Atacama,  Chile,  Organizando sua Viagem

Deserto do Atacama – dicas úteis para sua viagem

Sabe aquele lugar que você desacredita que pode estar entre as melhores viagens da sua vida? Deserto do Atacama, culpado!!

Quando fomos para lá ouvimos de algumas pessoas: o que vocês vão fazer em um deserto? Não tem nada, tudo areia. Daí vem o Atacama e dá um tapa na cara da sociedade com tanta beleza!

Se deixe desconectar (o sinal de internet ruinzinho vai te ajudar bastante!), e aproveite a mais bela natureza que só pode ser encontrada lá!

O deserto do Atacama é só um dos diversos pontos que podem ser encontrados no paraíso que é a Cordilheira dos Andes!

Dada essa introdução, vamos começar com dicas práticas???

Como chegar

Há várias opções!! Você pode chegar de carro, moto, avião, ônibus, bicicleta (sim!!! Nós encontramos um casal perdido no meio do deserto do Atacama de bicicleta!).

A opção mais utilizada é de avião com conexão em Santiago. Mas tem muita gente que vem pela Bolívia, via La Paz ou Santa Cruz de la Sierra, após passar pelo Salar de Uyuni e Altiplano boliviano (inclusive li em alguns blogs que esse roteiro sai mais barato para quem vai fazer essa dobradinha).

San Pedro de Atacama (SPA) é base para todas as atividades no deserto do Atacama. O aeroporto mais próximo fica na cidade de Calama, a cerca de 105 km de SPA.

De Santiago a Calama de avião

O trecho Santiago a Calama, é feito pela Latam ou pela Sky Airline. Até cheguei a pesquisar comprar o voo internacional separado o nacional, no entanto, quando eu incluía bagagem despachada, acabava não compensando o valor. Mas para quem vai somente com bagagem de mão, vale bastante a pena essa opção de comprar separado, pois é possível economizar uns bons reais.

Acabei comprando todos os trechos pela Latam Brasil por quase R$ 1500,00 por pessoal com bagaem despachada incluída. Na ida fizemos uma conexão de umas 4h em Santiago e na volta fizemos um stopover de 2 dias na cidade.

Opções terrestres de Santiago a SPA

Você pode aproveitar as diversas promoções para Santiago e de lá seguir de busão (Turbus ou Pullman fazem esse trecho) ou alugar um carro. No entanto, vale ressaltafr que a viagem é bem longa, cerca de 1630 quilômetros. A não ser que você faça uma road trip, acho que não vale a pena. Perde-se tempo e será bem cansativo e, no caso do carro, pode acabar saindo mais caro (a não ser que você esteja em grupo de 4 ou mais pessoas).

Além disso, alguns dos passeios pelo Deserto do Atacama requerem veículos 4×4. Caso não alugue um, pagará diárias em que o carro ficará parado.

De Calama a SPA

Vans

Existem diversas empresas que realizam o translado entre as duas cidades. Não precisa reservar com antecedência! Assim que você sair na área de desembarque, todas elas estarão lado a lado e oferecem o mesmo serviço exatamente pelo mesmo valor (quando fui custava 20 mil pesos/pessoa, ida e volta). Todas te deixam e te pegam no seu hotel, pousada, AirBnb, o que seja em vans muito semelhantes.

Escolhemos esta opção, principalmente porque nosso voo de volta era muito cedo.

Ônibus intermunicipal

Outra opção é pegar um busão de linha saindo da rodoviária de Calama. No entanto, você terá que se deslocar do aeroporto até a rodoviária (7,3 km) e da rodoviária de SPA até seu hotel (700 metros da Caracoles x Toconao). É mais barato, com certeza, custava cerca de 3 mil pesos cada trecho. Contudo, muito mais cansativo e demorado.

Pronto, você chegou no deserto mais alto e árido do mundo!!!

Chegamos na Caracoles!

Onde se hospedar

Há opções para todos os gostos e bolsos.

Seja qual for a escolhida, a não ser que o hotel seja all inclusive, fique bem próximo ao centro, porque absolutamente tudo está naquela meia dúzia de ruas. Não tem uber, táxi, transporte público, você se deslocará a pé mesmo! Algumas agências de passeios te pegam no hotel, mas a maioria tem ponto de encontro geralmente na Rua Caracoles. Por ali também estão mercados, restaurantes, lojinhas, casas de câmbios e todas as agências de passeios.

Quanto mais longe da Caracoles, mais barata será sua hospedagem. No entanto, considere que você terá que fazer esse percurso algumas vezes ao longo do dia e à noite na escuridão!

Têm alguns hotéis com sistema all inclusive (transfer de/para aeroporto, todas as refeições, várias opções de passeios e outros mimos) mas para o meu bolso não rolava. Se essa for sua opção, reserve com bastante antecedência, pois costumam estar sempre lotados em qualquer época do ano.

Se essa não for sua opção, tenha consciência que a maioria das outras opções serão mais simples, sem muito luxo.

Resumindo: fique perto da Rua Caracoles e reserve com antecedência, já que as opções são limitadas (em geral possuem poucos quartos em cada lugar).

Nosso escolhido

Nós somos do “Team AirBnb”. No entanto, após exaustivas pesquisas, nada nos agradou. Foi quando comecei a pesquisar as opções de hotéis/pousadas. Mesmo AirBnb lá é mais carinho que a média, então tive que elevar um pouco o meu teto para diárias! Acabamos escolhendo o Km Zero El Senor del Lascar que fica a 300 metros da Caracoles, na Rua Toconao.

A pousada/hotel é simples, mas com quartos muito confortáveis, banheiro privativo e café da manhã continental bem gostosinho. Nos dias que a gente tinha passeio saindo muito cedo, eles nos entregavam na noite anterior uma marmitinha com coisinhas para o café da manhã. Achei muito atencioso!

Também tinha depósito de malas. O wifi pegava bem nos quartos da edificação principal. No entanto, nos quartos da segunda edificação não pegava muito bem na época.

O único porém foi ter que pagar só no check in. Eu gosto de deixar a hospedagem paga antes de viajar…

Onde comer

Você encontrará vários restaurantes e também baladinhas a noite principalmente na Rua Caracoles. No entanto, não espere encontrar nada muito barato (no mínimo 50 reais o prato, sem bebida e gorjeta).

Eu sou o tipo de viajante que “passa fome” para poder gastar mais com passeios, mas sei que a grande maioria não é assim. Muitos me chamarão de mão de vaca, mas gastar cerca de 200 reais por pessoa em alimentação por dia é demais quando se tem um orçamento limitado. Fazer isso um dia ou outro (como fizemos em uma noite em Santiago que gastamos 300 reais em uma única refeição), ok, mas todo dia para a gente não dá. É aí que a gente acaba encontrando aqueles lugarzinhos não turísticos ou nos hospedando em lugares que tenham cozinha para poder economizar neste quesito.

Carritos!

Sobre lugarzinhos super recomendo os “carritos”. São quiosques que ficam no final da Rua Licancabur, onde os locais costumam comer.

Nos recomendaram um em especial (penúltimo sentido centro-bairro) e lá ofereciam o menu del día (entrada mais prato principal) por 3 mil pesos por pessoa (algumas opções podiam ser até mais baratas). Nossa conta nunca ultrapassava os 10 mil pesos, incluindo bebida e gorjeta. Além disso, era muito bem servido e comida bem gostosa, com bastante variedade. Cada dia tinham opções diferentes.

Os lanchinhos e jantar a gente passava no mercadinho (na mesma rua dos carritos) e comprava empanadas, frios, pão, macarrão, essas coisas fáceis de fazer e carregar.

Jantarzinho básico na pousada!!

Como contratar os passeios pelo Deserto do Atacama

Gente, tem um bilhão de agências lá, uma ao lado da outra, oferecendo basicamente o mesmo roteiro, mas com mimos diferentes. A grande maioria é exatamente a mesma coisa, só muda o nome. Vários passeios que fizemos tinha gente de outras agências na mesma van.

Algumas realmente são exclusivas, mas se paga por isto. Existem duas agências lá com foco em brasileiros, com um serviço super diferenciado e muito elogiado, mas muito caro para a gente. Só para dar uma noção, na época, eu cotei com as duas, sem incluir o Uyuni e o Vulcão Lascar. Saia 329 mil pesos por pessoa todos os tours, não incluídas as entradas.

Eu fechei por 275 mil pesos incluindo o Uyuni e o vulcão (entradas também pagas a parte)!!!! Só o vulcão Lascar, que peguei um guia ultra mega bom e responsável, paguei 70 mil pesos por pessoa. Nessas duas agências voltada para brasileiros tava saindo entre 150 e 170 mil pesos por pessoa.

O que tem de diferente?

Muda principalmente a parte de alimentação entre as agências. Alguns desses passeios incluía uma ou duas refeições ou um lanche. As duas agências voltadas para brasileiros, por exemplo, preparam as refeições na hora, com bebidas alcoólicas incluídas.

Dentre outros mimos, podiam oferecer roupão e chinelinho nos tours pelas lagunas, tours com menos gente (mas não necessariamente), horários diferenciados para não coincidir com o horário da maioria das agências, etc.

É óbvio que eu queria também esses mimos, principalmente quando eu os via ao meu lado nos mesmos passeios e comparava com o meu. Mas como disse, o restante é exatamente a mesma coisa. Então se você puder pagar, por favor pague, não tenho dúvidas que valerá a pena. Mas se não puder, será tão incrível quanto (leve seus mimos com você!!!). No entanto, acredito que quanto mais caro você pague, menor a chance de passar por alguns inconvenientes como nós passamos.

Pegue indicações de agências em blogs, no tripadvisor e faça cotação em todas elas. No entanto, com exceção do tour astronômico com a Space Obs, não há necessidade de reservar nenhum dos outros passeios com antecedência. As cotações que fizemos antes da viagem estavam saindo mais caras que as que conseguimos lá pessoalmente, pois é possível conseguir bons descontos.

Onde fazer câmbio

Se você for ficar alguns dias em Santiago antes de ir para o deserto do atacama, lá no centro cidade (Rua Agustinas) é definitivamente o melhor lugar para fazer câmbio. Mas se você for direto, no centro de SPA a cotação é melhor que no Aeroporto de Santiago (não tem casa de câmbio no aeroporto de Calama).

Têm várias casas de câmbios, todos em lojinhas que oferecem outros serviços, principalmente na Toconao e alguns na Rua Caracoles.

Várias casas de câmbio, uma ao lado da outra!

Mas Barbara, levo dólares, euro, real etc?? Eu levei reais e dólares, mas só porque eu tinha uns dólares sobrando em casa. Na prática, o a taxa de conversão de dólares e reais para pesos era praticamente igual (diferença mínima), então pode ir felizão com seus reais para lá!

Outra dica legal é quando for cotar os passeios nas agências, pergunte a cotação que eles tão fazendo e compare com as casas de câmbio. Mas ressalto que o câmbio feito em Santiago, na Rua Agustinas, sempre será melhor que qualquer opção de SPA.

Quanto tempo ficar em SPA

No mínimo 4 dias inteiros. Nesse tempo você conseguirá fazer os principais passeios!

Quanto custa viajar para o deserto do Atacama?

Uma viagem no esquema mais econômico como fizemos (no esquema mochileiro dá para economizar um pouco, mas não muito, o gargalo tá nos passeios), vai sair algo em torno de 5 mil reais por pessoa para 4/5 dias de viagem.

Neste valor estão incluídas as passagens aéreas, translados, hospedagem, alimentação (no nosso esquema) e passeios em agências mais econômicas.

Kit secura e outras dicas úteis

É muito sério que o deserto do Atacama é muito seco. Usamos colírio, soro no nariz e tivemos que passar muito creme no corpo e rosto ao longo da viagem. Mesmo assim voltamos com a pele super ressecada.

Na Namíbia sofremos bastante com o calor e a baixa umidade, mas ainda não se compara ao deserto do Atacama.

Leve todos esses produtos que vou indicar daqui do Brasil, não deixe para comprar lá, porque além de sair mais caro, pode ser que você não se adapte com o produto ou nem o encontre (grande chance).

Kit secura:

  • Hidratante para corpo, mãos e rosto – leve específico para cada parte do corpo pois são mais eficientes – falou a pessoa que suuuper usa creme – até hoje tenho os que levei para lá!!);
  • Protetor labial com fator de proteção – para proteger do sol e do vento;
  • Protetor solar – o sol de lá é muito ardido;
  • Soro fisiológico e/ou colírio – para o nariz e olhos;
  • Óculos de sol e chapéu – mais proteção contra o sol!

Outros itens importantes

Deixo uma listinha de coisas que não podem faltar na sua mala e mochilinha de passeios:

  • Cachecol, luva e gorro – os passeios que nos levam para pontos de maior altitude ventam muito e a sensação térmica é bem baixa, mesmo na primavera- verão (fomos em novembro).

Se for subir o vulcão, aí as roupas precisam ser mais quentinhas (pegamos sensação de -15°C lá em cima!!).

As noites são mais frias, característica de deserto. Quando fomos a gente pegava uns 30°C durante o dia e 5-10°C a noite e pelas manhãs (delícia para dormir!). Mesmo que o passeio comece a tarde, não esqueça de levar casaco para não congelar na volta.

  • Lenços umedecidos e álcool gel – para quando precisar fazer uma oferenda para Pachamama, para limpar as mãos e rosto;
  • Saquinho de lixo – por favor recolha sempre o seu lixo;
  • Medicamentos – dor de cabeça, estômago, intestino etc. Aqueles que você já usa.
  • Inclua também lanchinhos e bastante água (mesmo com as agências top). Alguns trechos para chegar nos pontos de interesse são bem longos;
  • Não deixe de levar roupa de banho, chinelo e uma toalha e/ou roupão se for visitar as termas e/ou as lagunas (as agências mais tops costumam oferecer esses mimos).

Além disso evite roupas claras. Como raramente chove por lá, é só poeira, então fica tudo sujo.  Leve também um casaco bem quentinho, de preferência corta vento, sapatos confortáveis e desencane dos saltos (chão nivelado e asfaltado não é algo comum por lá!).

E claro, vá de mente aberta e se entregue completamente a esse lugar surreal de lindo!!!!

No próximo post vou falar sobre nosso roteiro e outras opções de passeios que não fizemos.

Mapinha com alguns pontos de interesse no centro de San Pedro de Atacama

Quer saber como ficou nosso roteiro completo e qual agência escolhemos para realizar nossos passeios? Vai começar a chuva de beleza!

3 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: