Caribe,  Cruzeiro,  Organizando sua Viagem,  Viagem Alheia

Viagem em cruzeiro, sim ou não?

Por muito tempo tive preconceito com viagem em cruzeiro. Achava que seria algo muito monótono e que enjoaria horrores, já que enjoo até na travessia de balsa São Sebastião-Ilhabela!

No entanto, em 2017 surgiu uma promoção de um cruzeiro pelo Caribe Sul. Resolvi deixar o preconceito de lado e vivenciar essa nova experiência, mesmo não sendo a pessoa que mais gosta de praia e muito menos de calor!

Nossa escolha

A companhia elegida foi a Pullmantur. Seus navios não são gigantes e nem cheios de infraestrutura e atividades como outras companhias mais renomadas. No entanto, como seria o meu primeiro cruzeiro, não teria com o que comparar.

Nossa morada pelos próximos 7 dias!

A grande vantagem deles é que não somente havia o All Inclusive de refeições, mas também de bebidas alcoólicas, tudo embutido no preço, sem ter que pagar extras como nas outras companhias. Já que é para jacar, jaquemos com força!

Escolhemos o roteiro de 7 dias com início e fim em Curaçao e paradas nos portos de Bonaire, Aruba, Colón (Panamá) e Cartagena das Índias (Colômbia).

Mas é All Inclusive mesmo?

Como disse anteriormente, o cruzeiro já inclui todas as refeições e algumas bebidas. No entanto, não são todas as bebidas alcoólicas (por exemplo, saquê não estava incluído) e oferecem marcas inferiores nesta opção básica.

Se quiser ter direito a absolutamente tudo e marcas superiores, a Pullmantur vende uma pulseira preta, na época ao custo de U$ 70,00 por pessoa, válida por toda a duração do cruzeiro. Ela pode ser comprada juntamente com a reserva da cabine, contudo você também pode deixar para decidir no primeiro dia, quando irão oferecê-las no check in. Neste segundo caso, você pode optar por comprar para somente uma pessoa do casal, se o outro não tiver interesse nas bebidas diferenciadas.

Tinha até espumante no pacote básico. Felizes da vida!

No caso da Pullmantur a taxa de serviço do navio, que é uma espécie de gorjeta pros tripulantes, é pago juntamente com outras taxas, como as portuárias. Por isso não há necessidade de dar gorjetas extras, não é a praxe nessa companhia. A não ser que queira agradecer a alguém em especial (tipo o bartender).

Como é a dinâmica de viagem em cruzeiro?

Atividades

Seja qual foi a companhia que você escolher, dentro do seu pacote estarão incluídas diversas atividades gratuitas, como as apresentações noturnas, baladas, aulas no deck, dentre outras.

Pagar boletos e micos, para isso vivo!!!

Há também aquelas atividades pagas à parte como spa, que na minha opinião são absurdamente caras, ainda mais que pagamos em dólares.

Nos dois dias que tivemos de navegação, as atividades gratuitas (e o open bar) nos deixaram entretidos o dia todo. Não sentimos necessidade alguma de pagar por atividades extras.

Deixando todos os meus dólares no cassino! SQN!

Todos os dias deixarão na cabine um roteiro detalhado de todas as atividade de cada dia, incluindo horários do café da manhã, almoço e jantar, embarque e desembarque nos portos etc.

Festas temáticas e jantar com o capitão

Dentre as atividades, essas são as mais animadas e aguardadas. Um tema que nunca falta é a festa do branco, então não esqueça de colocar sua roupinha branca na mala.

Nosso grupo dos jantares! Prontos para a festa do branco.

O jantar com o capitão nada mais é que o jantar a la carte mas com um cardápio mais requintado. Porém, antes você poderá tirar um foto com o capitão. O traje recomendado é de gala. Dependendo do cruzeiro pode rolar uma festa à fantasia também. Consulte a companhia para saber o que levar.

Alimentação e open bar

O café da manhã e o almaço eram no estilo buffet.

O jantar era oferecido na forma de buffet mas também a la carte. Neste caso, ao reservar sua cabine, você também deverá escolher qual o horário (turno) de sua preferência para jantar. Sua mesa é reservada e será a mesma ao longo de todo o cruzeiro. Foi nesta situação que conhecemos dois casais, com idade pareando com a nossa e acabamos fazendo amizade e curtindo toda a viagem juntos!

Não é possível trocar o horário do jantar, portanto escolha bem. Mas se perder o horário, não tem problema, você ainda terá a opção do buffet.

Na minha opinião o jantar a la carte tem opções mais gostosas. Além disso, você pode conhecer pessoas legais e tornar aquele momento mais agradável. Se não se entrosar com a companhia, sempre é possível voltar ao buffet.

Fora desses horários há os bares que oferecem cerveja, vinhos, espumantes e drinks e tendas com fast food, como hamburguer, pizza, cachorro quente, dentre outros.

Em suma, não tem como passar fome, sede ou se manter sóbrio ao longo da viagem!!

Sóbrios?

Descendo nos portos

Sempre leia qual será o horário de embarque e desembarque nos portos para planejar seu roteiro do dia.

De preferência seja o primeiro a sair, para aproveitar ao máximo o tempo ali disponível, geralmente algo entre 6 e 8 horas.

NUNCA NUNCA NUNCA NUNCA NUNCA SE ATRASEM PARA VOLTAR OU FICARÃO NO LUGAR PARA TODO O SEMPRE!!!!! Evite situações desagradáveis.

Anote o telefone de apoio da companhia de cada porto, caso aconteça algo e precisem falar com o navio.

As companhias oferecem diversas opções de roteiro para cada parada:

  • Vantagens – Organização, saber que você não será deixado para trás.
  • Desvantagens – Valor, número de pessoas, roteiro engessado.

Apesar de termos optado por fazer todos os nossos passeios por conta, ainda mais depois que conhecemos os outros dois casais permitindo dividir as despesas de transporte, você pode se basear nos passeios oferecidos pela cia para escolher o seu roteiro.

No porto terão diversas pessoas oferecendo passeios, muito iguais aos oferecidos pelo navio, pela metade do preço ou até menos. Você pode tentar juntar um grupo na hora para dividir as despesas. Dependendo do lugar nem há necessidade de ir com agências, pegue um táxi/uber mesmo para fazer o percurso. SÓ NÃO SE ESQUEÇA DOS HORÁRIOS DE EMBARQUE!

Nós fizemos com agência somente no Panamá, pois saía mais barato, já que iríamos cruzar o país até o pacífico. As demais, usamos táxi.

Tem internet?

Siiiim! Mas custa mais que uma Lamborghini!!! Eles oferecem pacotes para todos os dias da sua viagem em cruzeiro, diários ou até de minutos.

Dessa forma, a melhor opção é desconecte-se! Aproveite seus dias sem internet. Depois você coloca em dia as redes sociais!

Em todos os portos a gente conseguia uma wifi só para avisarmos que estávamos vivos. Fora isso, foi um bom detox forçado!!

Fechando a conta

Na noite anterior ao final do cruzeiro, você é chamada à recepção para dar check out e deixar suas malas para que sejam desembarcadas. Por este motivo, faça uma malinha de mão com as coisas que precisará a noite e na manhã do dia seguinte.

Neste momento que você irá pagar todas as despesas extras no navio, como a pulserinha de bebidas, passeios externos, atividades internas extras, internet, dentre outras. Você poderá pagar em dinheiro ou no cartão de crédito.

Como economizar ainda mais em uma viagem em cruzeiro! Dicas de uma mão de vaca!

Além de fazer os passeios por conta, como descrevi no capítulo anterior, outra forma de enomizar é se alimentando muito bem no navio antes de descer no porto.

Nós acordávamos cedinho e tomávamos um café da manhã bem reforçado. Dessa forma, só íamos sentir fome já próximo do horário de embarcar novamente e lá dentro teríamos o fast food para matar a fome!

Também leve garrafinhas de água (tenha sempre suas opções retornáveis) e as encha no navio antes de desembarcar.

Dessa forma, a gente acabava gastando só ao comprar uma cerveja e algo para beliscar ao longo do dia, se a fome apertasse mesmo.

#FicaaDica

Vai para o Caribe? Seja viagem em cruzeiro ou não, leve bastante protetor solar. Nossa viagem durou 12 dias e, juntos, gastamos quase dois potes de protetor solar, repassando a cada 2-3 horas. O sol castiga e é muito quente. Se você ficar sem, comprar no navio vai custar muito caro.

Não esqueça também do protetor labial com fator solar, chapéu e óculos de sol.

Não esqueça de levar remédio para enjoo. Nos dias de navegação enjoei bastante, principalmente na hora do jantar, quando não tinha referência de horizonte. Não sei se foi só por causa da minha leve labirintite ou um misto de muita comida e álcool no corpo também! De qualquer forma, só Dramin na causa para me ajudar a suportar!

Se você gosta de fazer snorkelling, aconselho comprar seu kit. O valor que você pagará para alugar um kit todo dia vai custar o mesmo, se não mais, que o valor de um kit de média a boa qualidade. Dê uma pesquisada em lojas especializadas aqui no Brasil e do lugar para onde você irá viajar. Dependendo da marca que você quiser, pode sair mais barato comprar no exterior mesmo com o dólar nas alturas, ainda que existam marcas brasileiras muito boas.

O que fizemos em cada parada?

Nossa viagem em cruzeiro será dividida em posts exclusivos para cada porto. Nosso roteiro em Cartagena já saiu! Acompanhe o blog para mais novidades.

E a viagem alheia?

Contei aqui que fui incumbida de organizar a lua de mel dos nossos afilhados. Nós escolhemos uma viagem em cruzeiro também para eles, no entanto o roteiro deles iniciava e finalizava em Cartagena e com parada nos portos de Montego Bay (Jamaica), George Town (Ilhas Cayman), Puerto Limón (Costa Rica) e Colón (Panamá)

Estas foram as dicas que dei para eles, incluindo suas experiências:

Montego Bay – Jamaica

Minhas recomendações:

  • Blue Hole, um must go da Jamaica, uma lagoa azul, azul!
  • Negril Beach – uma das mais famosas da Jamaica. Lá tem uma plataforma de mais de 20 metros de onde é possível saltar e dar um mergulho na convidativa água turquesa.

Outras opções oferecidas pelo navio:

  • Tropical Beach;
  • Ocho Ríos e Rio Dunn;
  • Doctor’s Cave Beach.
Eles escolheram

Os nossos afilhados escolheram um passeio oferecido pelo navio que incluía a Doctor’s Cave e nadar com golfinhos – que sou absolutamente contra, mas falarei sobre isso em um post à parte

Se quiser saber um pouco sobre minha opinião, escrevi um texto explicando o porquê sou contra. Tem também alguns argumentos também nos destaques do meu Instagram.

Compramos o passeio no navio, então já saímos pela manhã e fomos direto para o ônibus. Seguimos para o local do nado com golfinhos, o qual ficava a aproximadamente 30 minutos do porto.
Os fotógrafos do aquário tiram várias fotos, e você pode ter uma delas por 40 dólares ou todas por 100 dólares.  Não compramos nenhuma.

Depois do nado, pegamos novamente o ônibus, o destino agora era uma praia conhecida como Doctor’s Cave. Pequena faixa de uma areia fina e branquinha. O mar apresentava cores de um degrade entre o azul e o verde que ficavam ainda mais fortes quando o sol batia sobre a água. Ficamos acerca de 2 horas na praia e seguimos para o ultimo destino.
Nessa hora começou a chover, mas isso não foi problema, pois a visita seria a uma loja de souveniers da cidade. Lá podiam ser encontrados desde camisetas a chaveiros e bebidas com o tema Jamaica. Olhamos os itens da loja, mas logo saímos. Fora da loja, encontramos um cidadão local muito simpático com o qual ficamos conversando um tempo. Ali ele nos confirmou a filosofia de vida do país, “Jamaica, no problem”.

Bruno e Bruna

George Town – Ilhas Cayman

Minhas recomendações:

  • Seven Miles Beach
  • Cemetery Beach
  • Boggy San Road

Outras opções oferecidas pelo navio:

  • White House Beach
  • Centro de George Town
Eles escolheram

A ideia principal era nadar com as arraias. Não compramos o passeio no navio. Isso foi muito bom, pois estávamos num grupo de 8 pessoas, o que nos possibilitou pechinchar. Pagamos quase um terço do preço que era cobrado no navio comprando com pessoas que estavam vendendo logo na saída do porto.
Um micro-ônibus seguiu até uma marina, onde pegamos um barco. Depois de 10 minutos, já podíamos avistar ao longe um círculo onde a água do mar era bem mais clara que o resto. Depois de 30 minutos no barco, chegamos ao refúgio das arraias. Um enorme banco de areia no meio do oceano. A água era de um azul sem igual. Podemos enxergar e caminhar (isso mesmo, a água batia na altura da barriga), entre as arraias que nadavam.

Subimos novamente no barco e desta vez seguimos a uma região onde o mar era mais fundo e de um tom mais escuro de azul, mas não menos bonito. Mergulhamos com máscara e conseguimos observar várias espécies de vida marinha.
Na volta das arraias, pedimos informações sobre praias para a motorista do micro-ônibus. Ela nos disse que poderia nos deixar em uma praia muito bonita, Seven Miles. Praia aberta e com mar calmo e muito bonito. Ficamos aproximadamente 40 minutos na praia, onde conseguimos tirar várias fotos, o dia estava ensolarado, o que deixou o mar mais bonito.
Estávamos a cerca de 40 minutos de caminhada do porto, mas optamos por pegar um táxi para dar tempo de comprar as lembrancinhas.

Bruno e Bruna

Puerto Limón – Costa Rica

Minhas recomendações e opções oferecidas pelo navio:

  • Parque Nacional Cahuita y Playa;
  • Flora y Fauna Salvaje en Manzanillo y Playa.
Eles escolheram

Chegamos à Costa Rica sem passeio determinado para fazermos. Encontramos vários guias vendendo diversos tipos logo no porto. Conseguimos um preço bom, pois nos juntamos a várias pessoas que estavam na mesma situação que a nossa. Enfim, escolhemos o Parque Nacional Cahuita, que ficava a aproximadamente 30 minutos de onde desembarcamos.
Combinamos o horário de retorno com o guia e seguimos para o parque. Por uma pequena contribuição de sua escolha, tinha-se acesso ao seu interior. Era muito grande e tinha uma trilha em que caminhamos, tendo a mata a nossa direita e o mar a nossa esquerda.
O dia estava parcialmente nublado, assim o mar não estava tão azul. Depois de alguns minutos de caminhada, demos alguns mergulhos e ficamos curtindo a praia. Voltamos pela mesma trilha, foi quando conseguimos ver alguns animais como crustáceos, macacos e iguanas.

Bruno e Bruna

Colón – Panamá

Assim como Cartagena, Colón também fez parte do nosso roteiro e terá um post a parte.

E aí, vale a pena?

Eu acho que fazer uma viagem em cruzeiro é bastante válida para conhecer locais mais isolados, que têm passagens aéreas muito caras, como para conhecer as ilhas menores do Caribe, ilhas gregas.

Mas fazer um cruzeiro que passa por grandes cidades, com uma variedade enorme de lugares para conhecer, eu não recomendaria.

O estilo de viagem é bem mais tranquilo. Uma boa opção para viajar com crianças e idosos ou grupos de amigos ou familiares com estilos diferentes de viagem. Dá para agradar aqueles que só querem relaxar, comer e beber e aqueles que querem turistar loucamente no dia das paradas nos portos.

Faria novamente? Com certeza. Para conhecer outros países do Caribe. Mas definitivamente não é algo para todo ano. Talvez a cada cinco anos, afinal, tenho que preparar o fígado e a balança para esses dias de vida loka!

6 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: