria cidade. Além disso, nossa PID (Permissão Internacional para Dirigir) não é válida no Japão, portanto nem cogite uma road trip, a não ser que você tenha habilitação japonesa.

Mas nossa PID é válida na Namíbia, na Turquia e na Argentina nem precisa de PID (fizemos uma road trip por Mendoza e pelo Noroeste Argentino), nossa habilitação brasileira é aceita!!!

Quem é elegível?

Somente quem cumprir um desses dois requisitos poderá utilizar o JR Pass:

Modalidades do JR Pass

São duas modalidades, cada uma com 3 validades possíveis:

  • Classe econômica;
  • Green Card (algo como classe executiva).

As validades são de 7, 14 ou 21 dias corridos, durante os quais você poderá fazer viagens ilimitadas nos transportes públicos do grupo JR.

Nas duas modalidades você pode reservar assentos gratuitamente e não estão incluídos os trens “Nozomi” e “Mizuho”, que possuem menos paradas.

Qual a diferença entre as duas modalidades?

Alguns mimos oferecidos àqueles que compram o Green Card que, na minha opinião, não valem o valor que se paga a mais (cerca de 36% a mais).

Sofrendo nessa classe econômica suuuuper desconfortável! Aliás, a poltrona reclinava!

Dentre os mimos estão: poltronas que reclinam mais, apoio para os pés, mais espaço entre as poltronas, janelas maiores e em algumas linhas oferecem toalhas quentes e uma bebida.

Além disso, não são todas as linhas que possuem “green cars”, ou seja, você vai pagar mais caro para viajar na classe econômica em alguns trechos.

Para valores atualizados dos passes e outras informações, visite o site oficial (em inglês) do Japan Rail Pass.

Vale a pena comprar?

As viagens de trem no Japão não são baratas, inclusive para os próprios Japoneses. Então, se você pretende conhecer mais de duas cidades do país, compre!

Por exemplo, uma passagem de ida e volta entre Tokyo e Kyoto sai em torno de ¥26000, entre Tokyo e Osaka são cerca de ¥28000. O JR Pass de 7 dias custa ¥47250 e ainda inclui algumas linhas municipais destas três cidades.

É barato?

Não! Definitivamente não será o item mais barato mas, como disse anteriormente, se você pretende conhecer mais de duas cidades, ele é um item mais do que essencial para economizar na sua viagem para o Japão.

Como e onde comprar?

Para comprar o JR Pass você deve:

Apesar do preço ser tabelado, pesquise em todas as agências, pois a taxa de emissão de cada uma varia muito, sem contar que pode ou não haver taxa de entrega.

As agências emitirão um voucher que deverá ser trocado no Japão pelo passe. Assim como o visto, ele é válido somente por 3 meses após emissão.

Onde e como trocar?

De posse de seu voucher e passaporte, compareça em qualquer escritório do JR Exchange. Eles estão localizados nas principais estações de trem e também no aeroporto.

Como usá-lo?

Basta mostrar seu passe (não o voucher) aos funcionários que estarão próximos às catracas. Você sempre terá que mostrar a um funcionário, não tem como passar direto por elas.

Caso não tenha reservado seu assento no Shinkansen, você só poderá embarcar nos vagões sem lugar marcado (geralmente são os dois últimos) e, quando passar o funcionário para conferir as passagens, mostrar o seu passe. Nos vagões marcados, eles só passam conferindo se os lugares reservados estão ocupados.

Principalmente em alta temporada, utilize a vantagem gratuita aos portadores do JR Pass de marcas assentos. É super fácil! Vá em qualquer agência da JR, presente em todas as estações de trem JR, e diga a data, horário e destino que ele emitirá um ticket com o lugar marcado. Neste caso, atente-se ao número do vagão e aos números dos assentos discriminados no ticket ao embarcar.

Como os japoneses não falam tão bem assim inglês, convém levar essas informações por escrito ou mostrar a tela do app Hyperdia, pelo qual você consegue pesquisar todas as informações sobre o transporte público no país. Use e abuse desta plataforma para planejar sua viagem para o Japão.

Assim são os tickets com lugar marcado.

Validade

A validade do passe começa a contar a partir da data de emissão, ou seja, da troca do voucher pelo passe. Portanto, caso não vá começar a utiliza-lo desde o primeiro dia, não faça a troca logo que chegar ao Japão, a não ser que sua estadia seja menor que a validade do passe.

A validade fica discriminada no passe assim que ele é emitido.

Os trens são realmente pontuais?

Sim, eles são bem pontuais, não é lenda! Geralmente os trens chegam 5 minutos antes do horário de partida e saem EXATAMENTE no horário marcado.

Mas o transporte público do leste europeu também é bastante eficiente, como de Istambul, Varsóvia e Viena. Já não posso dizer o mesmo do de Paris!!!

As estações de trem no Japão são gigantescas (sim, nos perdemos algumas vezes): são diversas plataformas, linhas e diversos pontos de embarque. Caso não esteja na fila correta quando o trem chegar, as chances de você não embarcar são enormes, pois os trens ficam pouco tempo parados nas estações.

Então chegue na estação com pelo menos meia hora de antecedência, principalmente se não tiver lugar marcado, para estar na fila do vagão correto antes mesmo do trem chegar.

O embarque é bem organizado. Não ache que só porque você tem lugar marcado que terá preferência de embarque. Sempre respeite a fila e sua organização.

No entanto, se rolar um terremoto, por exemplo, eles podem atrasar. Nossas mães nem surtaram quando viram na TV!

Como foi nossa experiência

Compramos nossos passes na Tunibra Travel,  pagando na época (nov 2016) R$3100,00 (U$ 928,00) por dois passes de classe econômica com validade de 14 dias.

Nossa viagem para o Japão durou 16 dias, logo, decidimos trocar nosso voucher pelo passe somente no terceiro dia.

Chegamos no Japão no começo da noite e pagamos a passagem avulsa para ir do aeroporto a Shibuya, onde ficamos hospedados em Tokyo. No segundo dia turistamos somente em Tokyo, então compramos dois bilhetes avulsos de trem (ida e volta para nosso Airbnb) naquele dia.

Quando finalmente trocamos o voucher, aí sim usamos e abusamos. Fizemos vários bate e volta (utilizamos pelo menos 13 vezes o Shinkansen) que teriam superado em pelo menos 7x o valor que pagamos no JR Pass. Isso sem contar o transporte municipal que utilizamos em Tokyo, Kyoto, Osaka e Hiroshima.

Nas primeiras vezes não reservamos assento. Mas como a gente sempre se deslocava na hora do rush, a fila tava sempre grande nesses vagões. Para não arriscar ficar para fora, decidimos reservar nossos assentos, sempre usando o Hyperdia para mostrar para os funcionários o que queríamos para não ter erro! A gente reservava na noite anterior, na estação mais próxima dos nossos Airbnbs.

O passe, apesar de caro num primeiro momento, nos permitiu explorar bastante o país nesses 16 dias e é um item mais que indispensável na sua viagem para o Japão.

Inspire-se com outros destinos incríveis!

Saiba sobre quais destinos incríveis que a Luciana e Dani do grupo “Viagens por Escrito” escreveram:

5 Comments

  • Adriana Rodrigues

    Que maravilha este post! Muita informação que com certeza vai ajudar muita gente!
    Japão nunca esteve na minha lista de desejos, ja ouvi muito bem, inclusive lembro de uma inglesa que conheci em um passeio na Africa do Sul que falava do Japão de uma forma que nunca ouvi, me recordo dela se despedindo : Go to Japan!!!!
    E também através de sua experiência , Japão ganha lugares de destaque na minha lista de desejos!
    Ja me vejo ali em um outono cheio de cores!!!

    • barbaracortat

      Você tem que ir de coração e mente abertos para o Japão. Daí é quase certeza que você se apaixonará por lá também. É tudo muito diferente e ao mesmo tempo extremamente encantador. Só indo para entender!

  • Luciana Mardegan

    Oi Barbara, super obrigada pelo post bem detalhado! Japão está entre os destinos que quero muito conhecer! A parte burocrática de solicitar ovisto, comprar os passes etc é a mais chata no planejamento da viagem… você ja me deu um atalho, principalmente a dica de comprar o passe de trem antes de sair do Brasil! Seguirei tudo direitinho rs

  • DANIELA DE OLIVEIRA MARIN

    O Japão deve ser incrível mesmo! Tenho uma amiga japonesa que sempre me convida para ir e acabamos que nunca fomos e ela já veio me visitar 2 vezes no Brasil. Ficaria até perdida para escolher um roteiro de tanto lugar lindo que tem para visitar. Valeu pelas dicas!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: