Argentina,  Mendoza,  Road Trip,  Vinhos

Valle de Uco – Dia 3 Road Trip Mendoza

31/05/2018 quinta, meu níver, o melhor até hoje!!!

O dia já estava ótimo pq eu estava em Mendoza, tava frio e eu ia comer e beber muito bem ao longo do dia. Tinha como ser ruim??? Hoje iríamos conhecer a região do Valle do Uco.

Bodega Gimenez Rilli

Acordamos novamente 7h30 naquela escuridão e fomos para a Bodega Gimenez Rilli, na região do Valle de Uco, ficava a um pouco mais de 100km do nosso ap. Nosso tour tava marcado para 10h30. Fomos curtindo o caminho, tempo meio fechadinho, com aquela cara de que ia chover o dia inteiro.

Chegamos na bodega às 10h. Coloco gorro, cachecol, luvas (tava fazendo zero grau ou menos) e saio do carro e o que achava que era uma garoa fina na verdade era neve!!!!! Sim, neve sua linda!!! Tava bem ralinha, mas quem se importa, tava nevando no meu aniversário! Tem presente melhor que esse???

Fomos recepcionados por uma deliciosa taça de espumante extra brut, que mesmo assim tava bem docinho (meu paladar já mudou tanto!), em frente a uma enorme lareira e lá fora aquela vista linda do jardim e da neve caindo!!!!!

Tour e Degustação

Depois fomos fazer a visita pelas parreiras, tanques e barris. Experimentamos 2 vinhos direto da barrica, um de uva Bonarda (novidade) e a outra era um Cabernet Franc, que ainda estou me adaptando a ela, por ser uma uva que resulta em um vinho beeem encorpado e adstringente quando jovem (um Cab Sav turbinado).

Enquanto isso, o volume de neve tava aumentando!!

Voltamos para o restaurante para degustar outros 3 vinhos. Um branco, de uva Torrontés, um Pinot Verdot e o top de linha deles (Joyas de Familia) que é um blend.

Nessa viagem eu simplesmente me apaixonei pelo Torrontés. E todos que experimentei achei deliciosos. Definitivamente iremos para Salta (terra desse varietal)!

E sim, nós fomos no ano seguinte e foi incrível!

O Pinot Verdot achei adstringente demais para meu gosto, precisava de mais tempo de garrafa e de um pouco mais de aeração, naquele estágio. O Joyas da Familia, blend de 5 uvas, ainda não estava no melhor momento para tomá-lo, mas já estava muito interessante. Daqui dois anos estará incrível!

Ponto negativo: fomos servidos e abandonados à própria sorte, sem nenhuma explicação ou dica. Ponto positivo: As garrafas ficaram na mesa e pudemos apreciar os vinhos enquanto víamos a neve caindo lá fora!

Decidimos levar duas garrafas do Joyas da Familia (apenas 600 garrafas por safra, tivemos que garantir as nossas) e uma do espumante. Demos uma volta pela bodega ao fim do tour, mas a segunda parada ficava um pouco distante, então não podíamos nos prolongar muito.

Veredito

O ambiente é muito bonito e agradável, os vinhos são muito bons e exclusivos, mas não gostei do tour. Faltaram explicações sobre cada vinho. Talvez o almoço seja melhor.

Valor do tour: 250 pesos por pessoa, mais os vinhos.

E a neve continuava!

No caminho para a próxima bodega a neve foi só aumentando. O maps ainda fez um caminho bizarro e acabamos passando por uma estrada de terra que só deixou tudo ainda mais lindo com a neve já se acumulando.

Google maps fazendo caminhos bizarros?? Aconteceu isso na nossa road trip por Minas também!!!

Eu tava em êxtase. Paramos para tirar fotinhos, filmar. Coisa de gente que só tinha visto neve caindo outras duas vezes na vida, mas era a primeira que podia curti-la (Cenas dos capítulos da primeira ida ao Chile e ao Japão!).

Bodega La Azul

Chegamos então na Bodega La Azul, o lugar já é lindo, aconchegante, aquele ar de interior, casa de vó. O cheiro tava delicioso, estavam assando nossa comida na churrasqueira do lado de fora.

Sentamos numa mesa perto da janela, vendo a neve cair e esperamos pela melhor experiência da viagem inteira. Foi um almoço de 5 passos harmonizados com vinhos da casa (mais pro lado Boteco da força).

Almoço de 5 passos

Fomos atendidos pelo Diego, super gente boa, que nos trouxe para começar um vinho branco Sauvignon Blanc 2017 e nos deu as opções de pratos principais, eram uns 3 ou 4, escolhemos o lombo de porco. Na mesa tinham uns pãezinhos quentinhos, recém assados na churrasqueira, e um patê de berinjela deliciosos. Depois veio uma sopinha com carne de porco super saborosa.

Então trocamos para um Malbec 2017 de entrada. Não passa por barrica, você sente só o gosto da uva. Que vinho espetacular para um vinho tão jovem! Este foi harmonizado com um sanduichinho de linguiça delicioso (o famoso choripan).

Em seguida veio um Cabernet Sauvignon 2017, tb de entrada, só o gosto original do varietal, outro vinho jovem espetacular. Não sou muito chegada em Cabernet Sauvignon, mas esse tava demais, inclusive melhor que o Malbec (não acredito que disse isso!!). Ele foi harmonizado com uma empanada de carne também deliciosa.

Vá preparado para rolar!!

Pedimos para dar uma paradinha no almoço. Queríamos apreciar os vinhos que estavam na mesa ainda (também deixaram as garrafas) e, principalmente, fazer um pouco de digestão! Ficamos batendo papo com uns brasileiros que estavam na mesa ao lado, observando a neve, curtindo aqueles vinhos maravilhosos, que eram só os vinhos de entrada!

Depois de um tempinho, vieram os porcossauros!!!! O prato era ultra mega bem servido. Um pedaço de carne enorme (meio quilo, pelo menos) e um purê de batata doce deliciosos harmonizados com um Reserva 2015, blend de Malbec e Cabernet Sauvignon, incrível. Meu, tô morrendo aqui de lembrar dos pratos e vinhos!!!

E como a gente tava rolando pouco, vieram as sobremesas. Eram umas 4 opções também e escolhemos o cheesecake e o crepe de doce de leite, acompanhados do mesmo reserva do prato principal, com direito a velinha e parabéns!!!! Aqui eles gostam de tomar tinto com sobremesa.

Tour pela bodega

Depois disso continuamos bebendo nossos deliciosos vinhos quando nos chamaram para o tour pela bodega com nada mais nada menos que o dono da bodega!!!! Não tem coisa melhor que conversar diretamente com quem idealizou tudo aquilo! Experimentamos mais um vinho diretamente da barrica, se não me engano era o Syrah Gran Reserva, que ainda precisava de mais um ano para ficar pronto, mas já estava bem gostoso. Foram as garrafas que escolhemos para levar para casa.

Depois do tour, que foi super divertido, com um grupo maior de brasileiros, todos já meio altos, voltamos ao restaurante, continuamos a beber as garrafas que deixaram pra gente. Já eram mais de 16h e tínhamos perdido o horário das duas opções que tínhamos após a La Azul. Mas não nos arrependemos nem um pouco.

Veredito

Foi uma tarde deliciosa em todos os sentidos, aquele grupo imbatível de comida maravilhosa, pessoas divertidas, vinhos incríveis e frio com neve!! O ambiente também era uma delícia. Recomendo e voltarei todas as vezes que for a Mendoza, inclusive foi essa bodega que escolhemos para nos hospedar da próxima vez!

Me arrependi de não ter comprado mais vinhos, no entanto já não tínhamos mais dinheiro. Saímos zerados de lá! Tivemos que pagar parte da conta com cartão de crédito. Mas valeu cada IOF! Choramos pro Diego e ganhamos um reserva na faixa com as duas de Gran Reserva!

Almoço de 5 passos com vinhos e tour: 900 pesos.

E agora?

Bem bêbada, meio sem rumo, sem mais nada planejado, começamos a fazer o caminho de volta, mas tava nevando tanto que a gente decidiu curtir a neve. Demos meia volta, escolhi um ponto no google maps, que apontava uma estradinha bem ao pé das cordilheiras e para lá rumamos.

Acertamos em cheio!! Conforme a gente se aproximava das cordilheiras, mais nevava, mais lindo ficava e mais eu chorava (esses bêbados!!!). Chegamos numa estradinha de terra e continuamos totalmente sem rumo até que chegamos numa espécie de parque, simplesmente maravilhoso!

Ficamos naquele lugar por um tempo, voamos com o tub, tiramos várias fotos (todas com os dentes bem roxos) e decidimos voltar para o centro por volta das 17h30-18h antes de escurecer, afinal nunca havíamos dirigido na neve, imagina no escuro (o sol se põe por volta das 18h30 nessa época por lá).

A estrada estava branquinha e a gente tentava manter o carro nas faixas produzidas pelos outros carros. Foi uma aventura! Escureceu e chegamos no ponto da estrada que já não nevava mais. Que vontade que fiquei de passar a noite naquela região, em frente a uma lareira com uma taça de vinho na mão. Por isso irei muito me hospedar numa bodega do Valle de Uco quando formos na próxima vez a Mendoza no inverno!

Voltei em êxtase, tão feliz. Afinal, meu aniversário havia sido muito melhor que o planejado!!!

One Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: