Roteiro de 2 dias em São Bento do Sapucaí – SP

Localizada em meio à linda Serra da Mantiqueira, São Bento do Sapucaí é mais conhecida por abrigar a famosa Pedra do Baú, um dos cartões postais mais conhecidos do estado de São Paulo.

São Bento do Sapucaí é uma cidadezinha com cerca de 11 mil habitantes, situada na divisa entre os estados de São Paulo e Minas Gerais, distante cerca de 200 km da capital paulista, 300 km do Rio de Janeiro e apenas 33 km da badalada vizinha Campos do Jordão.

Belvedere do Serrano São Bento do Sapucaí

Ainda que as principais atividades em São Bento de Sapucaí sejam mais voltadas para o ecoturismo, a cidade também é uma excelente opção para quem procura sossego e friozinho, até mesmo durante o verão, quando é possível curtir noites mais frescas!

Só para exemplificar, nós estivemos na cidade em outubro de 2020 e pegamos cerca de 10°C à noite! Um convite para um vinho com fondue em frente à fogueira!

Onde se hospedar em São Bento do Sapucaí

Há opções para todos os gostos e bolsos na cidade, mas a nossa escolha foi o Camping do Filho Amado.

O camping está localizado a 6 quilômetros do centro de São Bento do Sapucaí, em uma área bem tranquila, porém com acesso por estrada asfaltada e próximo a um minimercado.

A área do camping é pequena, mas bem completinha. No local há pontos de energia, dois banheiros (chuveiro, vaso e pia separados), cozinha compartilhada e wifi. E não podemos esquecer da vista maravilhosa, que nos abraça, da Serra da Mantiqueira!

Ah! Uma grande vantagem do Camping do Filho Amado é que carretinhas e barracas de teto são bem-vindas, algo ainda não muito comum no Brasil.

Roteiro de 2 dias em São Bento do Sapucaí

Dia 1

Opção 1 – Ecoturismo – Complexo da Pedra do Baú

O Complexo da Pedra do Baú é um conjunto de rochas composto pela Pedra do Baú, Bauzinho e Ana Chata localizado dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) Sapucaí-Mirim.

O acesso se dá parte por estrada asfaltada e parte por estrada não pavimentada, um trecho de cerca de 6km de extensão até a entrada do Monumento Natural (MoNa).

No caminho para o MoNa você pode fazer umas paradinhas:

  • Mirante do Vale Paiol Grande;
  • Cachoeira dos Amores – fácil acesso e com entrada paga. Funciona de quarta a domingo das 8 às 17h;
  • Cachoeira Toldi – é possível avistá-la de um mirante na beira da estrada ou fazer a trilha que inicia no mesmo local.

Nós não fizemos essa trilha ainda. Pelo que li é de nível fácil, porém o trecho de ida é em aclive. Também li que ao chegar em um portãozinho em madeira é para seguir para a direita!

O que fazer no MoNa

O complexo é um prato cheio para os praticantes de escalada, pois são ao menos 30 vias de escalada com diversos graus de complexidade técnica e dificuldade.

Mas calma, não é preciso ser um expert para curtir o local. São três opções principais de trilha, com nível crescente de dificuldade:

  • Trilha do Bauzinho – trilha de nível fácil, com apenas 235 metros de extensão, cada trecho. De lá se tem vista da Pedra do Baú e de São Bento de Sapucaí;
  • Trilha Ana Chata – trilha de nível moderado, com 1,83 km de extensão até o topo, a 1770m de altitude;
  • Trilha do Baú (via Ferrata) – trilha de nível difícil, com 1,79 km de extensão. A trilha é feita parte em meio à mata e o trecho final, da subida da pedra, são 320 degraus de pura emoção para chegar ao topo da Pedra do Baú, a 1950 metros de altitude.

Para a trilha do Baú recomenda-se o acompanhamento de guia experiente e é obrigatório o uso de equipamentos de segurança. No site da prefeitura tem uma lista de agências e guias credenciados.

Além das trilhas e escaladas, você também pode fazer rapel e voo livre no Complexo da Pedra do Baú.

Informações importantes

– O MoNa Pedra do Baú possui três entradas:

  • Portaria do parque (Bauzinho);
  • Restaurante Pedra do Baú;
  • Estacionamento Chico Bento (Graminha).

– É cobrada uma taxa de Conservação Ambiental, no valor de R$ 10,00 por pessoa, que deve ser paga em dinheiro;

– Horário de funcionamento:

  • Portaria – 9h às 17h;
  • Restaurante Pedra do Baú e Estacionamento Chico Bento – 8 às 17h.

– Para quem vai fazer a trilha da Ana Chata e/ou da Pedra do Baú, só é permitido inicia-las até 14h;

– A saída do parque será obrigatoriamente até 17h em qualquer situação;

– Para fazer as trilhas da Ana Chata e da Pedra do Baú é obrigatório agendamento prévio pelo site.

Opção 2 – MoNa e Entre Vilas

Não quer trilhar o dia todo? Você pode reservar a manhã para conhecer o Complexo do Baú e a parte da tarde para o Entre Vilas, onde há um restaurante, vinícola e frutopia.

O restaurante Entre Vilas trabalha com o conceito de slow food. O cardápio é servido em 6 tempos, entre 13 e 15h, ao valor de R$ 210,00 por pessoa.

Já a vinícola produz vinhos artesanais desde 2008 utilizando as uvas ali mesmo cultivadas, a 1600 metros de altitude. Dentre as castas estão Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Shiraz, Malbec e Pinot Noir.

A Frutopia é um viveiro especializado no cultivo de frutas vermelhas, em especial framboesas, mas também de lúpulo, uma das únicas plantações do Brasil!

O local é aberto para visitação de quarta a domingo das 13 às 17h, mas para viver a experiência gastronômica, que ocorre de sexta a domingo, você deve efetuar reserva com antecedência pelo telefone (12) 99745-9897.

Opção 3 – Pedra do Jair

Uma terceira opção para esse dia, que foi a que fizemos, é fazer a Trilha da Pedra do Jair, que fica no município vizinho de Sapucaí Mirim, sobre a qual já tem post completinho aqui no blog!

Na volta aproveitamos para parar no Belvedere do Serrano e na Cachoeira do Tobogã, localizados próximo ao nosso camping, de onde se tem uma vista incrível da cidade e do complexo do Baú.

Finalize o dia jantando no centro de São Bento do Sapucaí ou, caso esteja acampando, se reúna com a galera em torno de uma churrasqueira!

R.C.S Vinhos

Um restaurante que indico para jantar, mas não para almoçar, é o R.C.S Vinhos Finos.

RCS Vinhos São Bento do Sapucaí

O cardápio tem boas opções de pratos regionais feitos com ingredientes frescos. Abre de quinta a segunda para o almoço (12 às 15h) e jantar (18h às 22h).

Nós tivemos duas experiências distintas neste restaurante. Fomos jantar na sexta e almoçar no domingo.

No jantar fomos muito bem atendidos, os pedidos vieram rapidamente, comida muito gostosa e preço justo. Não estava cheio, devia estar com 50% da capacidade.

Por outro lado, no almoço… foram 2 horas para receber nosso pedido com atendimento confuso e mal-humorado. Ao menos a comida estava gostosa e nossos pratos foram servidos juntos.

Em contraste com algumas mesas próximas que receberam os pratos separados, alguns com muitos minutos de diferença, a ponto da pessoa já ter terminado de comer quando chegaram os demais.

Isso para mim é inadmissível. Se não consegue dar conta de todos os pedidos com o restaurante 100% ocupado, então diminua o número de mesas ao invés de deixar os clientes com fome e servi-los separadamente.

Assim, recomendo o restaurante pela qualidade da comida, porém com ressalvas em relação ao atendimento.

Dia 2 – Cultura e gastronomia

Centro de São Bento do Sapucaí

Sugiro começar o dia pelo centrinho da cidade:

Igreja Matriz – construída em taipa com madeira de lei, utilizando mão de obra escrava, é datada de 1853. Aberta de terça a sábado das 8 às 17h e domingo das 7 às 19h.

Igreja Matriz São Bento do Sapucaí

Capelinhas de mosaicos – estas capelinhas são uma antiga tradição dos moradores da região que homenageavam entes queridos falecidos construindo pequenas capelas. Em 2008, os artistas Ângelo Milani e Claudia Villar resolveram revitalizar duas dessas capelinhas.

Localização:

  • Mosaico I – Rua Treze de Maio, 217;
  • Mosaico II – Av. Sebastião de Mello Mendes, s/nº (próximo ao Paço Municipal).

Outros mosaicos:

  • Muros da Escola Estadual Dr. Genésio Cândido Pereira (Rua Abade Pedrosa e Av. Conselheiro Rodrigues Alves);
  • Recanto São Benedito (Estr. Municipal Joaquim da Costa Manso, 920);
  • Casa da Cultura Prof. Miguel Reale (Rua Sargento José Lourenço).
Mural de mosaicos Escola Estadual Dr. Genésio Cândido Pereira - São Bento do Sapucaí
Muros da escola

Mirante do Cruzeiro – localizado bem no centro da cidade, do alto do mirante se tem uma vista da cidade e das montanhas do sul de Minas.

Letreiro da cidade – situado na Praça General Marcondes Salgado.

Letreiro São Bento do Sapucaí

Bairro do Quilombo

Saindo do centro, o Bairro do Quilombo é onde ocorre a tradicional Congada de São Benedito ou da Dona Luzia, uma tradição cultural passada por várias gerações de descendentes de escravos.

Para quem gosta de artesanato local, neste bairro estão localizados dois importantes espaços de arte:

  • Atelier Ditinho Joana – o escultor tem como principal característica registrar a comunidade rural. Sua marca registrada são as esculturas de botinas velhas, que simbolizam o homem do campo. Aberto todos os dias das 8 às 17h;
  • Arte no Quilombo – o espaço reúne o trabalho de mais de 70 artesãos da região e tem como objetivo preservar a cultura quilombola. Os trabalhos são feitos utilizando materiais naturais, como palha de bananeira, palha de milho, madeira, argila e fibras. Aberto de terça a domingo das 10 às 18h.

No bairro você encontra também:

  • Museu da Revolução de 1932;
  • Museu do Carro de Boi Quim Costa.

Para finalizar o dia – Oliq

A Oliq produz, artesanalmente, azeites extra virgens a partir dos frutos de oliveiras ali cultivadas. Eles oferecem visitas guiadas, passando pelas plantações, explicando todo o processo de colheita e de produção finalizando com degustação de azeites.

O local está aberto de quinta a segunda das 10 às 17h e as visitas guiadas, que devem ser agendadas, ocorrem de hora em hora entre 10 e 15h ao custo de R$ 35,00.

Além disso, desde 2020 funciona ali também um restaurante contemporâneo com cardápio inspirado na comida regional, utilizando ingredientes frescos locais. Atendimento somente com reserva antecipada.

Nossa experiência

Decidimos de última hora visitar a Oliq, que dista cerca de 16km do centro de São Bento do Sapucaí. O local é muito agradável, com uma construção contemporânea e lindas vistas da serra da Mantiqueira.

Para nossa sorte, conseguimos fazer a visita guiada sem reserva. Fomos acompanhados por uma guia recém contratada, que não soube responder muitas de nossas dúvidas.

Na hora da degustação, para nossa surpresa, nos serviram somente um kit degustação, sendo que nosso grupo era composto por 4 pessoas.

Antes de iniciarmos a visita, vimos no cardápio que havia a opção de pedir somente o kit degustação, no mesmo valor da visita guiada à época, que servia 2 pessoas.

Reclamamos com o gerente, que disse que foi um erro. A cada casal deveria ter sido servido um kit degustação, composto por uma alíquota de cada azeite ali produzido e pedacinhos de pão.

Ao final, passamos na lojinha que, além de azeites, também vendia outros produtos locais como café, geleias, doces e produtos de higiene.

Achei o valor da visita guiada caro pelo que nos foi oferecido, não recomendo. No entanto, ainda assim indico uma visita ao local, mesmo que não consiga reserva no restaurante. É possível sentar em umas das mesas externas para curtir a vista acompanhado de gostosos petiscos e uma bebida.

Roteiros de viagem

Veja estas outras sugestões de roteiros de viagens das meninas do grupo “Viagens por Escrito”:

4 Comentários

  • Jeanine Carpani

    Eu adoro ler seus posts, Barbara! Eles não só apresentam os locais, mas a experiência como um todo. E isso é muito válido. Ainda não tive a oportunidade de conhecer São Bento do Sapucaí. tão pertinho de Campos do Jordão! Mas fiquei com vontade, principalmente de ver de pertinho as capelinhas de mosaicos. Que charme!

  • Luciana

    Morei tantos anos em SP e hoje vejo quantas cidades, próxima à capital, perdi a chance de conhecer. Sao Bento do Sapucai é uma delas rsrs. Achei a igrejinha com mosaicos linda e fiquei com vontade de conhecer o restaurante Mona. Ah… e aprendi o que é frutopia rsrsrsr

  • Elizabeth

    Nossa! Como São Bento do Sapucaí mudou e se desenvolveu! Eu fui há anos e não tive coragem de subir a Pedra do Baú por estava sem equipamentos de segurança e subi a Pedra do Bauzinho. Amei tb! A vista é muito linda!
    Agora esse local que produz azeite é muuuuito legal hein! Eu já tinha ouvido falar e não conheci ninguém que tivesse ido! Amei suas dicas, vou me programar pra voltar

  • Mari Vetrone

    Bá, que delícia de roteiro! Preciso mesmo conhecer essa região de São Bento do Sapucaí. Morro de vontade de fazer a trilha da Pedra do Baú, mas não sei se tenho pique! rs Talvez valha mais a pena ficar nas degustações no meu caso! hahahah Mas adorei tudo, quero muito ir! Beijão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: