Brumadinho,  Minas Gerais,  Organizando sua Viagem,  Ouro Preto,  Road Trip,  Tiradentes

Roteiro pelas cidades históricas de Minas Gerais

Há mais de 10 anos fui a um congresso em Ouro Preto e desde então tava na minha lista retornar para lá com mais calma, com o Yu e também para conhecer outras cidades históricas de Minas Gerais.

Finalmente chegou o dia e essa viagem saiu do papel em fevereiro de 2020!

Foi uma roadtrip de 6 dias, sendo 4 inteiros e o primeiro e último incluía o deslocamento de carro de/para São Paulo.

Olá Minas Gerais!!!

Nosso roteiro é totalmente factível para quem sai de Sampa, mas também para quem sai de BH, Rio e Vitória. Saindo de Brasília ou Goiânia fica um pouquinho mais puxado, mas também é possível. Ah! Isso considerando uma roadtrip como fizemos!

Porém, se você chegar de avião em BH aí fica tudo mais fácil! De qualquer forma, recomendo fortemente alugar um carro. Sem ele, muitas de nossas paradas não teriam sido possíveis!

Roteiro de 6 dias pelas cidades históricas de Minas Gerais

Resumidamente nosso roteiro pelas cidades históricas do sul de Minas ficou assim:

A primeira vista parece corrido, mas deu para fazer tudo que havíamos planejado com bastante tranquilidade. No entanto, vale ressaltar que fizemos somente a parte cultural/histórica de cada região.

Nesse roteiro não estão incluídos nenhum passeio ecológico, pois o Yu ainda não estava liberado para esse tipo de passeio (O motivo? Perrengue bárbaro básico na Namíbia!). Em outra oportunidade vamos focar nessa modalidade, pois a região é cheia de trilhas e cachoeiras maravilhosas!

Se você quiser incluir esses passeios no seu roteiro, então considere pelo menos mais um dia em cada região. Numa viagem de duas semanas, além das regiões já citadas, dá para incluir também Carrancas, São Tomé das Letras e Ibitipoca. Essas três últimas são objeto para um próximo roteiro por Minas!

Nós não fomos mas o blog “Viajar mais aos 50” fez um roteiro delicioso por Carrancas!

Sobre as estradas mineiras

A Fernão Dias, das estradas que passamos, é a que está em melhores condições. O grande problema dela é o intenso fluxo de caminhões, muitos bastante imprudentes.

Agora as estradas estaduais, não sei nem como descrevê-las. A que pegamos em Tiradentes sentido Fernão Dias era um campo minado. Surreal! Nem as estradas de terra da Namíbia eram tão ruins! A quantidade absurda de buracos e crateras junto com o fluxo de caminhões deixaram a viagem lenta e tensa. Evite fazer esses trechos de estradas estaduais à noite.

Pedágios somente na Fernão Dias, nesse trecho que passamos.

Ah! E cuidado com as ideias loucas do google maps, ele nos enfiou duas vezes em estrada de terra, muito piores que as estradas asfaltadas! Pra quem tem 4×4 é uma diversão, mas encarar com carro comum não é nada legal!

Uma das ideias brilhantes do Google Maps!

Onde nos hospedamos?

Para explorar as cidades históricas de Minas Gerais, nossas bases foram Brumadinho, Ouro Preto e Tiradentes.

Brumadinho

Aqui priorizei a distância para Inhotim, mas o centro não fica tão mais longe e você terá mais opções de restaurantes próximos.

Nos hospedamos na “Casa da Horta” da dona Janete. Você pode fazer sua reserva pelo Booking ou pelo Airbnb. Ela tem dois quartos, sendo uma suíte, e está incluído estacionamento e café da manhã, que definitivamente foi a melhor parte! Com todo carinho ela preparou, utilizando ingredientes fresquinhos de pequenos produtores locais ou retirados da sua horta, um café da manhã que tinha pão, pão de queijo, bolo, queijo mineiro, café, leite direto da vaca e frutas da sua horta. O mamão formosa que comemos lá foi o mais doce e gostoso que já comi, enquanto olhava para o pé de onde ele veio. Tudo isso numa mesa externa, com vista para a horta!

É ou não é uma delícia?

A experiência foi de visitar uma tia que mora no interior! Ah! No check out ela nos deu pães de queijo para levar!

Ouro Preto

Nos hospedamos no É Hostel, um hostel que tem também duas suítes privativas, com café da manhã incluído, a 100 metros da praça da Inconfidência. Melhor localização impossível! Da outra vez que fui, desconhecendo as milhões de ladeiras da cidade, peguei uma hospedagem que ficava a 500 metros do centro. Em um lugar plano, não é nada. Mas em Ouro Preto… Por isso desta vez priorizei a localização, pois grande parte do turismo pode e deve ser feito a pé.

Location, location, location!

Gostamos bastante do lugar, que tem café da manhã incluído também (mas faltou o pão de queijo!). O único problema é que não tem estacionamento. No entanto, isso é um problema de quase todas as hospedagens no centro de Ouro Preto. Somente se afastando do centro você conseguirá encontrar lugares com estacionamento incluído.

De qualquer forma, não chegou a se tornar um grande problema. Na primeira noite tivemos dificuldades para estacionar, pois estava rolando algum evento na Igreja de São Francisco de Assis (a missa parecia que tava dentro do nosso quarto, de tão perto que era). Acabamos desistindo e indo jantar antes de fazer o check in. Quando voltamos já tinham vagas disponíveis próximas ao hostel. Os locais nos juraram que a zona azul de lá é só enfeite, mas no início a gente ficou meio cabreiro de deixar o carro o dia inteiro. No último dia resolvemos assumir o risco. Ainda não chegou a multa! E espero que não chegue!

Ah! Lá tem um gato delícia e manhoso, que esqueci o nome! Mais um ponto!

Neném!

Fizemos a reserva diretamente pelo site deles, mas há opção de reservar pelo booking também.

Tiradentes

Em Tiradentes ficamos na Pousada Marília de Dirceu. Nós escolhemos o quarto mais barato, que fica na parte externa do edifício, mas que atendeu perfeitamente bem às nossas necessidades. O lugar é um charme, com estacionamento incluído além de um café da manhã daqueles que sonhamos quando viajamos. Era muita fartura e incluía pão de queijo fresquinho, queijo minas e doce de leite, além de pamonha quentinha e tapioca feita na hora. Preciso de mais alguma coisa??? E para melhorar, entre 17 e 19h, eles oferecem um chá da tarde! Imagina se não saímos de lá rolando!!

Essa era a mesa do chá da tarde (direita). A mesa do café da manhã era o triplo do tamanho!!!

Apesar de não estar tão próximo do centro, cerca de 700 metros, como a cidade é plana, dá para percorrer a pé tranquilamente. Um ponto negativo foi o local não oferecer filtros ou bebedouros de água aos hóspedes. Havia somente garrafinhas no frigobar.

A reserva foi feita pelo Booking.

Veredito

Gostamos das três hospedagens, cada uma com sua característica particular. As diárias para o casal variaram entre 120 e 160 reais. Recomendamos as três!

As estradas são zuadas, mas é cada paisagem linda!

Veja também

4 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: