Dicas de hospedagem boa e barata no Egito

Uma coisa não podemos negar: hospedagem simples no Egito é bem barata. No entanto, se você espera luxo, mimos etc., o valor já fica similar a vários outros locais no mundo.

Ao escolher nossa hospedagem, não só no Egito, prezamos pela localização, limpeza e relação custo-benefício. Em geral ficamos poucas horas na hospedagem, somente para dormir e tomar banho, então não tem porque pagar por hotéis cheios de comodidades que não iremos usar.

Praça Tahrir no Cairo – ótima localização

Se a cama é confortável, o banho é gostoso e quentinho e o quarto tá limpinho, ficamos super satisfeitos! Café da manhã é bom, mas não é determinante na nossa escolha também.

Se você pensa de forma semelhante e vai fazer uma viagem por conta própria ao Egito, então este post lhe será muito útil.

Com base no nosso roteiro de 15 dias por conta própria pelo Egito, veja sugestões de roteiros de 7, 10 e 12 dias pelo país.

Saiba quanto custa viajar por conta própria para o Egito.

Estes foram os locais em que nos hospedamos no Cairo, Giza, Luxor, Hurghada e Alexandria.

Observações sobre hospedagem no Egito

Não estranhe, muitas hospedagens localizam-se em 1 ou mais andares de um edifício onde também estão instaladas outras hospedagens, empresas e até mesmo residências.

Entrada dos edifícios onde estavam localizadas as hospedagens de Cairo e Giza, respectivamente.

Além disso (não sei se é regra, ao menos era onde nos hospedamos), o aquecimento das duchas é feito por boilers individuais, que possuem capacidade limitada de água quente.

Portanto, verifique sempre quanto de água quente (normalmente tem um termômetro de ponteiro no boiler) ainda há disponível antes de iniciar seu banho, especialmente em banheiros compartilhados, para depois não reclamar que a água tava fria.

Mesmo que você esteja em banheiro privado, não dá para tomar aqueles banhos suuuper longos. Um dia que estava muito cansada acabei estendendo o banho e o coitado do Yu teve que terminar o banho dele com a água fria!

Mas vamos ao que interessa!

Caso goste das hospedagens sugeridas, reserve pelos links deste post. Você não paga nada mais por isso e ainda ajuda na manutenção do blog!

Obrigada!

Hospedagem no Egito – Onde se hospedar no Cairo

No Cairo, recomendo ficar no centro, perto de alguma estação de metrô, para facilitar o deslocamento para os pontos turísticos.

Cairo Hub Hostel

A única hospedagem no Egito que estava previamente reservada, antes da nossa chegada ao país, foi da primeira noite. Escolhemos o Cairo Hub Hostel.

Por que só reservamos a primeira noite? Para ter mais liberdade em nossos planos! Mas é algo que não dá para fazer em qualquer país.

Localizado em frente à Praça Tahrir a localização não poderia ser melhor. Está próximo:

  • do aeroporto – cerca de 22km;
  • de grandes hotéis e bancos, onde é possível fazer câmbio;
  • da estação Sadat, onde passam duas linhas de metrô;
  • de lojas e restaurantes;
  • do Museu Egípcio.

Os funcionários são atenciosos e falam bom inglês.

Neste hostel fechamos dois passeios (Deserto Branco e Tour pelas Pirâmides). Gostamos bastante, mas isso será assunto de outros posts!

Todas as diárias incluem café da manhã continental, com toques egípcios e ocidentais, preparado na hora. Ele demora um pouquinho para ser entregue. Se tem pressa, já o peça antes de começar a se arrumar.

Um probleminha – as coisas quentes, como omelete e falafel, me parece que estavam sendo feitas antes de montar os pratos, então chegavam frias à mesa, ainda que frescas. Demos esse feedback, espero que tenham corrigido.

Quarto Privado com banheiro privado

Na primeira noite ficamos no quarto privado com banheiro privado. O quarto era grande, com uma cama de casal e uma de solteiro, armário, criado mudo e ar condicionado.

O banheiro era de bom tamanho, a ducha quentinha com bastante água. Único contra – não tinha cortina ou box na ducha, então molhou todo o banheiro. Porém, vocês vão notar que isso é comum por lá.

Quarto compartilhado com banheiro compartilhado

Gostamos tanto do Cairo Hub Hostel que decidimos ficar mais uma noite por lá. No entanto, tanto o quarto privado com banheiro privado quanto os quartos privados com banheiro compartilhado já estavam ocupados, então ficamos no quarto compartilhado mesmo.

Mas foi o melhor quarto compartilhado que já ficamos na vida! Era um quarto bem grande, com ar condicionado, com 6 “quartos”. Por que entre aspas? Porque só faltava uma porta para ser quarto privado!

Quarto compartilhado com 6 quartinhos.

Cada quartinho era composto por uma cama solteirão (maior que a solteiro), um armário com chave, prateleiras, tomada e luzes individuais, tudo isso encerrado por uma cortina para dar privacidade. Dava até para ficar em pé e caminhar!

Lógico que a falta de porta atrapalha um pouco para abafar o som dos outros hóspedes, mas nada que um tapa ouvidos não ajude. Aliás, item mais que essencial no Cairo, já que o barulho da cidade é irritante, especialmente se sua janela der para a rua.

Ah! Esses dois quartos que ficamos têm uma grande vantagem em relação aos privados com banheiro compartilhado. Estes têm uma sacada para a praça. Linda vista, contudo, péssimo para seu sono por causa do barulho externo.

O quarto compartilhado não tinha janelas (mas tinha ventilação) e a do privado com banheiro ficava aos fundos, então praticamente não se ouvia o som da praça.

O banheiro compartilhado possuía duas duchas, dois vasos sanitários e duas pias. Tinha secador de cabelo. O banheiro estava limpinho todas as vezes que o usamos, e as duchas eram ótimas – até melhores que a do banheiro privado.

  • Localização – 10/10
  • Estrutura – 10/10
  • Atendimento – 9/10
  • Café da manhã – 7/10
  • Limpeza – 10/10
  • Custo benefício – 9/10

Abdeen Palace Hostel

Para as nossas duas últimas noites no Egito, a hospedagem escolhida foi a Abdeen Palace Hostel. Com localização bem central e, assim como o anterior, perto de tudo!

Apesar de conter a palavra hostel no nome, tinha mais jeito de hotel. Todos os quartos eram privados com banheiro privativo. Todas as diárias incluem café da manhã continental farto, quentinho, e servido no quarto. Assim como o anterior, peça para que prepararem seu café enquanto se arruma para sair.

O quarto que ficamos tinha um bom tamanho, com uma cama de casal e uma de solteiro, armário, ar condicionado, ventilador de teto e frigobar, além de uma varanda. O banheiro era de bom tamanho, com boa ducha, porém também não tinha cortina ou box.

No dia do nosso trem noturno pra Aswan, nos deixaram tomar um banho e descansar uma horinha em outro quarto, bem parecido, mas sem varanda.

No Abdeen Palace Hostel fechamos todos os passeios entre Aswan e Luxor, incluindo o cruzeiro, Abu Simbel e Luxor. O preço foi de longe o melhor na nossa pesquisa. E não é porque foi muito mais barato que o serviço deixou a desejar. Pelo contrário, gostamos muito do que recebemos!

Além disso, o Ashraf, sócio do Hostel e com quem tratamos quase tudo, é uma das pessoas que honram a fama egípcia de hospitalidade e gentileza.

  • Localização – 10/10
  • Estrutura – 9/10
  • Atendimento – 10/10
  • Café da manhã – 10/10
  • Limpeza – 7/10
  • Custo benefício – 9/10

Hospedagem no Egito – Onde se hospedar em Giza

Em Giza há várias opções com vista para as pirâmides. Algumas mais próximas, outras nem tanto. A hospedagem escolhida foi Atlantis Pyramids Inn.

Ela está localizada bem na cara das pirâmides e da esfinge. Conseguimos até assistir ao show de som e luzes de camarote! E melhor, sem pagar nada mais por isso!

Confesso que a primeira impressão não foi das melhores. A pousada ocupa o último andar de um edifício em que o andar térreo fedia a urina e parecia que estávamos em meio a uma comunidade (foto no começo do texto). Pelo que percebi, muitas das hospedagens aos pés das pirâmides têm essas características.

Mas assim que chegamos no andar correto, a gente já dava de cara com as pirâmides, então toda a má impressão ficou para atrás. Além disso, foi um dos melhores atendimentos que tivemos no Egito, não só pela cordialidade dos funcionários e do casal de donos, mas também porque todos falavam muito bem inglês.

Área de convivência da pousada, onde é servido o café da manhã. Viu o gatinho preto?!

Tem gatos!!!

Fomos recepcionadas com chá e bolachas enquanto assistíamos ao show. Ah! O Leli, gatinho ruivo da hospedagem, ficou com a gente o tempo todo!!! Quando terminou o show, ficamos conversando um tempão com os donos, super simpáticos, com um estilo e um jeito de ser mais contemporâneo, sempre acompanhados da pura cremosidade carente do Leli!!!!

Agarrei mesmo!!

Nosso quarto era super grande, com duas camas de casal, armário, criados mudos, ar condicionado e um janelão com vista para as pirâmides (esqueci de tirar foto :()!!

O banheiro era de bom tamanho e tinha uma ducha super gostosa e, pasmem, tinha box!!!!!

Assim como nas outras hospedagens, o café da manhã farto foi preparado quando solicitamos. Foi servido no terraço, na companhia do Leli.

Ficamos chateados de termos ficado somente poucas horas nesta hospedagem, uma das mais agradáveis que ficamos no Egito!

Ah! Além da bilheteria do complexo de Giza, que está a apenas 120 metros de distância, no entorno há várias lojas, restaurantes e mercadinhos.

  • Localização – 10/10 (após o susto inicial)
  • Estrutura – 10/10
  • Atendimento – 10/10
  • Café da manhã – 10/10
  • Limpeza – 10/10
  • Custo benefício – 10/10

Hospedagem no Egito – Onde se hospedar em Luxor

Após o check out do cruzeiro pelo Nilo, decidimos ficar mais uma noite em Luxor, pois não queríamos chegar tarde da noite em Hurghada, nosso próximo ponto do roteiro.

O principal requisito neste caso era estar perto do ponto de ônibus da Go Bus, pois o ônibus saía cedo. Então busquei uma hospedagem bem no centro de Luxor.

O centro não é a região mais bonita da cidade (não que o Egito tenha regiões muito bonitas), mas definitivamente a localização era excelente, próximo:

  • do ponto de ônibus e da estação de trem;
  • de diversos restaurantes, lanchonetes, mercados, lojas, bancos;
  • do Templo de Luxor e da corniche do rio Nilo.

O hostel

Escolhi o New Everest Hostel (ou Sweet Hostel). Ele está localizado em um ruelinha, paralela à avenida principal, ocupando vários andares de um predinho simples, em um bairro que parecia ser mais simples ainda.

O hostel localiza-se onde está a placa vermelha

O hostel é bem simples, com móveis antigos, mas estava bem limpinho.

Apenas um funcionário, na verdade acho que era o dono, falava inglês, mas não muito. Os demais “falavam” muito pouco. Cada andar possuia três quartos – casal, duplos ou triplos – e compartilham um banheiro completo.

No último andar (que as escadas faziam parecer bem longe) tem um terraço onde o pessoal se reúne e onde é servido o café da manhã, incluído em todas as diárias. Assim como os demais, é preparado na hora e tem bastante coisa. Não pudemos provar tudo, pois estávamos já com o estômago pequeno e tínhamos pouco tempo até o ônibus.

Yu, com sono, aguardando o café da manhã!

Nosso quarto era pequeno e tinha uma cama de casal, ar condicionado, uma cadeira e uma mesinha para colocar as coisas. Apesar de estar virado para a ruelinha, não era barulhento.

A roupa de cama e banho estava cheirosa. O banheiro também não tinha cortina ou box (você está percebendo um padrão?), então ficava todo molhado após o banho.

  • Localização – 8/10
  • Estrutura – 8/10
  • Atendimento – 7/10
  • Café da manhã – 10/10
  • Limpeza – 10/10
  • Custo benefício – 8/10

Hospedagem no Egito – Onde se hospedar em Hurghada

Hurghada é conhecida por seus diversos resorts All Inclusive. Como dos 2 dias e meio que estaríamos na cidade, 2 ficaríamos mergulhando, e o pacote incluía almoço e lanche da tarde, não achamos que valia a pena ficar em um resort, já que pouco aproveitaríamos.

Então escolhemos um Airbnb, chamado Sunny Seaside Villa, super charmoso, localizado a cerca de 9 km do centro da cidade, longe do caos, mas ainda perto de restaurantes, bancos, mercados e com fácil acesso ao centro por um shutlle que passava na porta e custava somente 3 libras egípcias!

PS: rolou um perrengue bárbaro nessa hospedagem, nada grave e rapidamente solucionado, mas depois conto com mais detalhes juntamente com outros perrengues que tivemos no Egito.

Nós escolhemos um pequeno bangalô, porém ganhamos um upgrade para um apartamento enorme com vista para o mar vermelho. A gente já tava super satisfeito com o bangalô, mas com certeza o upgrade fez com que essa fosse eleita a melhor hospedagem do Egito!

Um dos bangalôs

O apartamento tinha cozinha completa, um banheiro grande com cortina no box, sala e um quarto gigante.

Além do conforto do apartamento, havia também piscina, e os funcionários eram super prestativos. Quer um exemplo? Pedimos referências para chegar em algum ponto da orla ali na região onde poderíamos ir a pé e chegar perto do mar.

Pausa para explicação

No Egito todas as praias são privadas, então, a não ser que onde você esteja hospedado tenha acesso à praia, você não poderá frequentá-la.

A hospitalidade árabe!

O funcionário não nos deu indicações, ele nos levou até um ponto onde um resort estava em construção e o acesso ainda estava aberto!

Além disso, ele também nos acompanhou até a praia privada da nossa vila, localizada a cerca de 2-3km dali, mesmo local onde está toda a infraestrutura do bairro, e também nos acompanhou até o mercado!

Praia privada da vila

Apesar da distância do centro não planejada (vide perrengues), foi a melhor coisa que nos ocorreu, pois ali nem parecia Egito. Sem muvuca, sem barulho, sem gente pedindo gorjeta o tempo todo. Era o que a gente precisava para desestressar, relaxar e nos preparar para a parte final da viagem.

Ah! Outro ponto importante, os restaurantes têm preços menores que do centro, já que a maioria que frequenta aquele bairro são egípcios e não turistas!

PS 2: Ao pesquisar para este post, vi que também é possível reservar o Sunny Seaside Villa pelo booking!

  • Localização – 9/10
  • Estrutura – 10/10
  • Atendimento – 10/10
  • Café da manhã – não tinha
  • Limpeza – 10/10
  • Custo benefício – 10/10

Hospedagem no Egito – Onde se hospedar em Alexandria

Apesar da maioria das pessoas optarem por fazer um bate e volta para Alexandria saindo do Cairo, não acho que seja uma boa ideia. Cada trecho da viagem tem duração de cerca de 3-4h, isso se não tiver trânsito, que pode acabar com seus planos na cidade.

Além disso, você não poderá aproveitar o melhor de Alexandria – o pôr do sol na corniche, ponto alto da nossa passagem por lá.

Escolhemos um hostel, New Hotel, localizado a meio quarteirão da orla em um ponto central entre a Biblioteca de Alexandria e a Cidadela. Além disso, havia muitas lojas, restaurantes e mercado próximos e, se a gente soubesse como usar (gente, impossível ler árabe e não há números identificando a linha), transporte público!

Vista da recepção

Um contra – as toalhas de banho não estão incluídas na diária.

O Ali, dono do local, foi muito simpático e permitiu early check in (às 6h da manhã), além de nos ter dado uma ótima recomendação de onde comer!

Quartos e banheiros

Todos os quartos são privados com banheiro compartilhado. O banheiro tem 3 vasos sanitários, 2 duchas e 2 pias.

Uma coisa que estranhamos: a ducha ficava ao lado do vaso, não tinha muito espaço e lógico que molhava todo o entorno. Mas ainda assim, o banho foi gostoso e quentinho. A gente se adapta a essas novas situações!

O quarto que ficamos era bem grande, localizado aos fundos, então escutamos menos o barulho das buzinas na rua, com três camas de solteiro, dois armários, duas cadeiras e três criados mudos. Tinha ar condicionado e ventilador de teto.

  • Localização – 10/10
  • Estrutura – 8/10
  • Atendimento – 10/10
  • Café da manhã – não tinha
  • Limpeza – 9/10
  • Custo benefício – 9/10

Onde ficar em…

Veja outras dicas de hospedagem do grupo “Viagens Por Escrito”:

11 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: