Atacama,  Chile,  Organizando sua Viagem,  Turismo de Experiência

Roteiro de 7 dias pelo Deserto do Atacama

Antes de viajarmos, após exaustivas pesquisas, consegui montar um roteiro preliminar da nossa viagem pelo Atacama, Salar de Uyuni e Santiago, sendo 7 dias no deserto do Atacama, 4 dias pela Bolívia e 3 dias em Santiago, que ficou assim:

Rascunho roteiro de 7 dias pelo Atacama, 4 dias na Bolívia e 3 dias em Santiago

Como deixei para reservar todos os passeios em SPA, não tinha muita certeza de horários, disponibilidade e tal.

Levei em consideração dicas de blogs que recomendavam iniciar com as atrações mais próximos do centro e depois ir se afastando. Como os mais afastados são as atrações em maior altitude, nosso corpo já estaria mais acostumado com a altitude, diminuindo as chances de sofrer com o Soroche (mal de altitude, que bateu forte quando fomos a Puno no Peru). E também porque as atrações mais próximas da cidade não são tão maravilhosos de lindos, só lindos!!!!

Uma grande vantagem do Atacama em relação a outros lugares é que você não precisa se preocupar muito com a previsão do tempo para organizar os passeios, exceto o tour astronômico.

Dia 1 – bora fechar nosso roteiro de 7 dias pelo Atacama!!!

O primeiro dia em SPA foi reservado para a parte burocrática, ou seja, fechar a programação do nosso roteiro de 7 dias pelo Atacama e de 4 dias na Bolívia, fazer câmbio, ir ao mercado etc.

Todas essas dicas você encontra no primeiro post da série sobre o Deserto do Atacama.

Logo após fazer check in na pousada e descansarmos um pouco (pois passamos a noite em conexão) iniciamos a peregrinação pelas agências. Mas antes pausa para o delicioso sorvete da Sorveteria Babalu, com seus vários sabores diferentes, para nos refrescarmos do calor!

A agência escolhida foi:

Para ajudar na organização imprimi várias tabelinhas como essa abaixo para facilitar a comparação de pacotes e valores. Nós cotamos com umas 15 agências antes de decidirmos fechar com a Atakama Cultura Aventura.

Roteiro de 7 dias pelo Atacama
Principais tours oferecidos pelas agências do Atacama.

Nós quase fechamos com a Flamingo Travel Agency mas escolhemos a Atakama pois conseguimos um ótimo valor com eles para todos os passeios, incluindo o Salar de Uyuni e o Vulcão Lascar, os quais a Flamingo não oferecia (eles indicavam outra empresa para fazer).

Tour privado ou tour em grupo do Atacama até o Salar do Uyuni? Saiba qual foi nossa escolha!

Em quase todas as agências a gente conseguiu negociar bastante o valor. Essa é a vantagem de você deixar para contratar os passeios pessoalmente, você terá mais base de comparação e argumentação!

Sobre a agência

O atendimento da Atakama Cultura Aventura foi bom, explicaram direitinho sobre cada passeio, falaram que nem todos eram feitos exclusivamente pela agência deles, que alguns eles compartilhavam com outras. Passou confiança.

Eles mudaram todo nosso roteiro preliminar de 7 dias pelo Atacama, devido à altitude da road trip até o Salar de Uyuni, nos sugerindo fazer os passeios de maior altitude do Atacama logo de cara para a gente não passar mal na Bolívia, onde a infraestrutura tende a zero.

Então o roteiro final e o que realmente fizemos ficou assim:

Roteiro de 7 dias pelo Atacama

Imprevistos acontecem!

O passeio que está em vermelho na imagem acima teve que ser adiado pois ocorreu um imprevisto, uma pessoa morreu em um desses lugares, não lembro onde, e fecharam o acesso ao local. Por este motivo tranferiram nossa reserva para o dia seguinte. Ainda bem que a gente tava com a tarde livre ou teríamos perdido o passeio.

Se tivesse como saber antes, não teríamos devolvido as bikes e o sandboard que alugamos pela manhã. TAlvez tenha sido melhor ou teríamos nos quebrado ainda mais lá no Valle de La Muerte! Sério, foi uma das partes mais legais da viagem!!!

Fica a Dica

Se possível deixe brechas no seu roteiro para que imprevistos não resultem em cancelamentos ao invés de remarcações.

E esses períodos livres no roteiro?

Dois deles seriam de passeios que a gente desistiu de fazer (Valle del Arco iris e Termas de Puritana). A tarde livre que acabou sendo ocupada pela remarcação do passeio da Laguna Cejar seria nosso dia de descanso, recomendando pelo guia do hiking do vulcão Lascar que faríamos no dia seguinte. Além disso, a fiscalização estava mais rigorosa com quem o fazia, pois exatamente na semana anterior ao chegarmos no Atacama, um brasileiro morreu por parada cardíaca (quanta morte em tão pouco tempo, credo!).

Como foi cada tour do nosso roteiro de 7 dias pelo Atacama?

Além de comentar como foi o passeio em si, avaliarei o serviço da agência e darei uma lista de coisas que não podem faltar na sua mochila.

Dia 2 – Piedras Rojas, Lagunas Altiplânicas e Salar de Atacama

Esse passeio foi terceirizado. Nos pegaram no hotel entre 7-8h. Apesar de ter sido muito legal, de o guia ser muito bom, o roteiro foi alterado. Na teoria a primeira parada seria no Salar de Atacama, onde nos serviriam o café da manhã ao ar livre.

Socaire e Café da Manhã

Na prática, fomos direto para o Vilarejo de Socaire, a 3500 metros de altitude, com uma breve pausa na igrejinha feita em barro e argila (patrimônio histórico), e o café da manhã foi servido num restaurante. O café foi simples, mas gostosinho. Outras agências também pararam por ali. Aproveite para usar o banheiro.

Vilarejo de Socaire

A primeira opção existe e é feita por muitas agências. Infelizmente, ou felizmente, não foi nosso caso…

Piedras Rojas

De lá seguimos direto para Piedras Rojas. Na época ainda era permitida a visitação.

Para quem não sabe, atualmente só é possível chegar até o mirante porque um babaca de um brasileiro decidiu fazer kitesurf na laguna que faz parte de uma reserva natural, habitat de várias espécies de aves, causando um desequilíbrio ambiental, felizmente reversível. Prêmio Idiota do Ano para ele. Inacreditável…

Piedras Rojas está numa região conhecida como Salar de Talar ou Águas Calientes. Faz parte de uma cadeia de vulcões, lagos de sal e está a 4260 metros de altitude. Ela é formada por rochas de coloração avermelhada, devido à alta concentração de ferro, e há uma linda laguna de coloração esverdeada. Quando não está ventando forma-se um belíssimo espelho d’água. É simplesmente lindo esse lugar! E gelado!!! Venta muito!

Entrada era gratuita e não há banheiros.

Lagunas Altiplânicas

O próximo ponto foram as Lagunas Altiplânicas. São duas lagunas localizadas a cerca de 4200 metros de altitude cercadas por montanhas e dois vulcões que lhe dão os nomes: a Laguna Miñique e a Laguna Miscanti. Uma erupção teria causada a divisão entre as duas. Ambas fazem parte da reserva ambiental, então por favor, não saia das trilhas delimitadas.

Entrada na época: 3 mil pesos e lá tem banheiros!

Laguna Miñique - Lagunas Altiplânicas
Laguna Miñique
Laguna Miscanti - Lagunas Altiplânicas
Laguna Miscanti

Almoço

Voltamos para o mesmo restaurante onde tomamos café da manhã para almoçar. Foram 3 passos com bebida incluída. Foi bem gostoso.

Salar de Atacama

O penúltimo ponto foi o Salar de Atacama, a 2300 metros de altitude, e sua linda laguna Chaxa, onde podemos avistar diversas aves, dentre elas os belíssimos flamingos. Esse é o terceiro maior salar do mundo, perdendo somente para Salt Lake e Salar de Uyuni. É uma imensidão esbranquiçada cercada por belíssimas montanhas.

Entrada na época: 2500 pesos e tem banheiro.

Laguna Chaxa no Salar de Atacama
Laguna Chaxa no Salar de Atacama.
Salar de Atacama

Toconao

O último ponto foi o vilarejo de Toconao, região produtora de frutas e verduras, onde visitamos somente a pracinha central com sua igrejinha e o cacto com um formato, digamos, interessante!!!

Vilarejo de Toconao
Cactos de Toconao
Sugestivo, não?!

Pode ter também em outras agências

  • Laguna Tuyajto – eu não tenho certeza se paramos nela ou não, pois fica bem pertinho de Piedras Rojas
  • Famosa placa do Trópico de Capricórnio onde uma galera tem foto no meio da estrada e por onde passa um trecho do Caminho Inca (Essa não paramos, mas serve a da Namíbia?!?!)
Roteiro de 7 dias pelo Atacama
Pelo caminho!

Considerações Finais

  • Agência – apesar de não ter ocorrido conforme o combinado, gostei bastante. Nota 9 de 10.
  • Passeio – Imperdível. Tem que estar no seu roteiro. Passeio de dia inteiro (7/8h às 17h).
  • O que levar:
    • lanchinho e água. Apesar de ter refeições incluídas (café da amanhã e almoço), ficamos muito tempo na estrada.
    • Vista-se em camadas (no mesmo dia você pega muito frio e muito calor) e com roupas e sapatos confortáveis. Casaco corta vento e quentinho, luva, cachecol, gorro. Use protetor solar e protetor labial.
    • Dinheiro trocado (pesos somente) para pagar as entradas, se já não estiver incluído no seu pacote.
  • Dá para fazer por conta? Acredito que sim. A maior parte andamos por estradas em asfalto bem sinalizadas.
  • Temperatura na primeira parada entre 0-10°C (definitivamente pegamos mais para zero que para dez!) e na última parada 25-30ºC.

Dia 3 – Salar de Tara

No terceiro dia do nosso roteiro de 7 dias pelo Atacama fomos conhecer o Salar de Tara. Ele fica a cerca de 140 quilômetros do centro de SPA, próximo à divisa com a Argentina e Bolívia.

Neste passeio chegamos aos 4800 metros de altitude, a maior entre os passeios mais comuns para se fazer no Atacama.

Esse passeio é um pouco cansativo, de dia inteiro, pois passamos a maior parte dele na estrada, com algumas breves paradas no caminho. Foi feito pela própria agência que contratamos. A van era um pouco mais velha, mas cumpriu sua função. Eles nos pegaram entre 8-9h no hotel.

Vulcão Licancabur

Logo de cara subimos cerca de 2 mil metros de altitude (até os 4 mil) e passamos ao lado do fabuloso vulcão Licancabur, com aquele formato perfeito de vulcão. Você consegue vê-lo de praticamente qualquer ponto de SPA. Ao lado dele estão seu irmão descabeçado Juriques. Juntos possuem uma lenda muito interessante.

Vulcões Licancabur e Juriques
Os irmãos!

Segundo ela, haveria um triângulo amoroso entre Licancabur, Juriques e Quimal, a qual estaria (fisicamente) entre os dois. Quimal e Licancabur eram apaixonados um pelo outro, mas Juriques também a amava e morria de ciúmes do irmão. Um dia, invejando que o Licancabur era o preferido do povo, do pai (o vulcão Lascar que subimos!) e de Quimal, Juriques tenta possuir Quimal à força. Licancabur não deixou barato e os dois iniciaram uma briga épica, culminando num desequilíbrio em toda a região. Como punição, Lascar corta a cabeça de Juriques e tira Quimal dali.

Outra versão seria que Licancabur que teria cortado a cabeça de Juriques e Lascar, como punição, o afastou de sua amada.

Quimal (que na verdade é só uma montanha, não um vulcão, pois seu topo nunca se abriu, ficando sua lava ali encerrada, solidificando-se ao longo dos anos, sendo uma montanha riquíssima em minério) hoje vive na cordilheira de Domeiko, paralela à cordilheira dos Andes, sendo observada pelos três vulcões. Curiosamente, próximo ao solstício de inverno a sombra de Licancabur e Quimal se tocam! Tão lindo!! Adoro essas lendas, tão mais criativas e interessantes que a realidade!

Há um mirador onde algumas agências fazem a parada para o café da manhã também com vista para os dois vulcões.

Outras possíveis paradas ao longo do caminho são:

  • Bofedales ou Humedal de Quepiaco, um aquífero no meio do deserto onde há bastante vegetação verde, lar de muitas aves e camelídeos (não lembro se vimos só vicunhas ou se também vimos llamas);
Bofedales ou Humedal de Quepiaco
Bofedales ou Humedal de Quepiaco
  • Mirador de Pujsa para avistar o salar de Pujsa;
  • Laguna diamante da qual é possível avistar o Cerro Pili ao fundo;
  • Outras lagunas que não vou lembrar o nome.
Roteiro de 7 dias pelo Atacama
Um lugar mais lindo que o outro!

Reserva Nacional los Flamencos

Finalmente chegamos na Reserva Nacional Los Flamencos. A primeira coisa com que nos deparamos é com os Monjes de la Pacana – erupções vulcânicas, moldadas pela erosão eólica e gelo – e ao fundo o Salar de Águas Calientes I.

A rocha mais famosa, “Pedra do Índio”, “Moai do Atacama” ou “Guardião” , mede cerca de 25 metros de altura e supostamente dá para ver a face de um índio no terço superior… ok… tava sem álcool no dia!

Monjes de la Pacana
Tão vendo a micro Barbara?

Foi lá que fizemos nossa pausa para o café da manhã. Éramos o único grupo! Tava ventando horrores, fazia bastante frio e por causa disso minha luva ficou toda melecada de doce de leite!!!! Mas foi uma experiência muito gostosa (doce de leite!) e gelada!!

Catedrais de Tara

Fomos ao banheiro, ou melhor, fizemos uma oferenda para PachaMama, e a partir desse ponto entramos no meio do deserto, sem trilhas demarcadas, somente areia, montanhas e aquele céu azul perfeito em torno de nós, até chegarmos na região das Catedrais de Tara –uma belíssima formação por erupções vulcânicas. Lá vimos a habilidade do motorista, pois a maioria estava de 4 X 4 e nós não!

Roteiro de 7 dias pelo Atacama
Outras formações vulcânicas e parte das Catedrais lá no fundo!
Catedrais de Tara
As Catedrais!

Chegamos antes de todos os grupos e pudemos curtir aquele cenário maravilhoso sozinhos, escutando somente o som do vento.

Roteiro de 7 dias pelos Atacama
Surreal de lindo!

Salar de Tara

De lá avistamos o Salar de Tara – um grande alagado contendo partes com vegetação bem verdinha, contrastando com as montanhas que o cercam, a cerca de 4400 metros de altitude. Na verdade nada mais é que a caldeira do vulcão Vilama.

O guia nos deixou próximo às Catedrais e fomos descendo por uma trilha demarcada até a base do Salar. Novamente, caminhe somente pelas áreas demarcadas e aproveite o lindo visual para tirar um bilhão de fotos da paisagem e dos flamingos, que por lá é possível avistar as três principais espécies da região.

Catedrais de Tara
Trilha e Catedrais.
Salar de Tara
Salar de Tara visto do alto.

Algumas agências fazem aqui a parada do café da manhã ou a parada para o almoço.

Parece uma pintura!

Obsidianas

Ficamos cerca de 1 hora por lá e quando iniciamos o caminho de volta. Antes de chegar na região dos Monges, paramos no meio do nada para ver as pedras vulcânicas do deserto, chamadas Obsidianas, resultado de erupção. É também chamada de vidro vulcânico, e é muito parecida com vidro mesmo. Num primeiro olhar, parecem sem graça, mas quando você as quebra, o interior é lisinho e brilhante. Cuidado com suas arestas após quebra-las, pois são bem cortantes.

Roteiro de 7 dias pelo Atacama
Ponto no meio de nada onde paramos para ver as Obsidianas.

Almoço

Fora essa parada, a volta foi non-stop. E fomos direto para o nosso almoço, que foi num restaurante já no centro de SPA. Eu tenho quase certeza que foi no Cabañas Chiloé. Tava incluído no pacote um almoço com três passos e bebida. Comida tava bem gostosa. De lá, fomos deixados perto da agência.

Considerações Finais

  • Agência – apesar da van meio passada, amei! Nota 9 de 10.
  • Passeio – Imperdível. Tem que estar no seu roteiro! Passeio de dia inteiro (8/9h às 17h)
  • O que levar:
    • lanchinho. Apesar de ter refeições incluídas (café da amanhã e almoço), ficamos muito tempo na estrada.
    • Vista-se em camadas (no mesmo dia você pega muito frio e muito calor) e com roupas e sapatos confortáveis, casaco corta vento e quentinho, luva, cachecol, gorro. Use protetor solar e protetor labial.
    • papel higiênico e/ou lenços umedecidos, álcool gel e um saquinho de lixo, não há banheiros no caminho. Li em alguns blogs de quem foi mais recentemente que agora tem banheiro lá no Salar, por 500 pesos.
    • Muita água, para ajudar com os efeitos da altitude. Um chá de coca ou mascar folhas de coca ajudam muito também. E até mesmo inspirar um pouco de álcool.
    • Para evitar enjoos, considere levar um remedinho também. Depois que sai do asfalto, o terreno é bem irregular. Caminhe devagar.
  • Não há entrada a ser paga!!
  • Dá para fazer por conta? Não, depois que sai da estrada, não tem uma placa, uma trilha demarcada, nada. Só quem conhece bem o lugar sabe como chegar ao Salar.
  • Temperatura na primeira parada entre 0-10°C (acho que pegamos menos de zero) e na última parada 25-30ºC.

Continua!

3 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: