Porque não gostei de visitar as Pirâmides de Gizé

Visitar o complexo das pirâmides de Gizé é ponto obrigatório em qualquer roteiro pelo Egito, no entanto já aviso que a experiência pode ser um pouco estressante, pra dizer o mínimo.

Mas antes de narrar nossos perrengues bárbaros:

Necrópole de Gizé

A Necrópole de Gizé, mais conhecida como “Pirâmides de Gizé”, é um sítio arqueológico localizado na cidade de Gizé, cerca de 18 km do centro de Cairo (mas ainda na região metropolitana), na qual encontramos os complexos das três grandes pirâmides, a Grande Esfinge, cemitérios, além de uma antiga vila operária e um complexo industrial.

Complexo das Pirâmides de Gizé

As estrelas da Necrópole são a Grande Pirâmide, ou Pirâmide de Quéops, a Pirâmide de Quéfren, a Pirâmide de Miquerinos, todos reis da 4ª dinastia do Egito Antigo, além da Grande Esfinge.

Para os egípcios, as pirâmides representavam os raios de sol que levariam o faraó, personificação dos deuses na terra, a se unir ao deus do sol Rá, quando tomariam seu local de direito entre os deuses.

A Grande Pirâmide

Originalmente com quase 147 metros de altura (hoje com cerca de 139 metros, pois perdeu parte do seu revestimento externo), e 230 metros de lado, acredita-se que foi concluída por volta de 2550 a.C.

A obra teria durado cerca de 20 anos, envolvendo mais de 20 mil trabalhadores na construção do túmulo do Faraó Quéops.

Grande Pirâmide

Curiosidades:

  • Somente ela é uma das 7 maravilhas do mundo antigo. Suas irmãs menores não fazem parte da lista.
  • Em geral, as pirâmides do Egito possuem somente uma entrada, sempre do lado norte. No entanto, a grande pirâmide possui duas entradas. Isso porque o Chalifa Al Ma’amoun abriu uma outra entrada logo abaixo da entrada original, pois esta se encontrava escondida sob o revestimento externo.

Atualmente essa segunda entrada é utilizada para acesso ao interior da pirâmide.

Pirâmide de Quéfren

Única que ainda conserva um remanescente do seu revestimento de calcário branco na parte superior, foi construída para enterrar Quéfren, filho de Quéops, por volta de 2520 a.C.

Por conta da ponta ainda revestida, atualmente é mais alta que a grande Pirâmide, com 143 metros de altura.

Apesar de aparentar ser maior que a de Quéops, impressão dada também pelo fato de estar construída em um ponto do terreno que é cerca de 10 metros mais alto, ela possui 216 metros de lado. Logo, possui um volume menor que a primeira.

Pirâmides de Gizé

Pirâmide de Miquerinos

Possuía cerca de 66 metros de altura quando foi construída para enterrar Miquerinos, neto de Quéops. Atualmente está com 61 metros, face à remoção de seu revestimento externo, e 109 metros de lado. Acredita-se que foi concluída em 2490 a.C.

Pirâmides de Quéfren e Miquerinos
Pirâmides de Quéfren e Miquerinos. Esta parece tão pequena deste ângulo!

PS: Os revestimentos externos das Pirâmides de Gizé foram perdidos, principalmente, por terem sido utilizados na construção de outras edificações no Cairo. Além disso, todas foram alvo de vândalos e furtos ao longo dos séculos.

Grande Esfinge

Tão famosa quanto as Pirâmides de Gizé, a grande esfinge possui 73 metros de comprimento, 19 de largura e 20 metros de altura, sendo a maior estátua do mundo esculpida em apenas um bloco de rocha.

A teoria mais aceita é de que teria sido esculpida para o Faraó Quéfren, por volta de 2500 a.C. para servir como guardiã do Necrotério de Gizé.

Grande Esfinge

Como chegar às Pirâmides de Gizé

O complexo das Pirâmides possui duas entradas:

  • Perto da Grande Pirâmide, próximo ao Hotel Marriott House;
  • Próxima à Esfinge, em frente a um KFC.

Se puder, opte pela segunda opção, pois é mais vazia.

Transporte público – opção mais barata

Ônibus

Ônibus 355 e 357 – você pode pegá-los na rua atrás do Museu Egípcio ou na Praça Tahrir. A parada mais próxima das pirâmides fica na Al Mansoureya Road. As passagens custam entre LE 2 e 3,5.

Metrô + minivan, ônibus, uber ou táxi

Linha 2 do metrô até a estação Giza ou Omm El-Misryeen e de lá pegar uma minivan (tem várias na saída da estação), os ônibus 900 ou 997, táxi ou Uber até as pirâmides (melhor forma de dizer onde quer ir é fazendo sinal de pirâmide com as mãos – mímica é linguagem universal!).

A parada mais próxima é Haram Mashaal na Al-Haram Road. As passagens de metro e da minivan custam LE 2 cada.

Uber/táxi

Uber costuma ser um pouco mais caro que taxis no Egito, porém você não precisará negociar os valores e nem fazer mímica para dizer onde quer ir. Sem contar que a chance de aborrecimento é bem menor (não que isso não possa acontecer, aconteceu com a gente…)

Custo da corrida de táxi em torno de LE 40 e de Uber, LE 60, saindo do centro de Cairo.

Complexo das Pirâmides de Gizé

Contratar um motorista com ou sem guia

Peça uma indicação no seu hotel de um motorista para te levar até as pirâmides. Esta opção vale mais a pena se você quiser conhecer também Saqqara e Memphis.

O valor do motorista para um dia todo custa em torno dos $50. Com guia falando inglês, acrescente uns 10-20 dólares (português costuma ser mais caro). Esse valor é por motorista/carro/guia, não por pessoa.

Tours com agências

Em geral os tours em grupo com agências já incluem Saqqara e Memphis, podem incluir ingressos, dentre outros, e sempre haverá um guia acompanhando.

Ingressos para visitar as Pirâmides de Gizé

Não há necessidade de comprar ingressos com antecedência, a não ser que queira visitar o interior da Grande Pirâmide na alta temporada. Para esta, são emitidos somente 300 ingressos por dia, mas mesmo assim, caso chegue cedo, há grande chance de conseguir comprá-los na hora.

Não há um site oficial, somente sites terceirizados para comprar ingressos com antecedência. Então espero um valor mais caro que comprar direto na bilheteria.

São oferecidos dois tipos de ingressos para entrada na área do complexo das Pirâmides de Gizé (valores em 06/2022):

  • Ticket básico – LE 240. Visitação somente externa aos monumentos;
  • Ticket abrangente – LE 600. Além da entrada à área do complexo, também inclui entrada na Grande Pirâmide e no Museu da Barca Solar.

Também há tickets para entrada em cada uma das atrações, que devem ser comprados além do ticket básico (valores em 02/2022):

  • Grande Pirâmide – LE 400;
  • Pirâmide de Quéfren ou Pirâmide de Miquerinos – LE 100;
  • Museu da Barca Solar – LE 100.

Um outro tipo de ticket oferecido é para o Show de Luzes e Som, ao custo de LE 300 (valor em 02/2022).

Durante a apresentação é contada a história dos 3 faraós, Quéops, Quéfren e Miquerinos, da construção das pirâmides, dentre outras, enquanto os monumentos são iluminados. São duas apresentações por dia, às 19h30 e 20h30 em 10 idiomas diferentes.

Quer economizar essa grana sem deixar de ver o show? Faça como a gente e se hospede em um lugar em frente ao complexo e assista de camarote no conforto da sua hospedagem (saiba mais em Hospedagem no Egito)!

Show de luzes e som do camarote!

PS: De qualquer forma, confirme estas opções e valores antes de ir, que podem já estar desatualizados.

Horário de funcionamento:

  • Abril a setembro – 8 às 17h, última entrada às 16h;
  • Outubro a março – 8 às 16h, última entrada às 15h.

Nossa experiência visitando o complexo das Pirâmides de Gizé

Como queríamos visitar também Saqqara e Memphis, acabamos decidindo contratar um motorista por um dia para nos levar a todos esses pontos.

Fechamos no próprio hostel (assim como todos os outros passeios – leia mais em Roteiro por conta própria no Egito) por U$ 50 sem guia mesmo, pois queríamos ter liberdade de passear, ficar mais tempo nos spots mais tranquilos para fotografar, sem ser apressados.

Nosso motorista era um fofo, porém não falava quase nada de inglês. Ele tinha no carro diversos materiais, incluindo um livro incrível com detalhes dos 3 complexos que visitaríamos, que fiquei lendo durante o deslocamento.

Iniciamos o dia em Saqqara, depois fomos para Memphis e antes de seguirmos para Gizé, paramos para almoçar um sanduíche de falafel maravilhoso de um lugar que só tinham locais comendo. Detalhe: nosso motorista pagou pelos sanduíches e não nos deixou restituí-lo!

Sanduíches de falafel. O segundo ainda estava acompanhado de uma conserva apimentada divina de berinjela!

Fica a dica

Nós estávamos hospedados praticamente dentro do complexo das Pirâmides de Gizé, a cerca de 100 metros da bilheteria próxima à Esfinge.

A gente deveria ter iniciado o dia por ali mesmo, quando o sol estava menos forte e tinha menos gente (turistas e vendedores), e ter contratado um motorista (ou verificado a possibilidade de ir de uber) só para nos levar até Saqqara e Memphis, que ficam fora de mão.

Complexo das Pirâmides de Gizé
Podia ter ficado mais tempo com o gato também se tivesse invertido a ordem!

Teríamos aproveitado melhor o dia, economizado um pouco e, talvez, nos estressado menos.

Fazer na ordem cronológica, como fizemos, é legal para ver a evolução na engenharia que culminou na Grande Pirâmide. Mas pensando na logística e, caso você também esteja hospedado perto das Pirâmides de Gizé, vale mais a pena começar por elas.

Entrar ou não na Grande Pirâmide

Não há nada para se ver lá dentro. Tudo já foi saqueado ou levado aos museus.

Conversando com o pessoal do hostel, nos disseram que entrar nas pirâmides de Saqqara seria mais interessante, pois há ainda muitas inscrições nas paredes em ótimo estado de conservação, não precisa pagar ingresso a parte e ainda tem bem menos gente.

De fato, essa experiência foi o ponto alto do nosso dia.

Chegamos ao complexo por volta das 13h. Nosso motorista nos perguntou se queríamos passar numa loja de papiros que ficava próxima. Como já havíamos caído em golpe semelhante na Turquia, falamos que passávamos depois. Ufa, nos livramos de um!

Complexo das Pirâmides de Gizé

Golpe das lojas

No Egito é muito comum os passeios guiados incluírem uma visita a alguma loja de papiros, tapetes, essências, temperos que os guias vendem como se fosse o achado, o melhor lugar do mundo para comprar essas coisas.

Em geral você até pode confiar na autenticidade do produto (apesar de já ter ouvido relatos de pessoas que compraram gato por lebre nesses lugares), mas você pagará ao menos 5x a mais.

O golpe é o mesmo, seja qual for o lugar. Chegando ao local, sempre tem um vendedor que fala sua língua ou algo próximo (portunhol), que te serve chazinho, comidinhas, te leva num lugar fresco para sentar, te mostra a loja inteira, enaltecendo o produto dele.

Você se empolga, se interessa por várias coisas até que na hora que vai ver a conta (geralmente em moedas fortes, não em libras egípcias) percebe que terá que vender um rim para pagar. Constrangido de não levar nada, afinal o vendedor te mimou, foi super atencioso, você se sente meio que na obrigação de comprar algo.

Além do custo altíssimo, você perde um tempo precioso do seu dia. Na minha opinião não vale a pena. Se você quer comprar essas coisas, reserve um dia para isso e vá ao Khan el Khalili.

Golpe do camelo

O segundo do dia golpe foi que nosso motorista nos levou direito a um estabelecimento que vendia passeio em camelos e cavalos, ao invés de nos deixar direto na bilheteria. E porque isso seria um golpe?

Grande Pirâmide
Esse aí foi 1 dos 10 milhões que encheram nosso saco.

Primeiro porque fechar fora do complexo você paga de 2 a 3 vezes mais que fechar lá dentro, parte por causa da comissão do motorista/guia.

Segundo, porque ele vende uma história de que tudo é muito longe, que não tem como fazer a pé, só de camelo e com guia.  Não caia nessa. Se você está acostumado a caminhar, não terá nenhum problema. E não, não precisa de guia.

Nós andamos o complexo inteiro, o que deu um pouco mais de 8km. Para nós é praticamente nada, pois costumamos caminhar em média de 20km por dia em nossas viagens.

Ah! Só use um sapato sabidamente confortável e que aguente longas caminhadas. Eu estava com um sapato confortável, mas nunca o tinha usado em longas caminhadas. Consequência: o atrito na traseira fez meus dois calcanhares ficaram em carne viva. Ao fim do dia mal conseguia andar de tanta dor que sentia no local das feridas.

Complexo das Pirâmides de Gizé
Pareço plena mas aqui já estava com os dois calcanhares em carne viva. Ainda assim, estava caminhando super rápido pois precisava mais que tudo chegar em um banheiro.

Agora se você tem dificuldade de locomoção, está com idosos, crianças, neste caso é aconselhável. Contudo, fica a dica de que automóveis podem entrar no complexo (verifique com seu motorista/guia antes de fechar negócio), não havendo necessidade de patrocinar o turismo extremamente exploratório de animais que ocorre dentro do complexo.

Camelos e cavalos no complexo das pirâmides de Gizé

Eu sei que muitos sonham em tirar uma foto montado em um camelo junto às pirâmides. Mas se você parar só um pouquinho para observar o estado desses animais, perceberá os maus tratos que eles sofrem.

Em pouco mais de 5 minutos dentro do complexo, vimos animais sendo chicoteados sem nenhuma razão, a pele cheia de cicatrizes, sem água, alimento, trabalhando sem descanso ao longo de ao menos 7h por dia embaixo de sol quente até mesmo no inverno. Imagina no verão, quando a temperatura passa dos 40°C facilmente…

Leia sobre outros exemplos de atrações na qual ocorre exploração animal extremamente cruel.

Além dos maus tratos, os donos/vendedores são extremamente chatos, insistentes, inconvenientes e golpistas.

Ao longo de 3h tivemos paz somente quando estávamos num ponto mais distante, onde só tinham vendedores já com clientes.

A cada passo que a gente dava, vinha uma pessoa oferecendo passeios em camelos, cavalos, carroças. A gente dizia “La, Shukran” (não, obrigado (a)) e ao invés de nos deixar em paz, nos seguiam tagarelando. Uma hora a gente desistia de responder e ignorava, quando então eles ficavam bravos, claramente nos insultando.

Pirâmides de Gizé
Finalmente paz!

Li vários relatos sobre esse assédio, já passamos por situações semelhantes em outros países e até mesmo aqui no Brasil (saída do Elevador Lacerda em Salvador, por exemplo), mas absolutamente nada do que foi lido e vivenciado pela gente nos preparou para o Egito. Foi muito pior do que a gente havia imaginado e se preparado.

Continuando com o golpe do camelo

Pessoas que optaram por conhecer o complexo em camelos/cavalos eram conduzidos a locais bem afastados, quando então eram extorquidos para serem levados de volta.

Pessoas que só queriam uma foto com o camelo, o vendedor dava um preço para tirar foto com o camelo sentado, quando então ele fazia o camelo se levantar, sem você pedir. Você fica mega feliz, achando que era bondade do cara que ao final te cobra o dobro para mandar o camelo abaixar.

Outro golpe muito comum é que, ao oferecer o passeio, ele te fala um valor, mas sem dizer em qual moeda. Achando que é em libras egípcias, parece até barato quando ele cobra 100, 200. Você curte o passeio e quando vai pagar ele solta um: não, são 100, 200 dólares, euros ou libras esterlinas.

Pirâmides de Gizé

Sentindo-se extremamente encurralado e ameaçado nessas situações e acaba caindo no golpe.

Se os maus tratos animais não te convenceram, espero que ao menos a canalhice desses vendedores te faça pensar muitas vezes antes de pagar por esse tipo de passeio.

Ah, Barbara, mas eu quero mesmo assim.

Ok, sei que muita gente só se sustenta com o dinheiro do turismo. Então ao menos verifique as condições do animal. Escolha algum que pareça minimamente bem tratado. E negocie muito bem o valor antes de iniciar o seu passeio.

Certifique-se em qual moeda deverá ser pago, o que está ou não incluído. Escrever o valor com o símbolo da moeda pode ser uma boa, para não ter erro.

Mais importante: somente pague ao final do passeio, já no chão. Há também relatos de pessoas que pagaram antes e depois quiseram cobrar novamente.

Ah! Não se sinta obrigado a pagar gorjeta, somente se ficou satisfeito com o serviço e quando estiver no ponto final acordado previamente.

Se vierem com papinho querendo mais dinheiro, seja firme. Pague o combinado e siga seu rumo.

Se não estiver com um motorista/guia para lhe ajudar neste momento de negociação, o google tradutor sempre ajuda. Não esqueça de baixar a língua árabe antes da sua viagem!

Golpe da pessoa amigável

Sim, tem mais um golpe… é muito comum alguém se oferecer para tirar uma foto sua, que quer te explicar sobre os lugares ou te ajudar de alguma forma e ao final, óbvio, pedem/exigem gorjeta. E se você não paga o que ele espera, brigam com você, você se sente novamente constrangido, ameaçado.

Ir por conta própria ou com excursão?

Isso vai depender do tipo de viajante que você é. Eu sou suspeita para falar de excursões, porque eu simplesmente não gosto. Claro que tem suas vantagens ter tudo mastigadinho e nenhuma preocupação com nada além de curtir a viagem. Mas lógico que isso vem com um custo bastante alto.

Ir por conta própria, além de você ter a liberdade de decidir onde, quando e como irá visitar cada lugar, o gasto é consideravelmente mais baixo. Contudo, percebi que isso vem com um grande contraponto no Egito: o assédio.

Pirâmides de Gizé

Ao perceberem que você está sem guia, o assédio de vendedores e locais (incluindo policiais querendo te “ajudar”) é insuportável. Se você consegue ser zen com essas coisas, não será um grande problema. Eu nem sempre consigo.

Ah, então é melhor contratar um guia

Não necessariamente. Mesmo com guia passamos por situações desagradáveis em Aswan e Luxor. O assédio até diminui, mas isso não vai te impedir de cair em golpes ou do seu guia deixar você ser abordado por pessoas escolhidas que vão te encher o saco do mesmo jeito. Experiência própria…

Isso sem contar a gorjeta que ele vai te cobrar na maior cara de pau, de forma bem inquisitiva em alguns casos, mesmo você já tendo pagado uma boa grana pelo passeio.

Não achei que perdemos nada por estar sem um guia na visita às Pirâmides de Gizé. Tivemos liberdade para caminhar livremente, sem paz infelizmente, e tirar milhões de fotos em todos os ângulos e pontos do complexo sem ninguém nos apressando para seguir.

Pirâmides de Gizé
Muito amor por essa foto!

Finalmente, respondendo à pergunta do título: Porque não gostei de visitar o complexo das Pirâmides de Gizé

  • Desorganização na hora da compra dos ingressos, com pessoas furando a fila;
  • Assédio extremo dos caça-turistas;
  • Tentativas de golpes;
  • Falta de infraestrutura:
    • Só há banheiro na entrada. Ao final do dia tava quase fazendo xixi nas calças, literalmente, que me rendeu um desconforto por algumas horas mesmo após ir ao banheiro;
    • Há raros locais, caros, onde é possível comprar algo para beber e comer. Recomendo levar água (ao menos 1,5l por pessoa) e um lanchinho;
    • Não há locais com sombra, bancos. Use chapéu, boné, sombrinha, e não esqueça do protetor solar, labial.

Mas o principal motivo foi a sujeira e o descaso total

O complexo está cheio de lixo, as pirâmides vandalizadas, não há nenhum controle para impedir as pessoas de subirem nas pirâmides, mesmo com os sinais proibitivos.

A gente paga caro pelo ingresso e o dinheiro é investido onde??? Esse patrimônio cultural e histórico está totalmente descuidado.

Foi uma quebra de encanto, uma decepção tão grande visitar o complexo. Na noite anterior eu até me emocionei quando cheguei ao hotel e dei de cara com elas.

Complexo das Pirâmides de Gizé

Meu, estava cara a cara com construções com mais de 4 mil anos de existência. Um feito incrível do ser humano. Estava em êxtase, empolgadíssima para no dia seguinte estar aos seus pés e ter ainda mais a sensação do quão grandiosas elas são.

Mas ao chegar perto, percebi que, assim como os animais, o lugar só é explorado e não cuidado, valorizado para que uma parte importante da nossa história não seja perdida. E que nós turistas, não passamos de potenciais alvos de pessoas com segundas intenções.

Outros artigos sobre o Egito

Maravilhas do mundo antigo, moderno ou da natureza

Por fim, conheça outras maravilhas do mundo pela visão dos blogueiros do grupo “Viagens por escrito”:

12 Comentários

  • Patricia

    Um post de utilidade pública. De facto depois de ler o seu post consigo perceber o porquê de não gostar de visitar as Pirâmides de Gizé. Será útil para quem for visitar em breve.

  • luciana calvo mardegan

    Adoro seu relatos, sempre verdadeiros. Ainda nao fui ao Egito por preguiça de ter que lidar com tanto assédio… mas, é uma das 7 maravilhas do mundo, ne?! Em algum momento, me renderei rs

    • barbaracortat

      Quando a gente vai ciente do que pode enfrentar, acredito que a experiência é menos traumática!
      Mas lógico que tem que ligar o namastê no nível turbo!!! Não consegui chegar a esse nível ainda!!!

  • Jeanine Carpani

    Ah, poxa. Passei por algo parecido no Marrocos… acabou que eu tenho um tapete na minha casa agora. Mega chato isso e a gente se sente mega vulnerável, né? Quero muito ir para o Egito, mas confesso que tenho um pouco de medo por causa desses relatos

    • barbaracortat

      Quase voltamos com um tapete da Turquia, porque o cara abriu todos os tapetes e me senti mal. Mas tava caro demais.
      Depois disso nunca mais! Perdemos muito tempo na loja.

  • Kênia Miranda

    Barbara, primeiro preciso dizer que amei ler o seu post. Pois ele consigo ver muita verdade, aquela que muitas vezes passa batida em muitos sites de viagem.
    Com essa leitura é possível ter uma noção do que podemos esperar da viagem.
    Gratidão por compartilhar tantas informações.
    Beijinhos

  • Adriana

    Otimo relato!
    Eu acho mega interessante, mas passar por situações assim desanimam. Nao gosto de ser perturbada, e para mim o combinado e o que se vale.
    Já entendi que e um lugar que não devo ir sozinha, corro risco de perder paciência e ser presa kkkk

  • Izabela

    Menina, gosto muito de ler relatos reais assim como o seu, inclusive estou querendo visitar as pirâmides e estou em dúvida em relação a contratação de guia, obrigado pelas dicas 💙

  • Elizabeth

    Oi, adorei seu relato sincero. Confesso que a minha expectativa em relação à visitação às pirâmides não se concretizaram. Mas mesmo assim vou guardar no meu coração pq era meu sonho visitá-las. Mas como eu quero voltar ao Egito pra visitar o novo museu que não estava pronto, vou me organizar pra visitá-las de novo pra eu mudar a minha impressão. Beijinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: