Cerejeira em flor
Brasil,  Curitiba,  Paraná,  Road Trip,  Vinhos

Inverno em Curitiba: o melhor da estação

A apenas 400 km de Sampa, Curitiba é uma excelente opção para uma viagem planejada ou até mesmo de última hora (sim, já fiz isso, acordei e falei: Partiu Curitiba! Reservei nossa hospedagem na estrada). Estive na cidade por duas vezes, uma no fim da primavera e outra no meio do inverno. Logo, posso dizer com propriedade que o inverno em Curitiba é imperdível!

No entanto, preciso assumir que Curitiba é uma cidade incrível em qualquer estação do ano. Seu planejamento urbano e áreas verdes fizeram com que a cidade ganhasse dois títulos de muito orgulho: Capital Ecológica do Brasil e Cidade mais Sustentável Ambientalmente da América Latina.

A cidade nos agrada assim que chegamos nela. O trânsito flui mesmo no horário de pico, o ar é mais leve, sem contar que é um colírio para os olhos. Se eu pudesse, me mudaria fácil para lá, apesar dos moradores da cidade terem fama de antipáticos (até hoje não experimentei essa dita antipatia)!!

Mas então qual seria o diferencial do inverno em Curitiba???

Motivo 1 – Frio!!!!

Acho que não é novidade para ninguém que Curitiba é a capital mais fria do Brasil. Não é incomum ver no jornal que a cidade bateu recordes de baixas temperaturas durante o inverno.

São raros, mas há até registros de neve na cidade. O último foi em julho de 2013! Contudo, para o meu azar, quando estive lá em julho peguei uma onda de calor surreal (#chateada!).

Logo, se você é apaixonado por frio como eu, está aí um motivo mais que maravilhoso para curtir o inverno em Curitiba.

Motivo 2 – Festivais

Frio remete a comida – que remete a festivais!!

Há diversos eventos na cidade ao longo do ano, mas os mais conhecidos ocorrem principalmente nos meses de junho e julho. Dentre eles destacam-se:

Feirinhas de Inverno na Praça Osório e na Praça Santos Andrade

A Praça Osório é umas das mais importantes de Curitiba. Situada pertinho da famosa Rua XV de Novembro, é considera um oásis em meio aos prédios e correria do centro. Na praça você encontrará árvores centenárias, um chafariz de 1914, além de postes datados do início da década de 50. O local conta também com banheiro, área de lazer e playground.

A Praça Santos de Andrade também fica no centro e se destaca pelos edifícios que a contornam, como o belíssimo Campus Prédio Histórico da UFPR e o Teatro Guaíra. Também conta com árvores centenárias, como a Araucária do Centenário que foi plantada em 7 de setembro de 1922, exatos cem anos depois da Independência do Brasil.

As duas praças distam uma da outra apenas 1,4 quilômetros e devem fazer parte do seu roteiro pelo centro histórico de Curitiba, assunto a ser mais detalhado em um próximo texto!

Mas voltando ao inverno em Curitiba, as feirinhas ocorrem, geralmente, todos os dias entre a segunda quinzena de junho e a primeira de julho. Você encontrará artesanato, música, comidas típicas de festas juninas e julinas, mas também regionais.

Festival de Inverno de Curitiba no Centro Histórico

Os festivais anteriores tiveram duração de 10 dias iniciando na segunda quinzena de julho. O evento une gastronomia, moda, música, “free walking tours”, oficinas, cursos, bate papos e arte em diversos pontos do Centro Histórico de Curitiba a fim de celebrar a cultura do inverno Curitibano. Algumas atividades são gratuitas e outras são pagas.

Festival Sabores do Pinhão

O pinhão, semente da Araucária, é considerado símbolo do Paraná. Ele era consumido por algumas tribos indígenas que habitaram a região sul do Brasil e hoje é uma tradição do estado, além de possuir alto valor nutricional.

Sempre tem uma Araucária na foto!

 O festival ocorre ao lado do Mercado Municipal, na Rua General Carneiro, e a entrada é gratuita. Nele você encontrará diferentes opções gastronômicas que utilizam o pinhão como ingrediente principal. Há também aulas show para adultos e crianças e, aos sábados e domingos, apresentações musicais típicas de Curitiba e região.

Só de pesquisar e escrever esse trecho do texto já fiquei com água na boca. Amo pinhão!!

Em algum evento no bairro Santa Felicidade!

Para saber quais outros eventos ocorrem no inverno em Curitiba, como também nas outras estações do ano, você pode consultar a página de eventos fixos e eventos diários do site da Prefeitura de Curitiba.  

Face à pandemia da COVID-19 nenhum dos eventos acima citados está confirmado em 2020. Por este motivo, recomendo consultar o site da Prefeitura para informações atualizadas.

Motivo 3 – Vinícolas

Ok, vinho é uma ótima ideia em qualquer época do ano. Contudo é muito mais gostoso apreciar uma taça de vinho quando as temperaturas estão mais baixas, principalmente os tintos!

A região metropolitana de Curitiba abriga diversas vinícolas. Considerada um polo do enoturismo, produz vinhos de alta qualidade, incluindo alguns rótulos premiados internacionalmente.

Ainda não tive o prazer de conhecer nenhuma delas, mas separei 4 que foram recomendadas por amigos que moram na cidade e que distam no máximo 40 km do centro de Curitiba:

Cave Colinas de Pedra

A Cave Colinas de Pedra se destaca pelos seus espumantes. A guarda, a maturação e os processos finais para produção de espumantes, utilizando o tradicional método Champenoise, é realizado dentro de um túnel ferroviário de 1883 (um espetáculo à parte!). Lá as garrafas permanecem por no mínimo 2 anos até que estejam prontas.

Curiosidade: o terreno foi adquirido com o intuito de construir uma pousada ecológica. UM dos projetos visava viabilizar a adaptação do túnel em uma cave de maturação de espumantes. Foram então realizados testes de temperatura e umidade por 2 anos consecutivos quando verificaram que a temperatura se mantinha estável ao longo de todo ano, variando somente 1°C (16°C no inverno e 17°C no verão).

Acabou que a ideia secundária passou a ser a principal e o projeto da pousada foi abandonado por tempo indeterminado! Sorte a nossa!!

Dentre as atividades oferecidas há visitação à cave/túnel e almoço harmonizado em uma estação ferroviária toda restaurada. Há também trilhas e espaço descanso em meio à Mata Atlântica.

Esta vinícola, definitivamente, é a que estou mais curiosa por conhecer o espaço, mas também para degustar os espumantes!

Vinícola Araucária

A vinícola Araucária foi a primeira a unir vinhedo e vinícola no mesmo local na região. O enoturismo nesta vinícola envolve os 5 sentidos: ver os vinhedos, ouvir as histórias, sentir os aromas, provar vinhos e tocar nas garrafas.

O passeio guiado irá te mostrar a região e te ensinar todo o processo de elaboração do vinho. Você também poderá fazer pequenas trilhas e almoçar no restaurante local.

Em fevereiro ocorre a Vindima, a festa da colheita, que inclui colher as uvas no vinhedo, participar do processo de pisa da uva, visita guiada e almoço. Tem que reservar com antecedência porque as vagas são limitadas.

Vinícola Legado

A vinícola Legado é uma vinícola boutique que além das lindas paisagens oferece uma opção de passeio de charrete pelos parreirais finalizado com degustação. Além disso, o local promove eventos que combinam natureza, música e vinhos, como um piquenique em meio aos parreirais e a festa da colheita. Para mais informações sobre os eventos, fique de olho no facebook deles!

Vinícola Franco Italiano

A vinícola Franco Italiano é um sonho realizado de duas famílias imigrantes, uma proveniente da França e outra da Itália, unidas por um casamento em 1973. A filosofia desta vinícola é produzir vinhos exclusivos, por este motivo sua produção é limitada.

O passeio guiado detalha todo o processo de elaboração e é encerrado com degustação. Há também restaurante no local.

Face à distância entre elas, talvez seja possível visitar somente 2 em um mesmo dia.

Lembre-se de eleger um motorista da vez. Se beber, fique quietinho no banco do passageiro.

Motivo 4 e o responsável por este texto – Cerejeiras!!!!!

Inverno em Curitiba = para onde você olhar pode ter certeza que terá uma cerejeira no seu campo de visão. Geralmente o auge ocorre entre a segunda quinzena de julho e a primeira de agosto.

Tô falando!!

As primeiras mudas chegaram no país com a imigração Japonesa há cerca de 80 anos. Mas foram com as mudas de cerejeiras presenteadas pelo Imperador e Imperatriz do Japão, no começo da década de 90, que elas tomaram a cidade.

As mudas foram tratadas e ambientadas em Curitiba e, primeiramente, plantadas na XV de Novembro, na Praça do Japão e no Jardim Botânico. E desde 1994 as cerejeiras passaram a incorporar a arborização de ruas e praças.

Rua do nosso Airbnb na bairro Vila Izabel

Para deixar o inverno em Curitiba ainda mais lindo (motivo 5!), na mesma época ocorre a floração do nosso lindo Ipê, que perde todas as suas folhas durante o inverno restando somente os lindos cachos de flores, principalmente nas cores roxa e amarela. É para acabar com a memória do celular ou da câmera fotográfica!

Onde encontrá-las?

  • No cartão postal de Curitiba, o Jardim Botânico que dispensa longas explicações, há um corredor com cerca de 30 cerejeiras que se estende do início do estacionamento até a entrada do parque;
  • No Parque Tanguá, aquele super famoso e o local ideal para curtir o pôr do sol!
  • Na Praça do Japão, que foi construída para homenagear os imigrantes japoneses que chagaram no Brasil a partir de 1910. Hoje, Curitiba abriga a segunda maior comunidade japonesa do país! Além das cerejeiras, você encontrará seis lagos artificiais nos moldes japoneses, uma escultura de Buda ao centro de um dos lagos, uma lanterna esculpida em pedra, um Portal Japonês e o Memorial da Imigração Japonesa. Desde 2018 há também o Espaço Tomie Ohtake, em homenagem à artista plástica que faleceu em 2015;
  • Em toda a extensão do calçadão da XV de Novembro;
  • Nas avenidas Sete de Setembro, Iguaçu e Anita Garibaldi;
  • Nos bairros Barreirinha e Santa Felicidade (aproveite para se deliciar com a comida italiana!);
Bairro Santa Felicidade
  • Nas ruas General Carneiro, João Gava e Pasteur.

Mas não perca tempo! A floração dura no máximo 30 dias. Dentro desse tempo as flores se abrem, ostentam beleza e morrem.

Se souber de mais algum lugar para encontra-las, me conta nos comentários!

E aí, ficou com vontade de curtir o Inverno em Curitiba??? Eu já quero voltar para conhecer os lugares citados que ainda não conheci. Curitiba é esse tipo de cidade que não enjoa voltar. Fácil ir várias vezes!

Já pensou em ir para o litoral em pleno inverno?

Esse roteiro de 1 dia pelo centro histórico de Santos é uma excelente pedida para dias mais frescos!

E esse roteiro de 2 ou 3 dias pelo lado menos explorado de Ilhabela também é, pois as chances de chuva são menores!

Blogagem Coletiva

Este texto faz parte da blogagem coletiva do grupo “Viagens por Escrito” que tem como tema Destinos de Inverno. Quer mais ideias para planejar o que fazer na melhor estação do ano? Veja o que os demais blogs participantes recomendaram:

13 Comentários

  • DANIELA DE OLIVEIRA MARIN

    Ah, como eu adoro Curitiba! Tenho familia lá mas nunca tirei uma foto assim linda das cerejeiras…vou prestar mais atenção da próxima vez!!!!

  • Soraia Pereira da Silva

    Eu conheci Curitiba no verão e amei, agora preciso voltar no inverno!
    Fiquei simplesmente encantada com as cerejeiras por todo lado.

  • Cecilia

    Não sabia que havia cerejeiras rosas. Adorei saber disso. Realmente o inverno em Curitiba é demais. Quero voltar pra ver as cerejeiras também. Beijos

  • Mari Vetrone

    Bá que lindas essas cerejeiras!! Acredita que não conheço Curitiba ainda? Agora sabendo dessa maravilha florida já quero ir no inverno mesmo! Adorei!

  • PAMELA CERVANTES PIRES

    Curitiba e realmente top, estive no inverno de 2017 e fiquei apaixonada! Das vinícolas só fui em uma. Adorei essa cave, adoro espumantes… rs
    Quanto às cerejeiras e os ipês, tambem sou apaixonada apor eles! ❤
    Ótimo post!

    • barbaracortat

      Eu sabia da existência das vinícolas, mas nunca dei a devida importância. Daí qdo vi as fotos da cave me apaixonei! É a primeira que quero conhecer!

  • JUliana

    Eu não acredito que justo vc pegou calor lá? peguei um frio daquelesss, mas com sol… ufa! Fui em julho de 2013 alias… mas não peguei neve não. Na época não fiz muito passeio turistico fui pra visitar uma amiga, pretendo voltar e conhecer mais, adorei as dicas, vou tentar pegar um festival

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: