Mergulho autônomo no mar vermelho no Egito

O mar vermelho é considerado pela comunidade internacional de mergulho como um dos melhores destinos do mundo.

Três dias do nosso roteiro foram reservados para o mar vermelho, sendo que em 2 deles fizemos mergulho autônomo.

Sem dúvida alguma foi um dos pontos altos da nossa viagem pelo Egito. Em outras palavras: A gente cortaria qualquer coisa do Egito, mas de forma alguma o mergulho no mar vermelho e o deserto branco estariam de fora do nosso roteiro!

Se você não tem certificação, não tem problema! Há diversos centros de mergulho certificados pela PADI (ou outras certificadoras), assim como instrutores autorizados a ministrar todos os cursos, por valores muito melhores que os praticados aqui no Brasil. E quer coisa mais legal do que sair do Mar Vermelho encantado e habilitado para mergulho em águas abertas?

Leia mais sobre o Egito

Mar vermelho

O mar vermelho localiza-se entre a costa nordeste da África e a península arábica, banhando Egito, Israel, Jordânia, Arábia Saudita, Iêmen, Djbouti, Eritreia e Sudão.

A temperatura da água no mar vermelho não varia muito ao longo do ano, ficando entre 24°C, em pleno inverno, e 30°C em pleno verão, o que pode tornar a saída do mergulho desagradável, especialmente se você usar neoprene, considerando que a temperatura externa estará acima dos 40°C!

Amazonas feelings!!! Nos sentimos entrando numa banheira quando mergulhamos no Rio Negro durante nossa vivência na selva amazônica.

No Egito são duas as áreas turísticas principais, uma localizada no continente africano e outra na península do Sinai, totalizando cerca de 900 quilômetros de costa, com cidades grandes e pequenas, e infraestrutura turística variável.

Costa do continente africano

Nesta região destacam-se quatro cidades, por oferecerem melhor atendimento aos turistas estrangeiros (por exemplo, poder usar seu biquíni sem ser fuzilada pelos olhares da população local):

– Marsa Alam

É a mais distante das opções e com menos estrutura hoteleira. É possível chegar de avião ou ônibus partindo do Cairo, porém não de outras cidades egípcias.

– Soma Bay

Mais novo empreendimento do Mar Vermelho. Possui mais infraestrutura hoteleira em relação à Marsa Alam, incluindo grandes nomes de hotéis norte americanos e europeus.

– Hurghada

Essa nem precisa muita apresentação, é a maior cidade e a segunda mais popular entre os turistas, principalmente pelo fato de haver voos diretos de muitas cidades europeias, além de ser facilmente acessada por via terrestre. Por exemplo, Luxor está a apenas 4h de distância e Cairo está a 5h, percorrendo estradas em ótimas condições.

Assim, espere uma cidade mais caótica (marca registrada do Egito), mas também com muita infraestrutura para os turistas.

– El Gouna

Localizada a apenas 20 minutos de Hurghada, conta com excelente infraestrutura turística, porém menos muvucada que sua vizinha.

Península do Sinai

– Sharm el Sheikh

Esse é o principal destino turístico do mar vermelho, situado quase na ponta da península. Há muitas opções de hotéis, pousadas, lojas e restaurantes de diversas marcas mundialmente conhecidas.

Assim como a costa africana do mar vermelho, aqui a indústria do mergulho também é bastante avançada.

Há voo diretos internacionais tanto da Europa, como também do Oriente Médio e Ásia, e voos nacionais vindos do Cairo, Luxor e Hurghada, além de ser facilmente acessada por via terrestre.

– Dahab e Nuwiba

Acessadas por via terrestre a partir de Sharm el Sheikh, essas duas cidades são menores e possuem uma atmosfera mais hippie. São bem mais baratas e descontraídas que sua vizinha famosa e lógico, menos muvucadas.

Todas essas cidades banhadas pelo mar vermelho oferecem diversas opções de atividade ao ar livre e esportes aquáticos como mergulho com snorkel, passeios de barco e passeios de quadriciclo no deserto.

Para quem pratica mergulho autônomo, ainda não encontrei lugar mais barato que o mar vermelho. As definições de custo benefício foram atualizadas!!!

Nossa experiência

Escolha do local de mergulho no mar vermelho

Como disse anteriormente, dos 15 dias que passamos no Egito, 3 reservamos para o mar vermelho.

Após estudar muito o nosso itinerário, os custos e tempos de deslocamento, decidimos por Hurghada.

Não era minha primeira opção, queria ir para um lugar mais tranquilo, mas no fim encontramos não só a tranquilidade que queríamos, totalmente ao acaso, como também nos encantamos com o tão sonhado mergulho no mar vermelho!

O ponto decisivo para elegermos Hurghada foi simplesmente o tempo de deslocamento. Isso porque nossa última cidade antes do mar vermelho era Luxor. De lá tínhamos a opção de ir de ônibus, uma viagem de apenas 4h, passagem que poderia ser incluída no pacote do cruzeiro.

A gente até poderia chegar em Hurghada e pegar um busão para Marsa Alam, mas o tempo (mais 7h de viagem) e dinheiro gastos nisso, não compensariam tanto.

E por que não ir direito para Marsa Alam? Porque não há opção de transporte público direto para lá saindo de Luxor. A menos que a gente quisesse contratar um traslado privado por meros U$ 150,00, quase o mesmo valor que pagamos pelo pacote de 2 dias de mergulho no mar vermelho.

Chegando em Hurghada

A rodoviária de Hurghada é bem central, facilitando muito o deslocamento para qualquer ponto da cidade, com opções de táxi, uber e shuttle (lotação), a qual custa apenas 3 libras egípcias (mas não é intuitiva, você precisa de dicas dos locais).

Houve um erro na localização do nosso Airbnb, que achávamos que estava a cerca de 2km da rodoviária. Na verdade ela estava a cerca de 9km do centro.

Em um primeiro momento isso nos desesperou, mas no final das contas foi a melhor coisa que nos aconteceu. O Airbnb era fantástico, bem longe da muvuca da cidade, mas ainda próximo da infraestrutura que a gente precisava, e no caminho que nosso instrutor de mergulho fazia para a marina!

Enfim, conseguimos o melhor dos dois mundos mesmo em Hurghada: sossego e uma experiência barbara de mergulho no mar vermelho!

Escolha do centro de mergulho em Hurghada

Se resumiu em google! Fiz a pesquisa, li os comentários, fiquei bem satisfeita com o que li e decidi entrar em contato com a empresa – Hurghada Diving.

Falei diretamente com o Mohammed, que seria nosso instrutor nos dois dias, o qual me passou muita segurança, algo extremamente importante neste tipo de atividade, afinal qualquer erro pode gerar consequências graves.

Olha o Mohammed aí!

A Hurghada Diving oferece diversos tipos de pacotes de mergulho no mar vermelho, desde snorkeling até cursos avançados, todos com traslado e refeições incluídos.

Para snorkeling e cursos, o equipamento está incluído. Para o mergulho autônomo, nosso caso, o equipamento é pago a parte, se porventura não o tenha.

Caso contrate mais de um dia de passeio, os pontos de mergulho serão diferentes.

Pacote escolhido

Optamos pelo pacote de 2 dias, 2 mergulhos por dia, e aluguel do equipamento. O custo? Somente U$ 130,00 por pessoa!

Eu sei que U$ 130,00 não é uma bagatela, mas tem que levar em consideração que mergulho não é um esporte barato, especialmente aqui no Brasil. Por aqui a gente pagaria mais que esse valor por apenas um dia de mergulho excluídos traslado e refeições.

Encontre o Nemo (apesar dessa não ser a espécie do Nemo!). Não, não é esse grandão.

Antes do mergulho

Antes de iniciarmos a navegação, no primeiro dia, o Mohammed nos relembrou sobre as regras básicas de mergulho, comunicação embaixo d’agua, como montar e vestir o equipamento.

Há diversos pontos de mergulho no mar vermelho próximo a Hurghada, uns mais próximos da marina, outros nem tanto. No primeiro dia navegamos por cerca de 1h30 para chegar no ponto conhecido como South Abu Ramada. Já no segundo dia o tempo de navegação foi de cerca de 1h até El Fanadir.

Ambos os pontos são recifes cheios de vida marinha e ótimas opções para mergulhadores inexperientes, muito experientes e até mesmo para quem vai praticar snorkeling.

Quando chegávamos ao ponto de mergulho, o Mohammed nos dava uma breve explicação sobre o local e qual seria o itinerário antes de cairmos na água.

South Abu Ramada e El Fanadir, respectivamente.

O mergulho

O tempo de mergulho é quase que exclusivamente dependente do gasto do ar do cilindro. Se você conseguir manter a respiração calma, é possível mergulhar por até 1h sem troca de cilindro, mas a média geral costuma ser algo em torno de 45 minutos.

Outra coisa que interfere é a profundidade, quanto mais profundo você mergulha, maior o gasto de ar. Nossa média ficou em 36 minutos, até que não foi tão ruim!

Informações de 2 mergulhos que realizamos devidamente registradas!

Não há palavras para descrever o mergulho no mar vermelho. A vida marinha é muito abundante, com uma variedade enorme de peixes e corais, além de outros animais, como moreias e arraias enormes! A visibilidade é surpreendente, até mesmo no segundo dia, quando o mar estava um pouquinho mais agitado.

Uma pequena amostra do que vimos durante nossos 4 mergulhos!

Mesmo que você não costume enjoar em barcos, recomendo levar remédios para enjoo. Eventualmente o mar pode estar muito agitado, como no nosso segundo dia de mergulho, e você não vai querer ficar passando mal!

Eu costumo enjoar e não deu outra. Antes do segundo mergulho estava super enjoada e, mesmo tendo tomado remédio, prejudicou demais a minha experiência. Tive dificuldades em manter a flutuabilidade, gastei mais ar, não consegui curtir tanto…

Ainda que em pleno inverno, a temperatura da água estava muito agradável. O problema era sair dela! A temperatura do ar estava mais baixa e, com o vento, a sensação térmica devia estar em torno dos 15°C.

Empacotados antes e depois do mergulho. Em contrapartida, super gostoso dentro d’água!

Refeições

Ao longo de todo o dia havia chás, café, leite e água disponíveis no barco.

Quando voltávamos do primeiro mergulho, pouco tempo depois era servido o almoço, composto por arroz, macarrão, legumes, peixe, frango e saladas variadas. Neste momento eram disponibilizados refrigerantes.

Simples, porém, tudo muito gostoso. A comida era à vontade, mas não é nada recomendável se empanturrar de comida antes de um mergulho, por mais que esse fosse o desejo!

Já depois do segundo mergulho, no retorno para a marina, era servido um prato com frutas variadas, incluindo morangos e laranja egípcios, que estão entre os mais doces que já comi. No segundo dia teve até tâmaras. Nem fiquei feliz!

Tava tão bom que esqueci de tirar foto antes de devorar a comida!

Recomendo a empresa?

Sim! Como disse anteriormente, o Mohammed nos passou muita segurança e tranquilidade. Os equipamentos e o barco estavam em ótimo estado, equipe ótima, refeições gostosas. Com certeza fecharia novamente pacote com eles.

Vale a pena o mergulho no mar vermelho?

Se vale? Demais, para não usar uma outra expressão!!!!!!!

Ainda tenho pouca experiência de mergulho (tanto snorkel como cilindro), mas já tive a oportunidade de realiza-lo no Brasil, em Curação, Bonaire e Aruba.

Inegavelmente o mergulho no mar vermelho foi o melhor até hoje. Talvez pela vida marinha tão diferente da nossa, talvez por termos hoje um pouco mais de experiência e conseguirmos aproveitar melhor cada mergulho.

Na minha humilde opinião, todos deveriam viver essa experiência bárbara. Desse modo, reserve ao menos 2 dias inteiros no seu roteiro para o mar vermelho, sendo que ao menos um deles dedique ao mergulho! Depois me conta se você se arrependeu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: