O que é Free Walking Tour? Vale a pena incluir no roteiro?

Diferentemente do que a tradução livre possa nos induzir a pensar, o Free Walking Tour não quer dizer que seja gratuito, mas sim que você tem a liberdade de pagar (ou não) o quanto quiser pelo serviço.

É um conceito relativamente novo quando comparado ao tour tradicional. A palavra Free atrai especialmente viajantes econômicos e mochileiros, mas, ao contrário do que muitos podem pensar, não está associada de forma alguma à baixa qualidade do tour oferecido.

Na verdade, exatamente pelo viajante ter essa liberdade, os guias investem bastante de seu tempo para criar e estudar os melhores roteiros.

Como tudo começou?

Para a maioria dos viajantes, viajar é sinônimo de caminhar muito! Não há forma melhor de conhecer um local que caminhando. Entre dois pontos do seu roteiro você pode cruzar com um edifício interessante, uma vista ou situação inesperada. E são esses pontos fora do roteiro que fazem sua viagem se tornar única!

Só para ilustrar, estávamos caminhando na região do Panteão, em Paris, quando nos deparamos com um remanescente da muralha que cercava a cidade datada do século XII! Para nós foi incrível, pois não era algo que esperávamos encontrar!

Assim, considerando essa característica, em 2004 um alemão promoveu o primeiro walking tour oficial em Berlim. Desde então, são cada vez mais opções de roteiros.

O Free Walking Tour é ou não é gratuito?

É gratuito. Em nenhum momento o serviço é cobrado. Você tem liberdade para reservar e cancelar o tour gratuitamente a qualquer momento.

Em alguns casos nem é necessário fazer pré-reserva. Basta comparecer no ponto de encontro e se juntar ao grupo.

Não está gostando do tour? É só se afastar do grupo, sem bater o remorso de ter pago por algo que não lhe agrada.

Mas se é gratuito, os guias vivem do quê?

É aí que entra o grande diferencial do conceito do Free Walking Tour x Tour Tradicional. Eles vivem da gorjeta!

Como as pessoas possuem liberdade para pagar ou não pelo serviço oferecido, o guia realmente se esforça para oferecer uma experiência única e bárbara ao longo de todo o tour, que vai te convencer a querer recompensá-lo!

Em geral os guias são jovens, alunos ou professores de história, arte etc. que são atraídos pelo Free Walking Tour por alguns motivos:

  • Flexibilidade de horário;
  • Meritocracia, no sentido de o pagamento ser totalmente dependente da qualidade do seu trabalho, sem muita influência da boa vontade do patrão;
  • Liberdade para expor sua personalidade, sua opinião e sua perspectiva do local.

De fato, a maioria dos guias que trabalham com o conceito de Free Walking Tour são/estão motivados e buscam estar atualizados para fornecer um tour que se sobressaia aos demais.

Diferentemente dos tours tradicionais, cada Free Walking Tour é único, não há padrão, mesmo que o itinerário seja o mesmo.

Ao terem liberdade de personalizar cada tour, o guia, ao conhecer melhor o grupo, pode variar, por exemplo, seu enfoque, a dinâmica, ou de algo mais tranquilo para algo mais energético, vice-versa. Ao sentir e dar o que aquele grupo em especial quer, as chances de ele ser remunerado por seu serviço aumentam exponencialmente!

Existe um valor padrão de quanto dar de gorjeta?

Não, embora a média seja o equivalente a 10 dólares na moeda local por pessoa, podendo ser mais ou menos, a seu critério. Aqui no Brasil costuma ser entre 20 e 50 reais.

Mas como disse anteriormente, você tem liberdade de decisão, baseado na qualidade, na sua experiência e nível de satisfação com o tour.

Na hora de decidir o quanto dar de gorjeta, leve em consideração o conhecimento e desempenho do guia, o quanto você aprendeu e gostou do passeio, a troca de informações, dentre elas dicas locais, etc. 

Não há constrangimento na hora de pagar a gorjeta?

Terá somente em uma situação: se você pedir troco! Se vai participar de um Free Walking Tour, já vá com dinheiro trocado e evite constrangimentos.

Fora isso, os guias ao final do tour passam um boné, um saquinho, uma mochila ou deixam uma caixinha afastada do grupo para que as pessoas não se sintam constrangidas com o valor que estão dando de gorjeta, se é que estão deixando. Algumas pessoas não dão gorjeta ao final do tour e não tem problema. Afinal, é Free!

Eu fiz tours que achei ok e deixei o valor médio. Outros que dei além do valor médio porque foram excelentes. Assim como teve uma situação em que não deixei nada. Já contei essa situação no post sobre nosso roteiro de 2 dias por Varsóvia.

Em síntese, o guia era um esnobe, não gostava de ser interrompido, me insultou e o tour foi extremamente tedioso. Não senti nenhum remorso de não ter dado gorjeta, só de ter perdido meu tempo precioso na cidade com um tour sobre um tema super interessante (Jewish Warsaw) que foi horrível.

O guia chato de Varsóvia!

Quais são as vantagens do Free Walking Tour?

  • Tour autêntico e dinâmico;
  • Variedade de tours. Há desde os tradicionais City Tours até temáticos, como arte de rua, comida e bebida, vida noturna, natureza, dentre muitos outros;
  • Conhecer pessoas com interesses semelhantes;
  • Dicas valiosas dos guias, incluindo seus cantinhos preferidos, como fugir de locais “pega turistas”, onde e o que comprar, onde e o que comer/beber, o que vale ou não a pena fazer;
  • Detalhes da cultura e história do local.

Se eu tivesse feito o Free Walking Tour de Praga logo na nossa chegada à cidade, não teria caído no pega turistas que é o Trdelnik. Olha o resultado!!!

Um exemplo desse último item vem do Free Walking Tour que fizemos em Cracóvia, com a Anne do Walkative (o melhor da Polônia!).

Já quase no fim do tour paramos em frente a um McDonald’s. Aquela loja foi a primeira que abriram na cidade após a queda da URSS.

Anne nos contou que se formou uma fila enorme! Finalmente, após anos de comunismo, os poloneses poderiam escolher o que comer, o que vestir. Sim, até o que vestir! Eles não podiam nem usar calça Lee, que eram contrabandeadas na época do regime.

Essa é a Anne!

Esses pequenos detalhes, essa perspectiva de alguém que realmente viveu naquela época foi o que nos conquistou no Free Walking Tour. Ah! Diferentemente do tour horrível de Varsóvia, nesse demos uma gorjeta acima da média! Aliás, como fizemos o da Anne logo antes de Varsóvia, comparativamente ficou pior ainda!

Como participar de um Free Walking Tour?

– O site Free Tour lista todas as opções de agências disponíveis em mais de 120 países. Depois você pode verificar as avaliações no TripAdvisor para decidir qual agência escolher;

– Escolhida a agência, entre no site e verifique quais são os tours oferecidos e se necessitam de pré reserva;

– Esteja no ponto de encontro com pelo menos 5 minutos de antecedência e, assim que chegar, dê ciência ao guia.

– O ponto de encontro é sempre em um lugar facilmente acessado e bem conhecido na cidade;

Os famosos guarda-chuvas!

– Já é quase praxe, seja qual for a cidade, os guias serem identificados por portarem um guarda-chuva colorido com o logo da agência;

– A língua oficial dos tours é inglês, mas em todos os lugares em que fiz ofereciam também em espanhol;

A língua do tour é facilmente identificada nos guarda-chuvas. Inglês e espanhol, respectivamente.

– O tour inicia no horário programado, ou seja, mesmo com a pré-reserva o guia não espera pelos atrasados.

Caso você se atrase, você pode tentar encontrar o grupo, mas lembre-se que você pode perder bastante informação nesse meio tempo;

– Primeiramente, o guia explicará como funciona o tour, qual será o roteiro e sobre a gorjeta, que será recolhida somente no final;

– Caso o tour inclua entrar em alguma atração paga, esse valor deve ser pago por você, não pelo guia. Mas não é algo comum entrar em atrações pagas. A mesma premissa serve para caso o tour inclua pegar algum transporte público ou uma parada para um lanchinho.

De qualquer forma, em geral na descrição do tour escolhido estará discriminado se algo deverá ser pago ao longo do tour;

– Ao final do tour, rola um bate papo, tira dúvidas, dicas e pode até mesmo terminar numa mesa de bar, como ocorreu com a gente em Praga!

Na República Checa, faça como os boêmios: tudo é desculpa para beber uma cerveja! Ao menos foi o que nosso guia disse para fazermos!!!

Ainda não tenho tem roteiro em Praga aqui no blog, mas tem um bate e volta para Cesky Krumlov que você tem que fazer quando for para a República Checa!

Fica a dica!

– Acompanhe a previsão do tempo e prepare-se para tal. Se a previsão é de chuva, não esqueça do guarda-chuva ou capa de chuva; se for sol escaldante, do chapéu, protetor solar, etc.;

– Leve água e algo para beliscar. Nem sempre há paradas para comer;

– Caminhe leve. Na bolsa, mochila, somente o necessário;

– Use roupas e sapatos confortáveis (sempre recomendo usar tênis de corrida em viagens). Caminha-se pelo menos uns 2 km durante o tour;

– Mantenha a ordem, o silencio, respeite o grupo, para que todos possam escutar e aproveitar as informações dadas pelo guia, que normalmente não usa microfone, fica só no gogó.

Vale a pena incluir no roteiro de viagem?

Siiiiiiim!!!!

Em suma, o Free Walking Tour nos proporciona experiências autênticas e enriquecedoras, acessíveis a todos. É uma maneira alternativa interessante de descobrir cidades, economizar muito dinheiro apoiando guias locais apaixonados.

Ademais, pelo fato da reserva e cancelamento serem gratuitos, nos dá maior flexibilidade na organização do nosso roteiro.

É a melhor forma de começar a conhecer a cidade. Em poucas horas você passará pelos principais pontos dela. Depois, você pode voltar para aqueles lugares que mais gostou e acrescentar novos após todas as dicas dadas pelo guia.

Caso tenha pouco tempo no lugar, é uma ótima opção para conhecer o melhor que a cidade tem a oferecer.

Se você viaja sozinho ou com mais uma pessoa, ao final do tour pode acabar formando um grupo com pessoas na mesma vibe!

Para quem não vale a pena

  1. Você não gosta de caminhar – considere um ônibus hop on hop off;
  2. Não compreende bem inglês ou espanhol – pesquise a disponibilidade de Free Walking Tours em Português. Caso não encontre, terá que recorrer a um tour pago;
  3. Não gosta de tours em grupo – faça seu roteiro por conta com ajuda de aplicativos, blogs (aqui no blog tem vários roteiros com mapinha, como o nosso roteiro de 4 dias por Viena ou roteiro pelo centro histórico de São Paulo) ou contrate um tour privado.

Walking Tour

Conheça opções de walking tour pela Brasil e pelo mundo:

16 Comentários

  • Helen Pusch

    Adorei o post, deixou super claro os prós e contras dessa modalidade de tour. Eu particularmente amo participar de free walking tours e acho que vale muito a pena!
    A única vez em que não dei gorjeta, estava tão chato que abandonei o tour na metade. E, que nem tu, quando é excepcional também dou uma gorjeta acima da média.

  • Lulu Freitas

    Amei as dicas sobre como é um walking tour e as vantages e desvantagens. Eu sempre costumo colocar esse tipo de passeio no meu roteiro. Acho muito enriquecedor. Nunca tive uma experiência ruim como aconteceu com vocêm em Varsóvia. Que falta de sorte!

  • Elizabeth

    Nossa, adorei seu post sobre Walking Tour, já fiz alguns também e super valeram a pena. Simplesmente adorei a dica de levar dinheiro trocado, pra não precisar pegar troco. Super vou levar essa dica pra vida!! Muito obrigada por compartilhar.
    O walking tour é uma ótima forma de conhecer detalhes das cidades, né?
    Parabéns pelo post! Beijinhos

  • Lilian Azevedo

    Mutio esclarecedor esse post sobre free walking tour e se vale a pena incluir no roteiro de viagem. Eu mesma que já participei de muitos walking tour não tinha pensado em alguns aspectos. Meu marido e eu nem sempre aproveitamos por não dominarmos o inglês mas entramos no walking tour em espanhol e aproveitamos bastante. Beijocas

  • ANGELA MARTINS

    Eu ainda quero viver essa experiência do free walking tour. Só fiz um contratado. Adorei suas dicas e informações. Eu acho que vale a pena incluir no roteiro.

  • Diego Arena

    Eu adoro colocar pelo menos um free walking tour nos roteiros das minhas viagens, é sempre um ótimo jeito de conhecer a cidade, além das suas curiosidades e pontos que passariam despercebidos.

  • Dani Mi

    Adoro fazer o Free walking tour nos lugares que visito. Geralmente, os guias são professores ou estudantes de história e acaba sendo muito enriquecedor.
    Lembrar sempre que é preciso pagar gorjetas, como você mencionou no post, pois é a forma de pagamento pelo serviço.

  • Mariana

    Eu absolutamente amo esse conceito de walking tour e tenho a mesma impressão que você quando andando em uma cidade e encontrando uma ruína ou um ponto interessante fora do roteiro turístico! Amo tanto a ideia que faço isso até no meu próprio bairro – e sempre há coisas novas para conhecer! Ótimas dicas!

  • Sil Mendes

    Esse seu post esclarecendo o que é um walking tour e suas vantagens e desvantagens é super importante, pq acho que nem todos sabem por exemplo como funciona o free walking tour. Eu mesma só descobri muito depois. Adorei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: