Sampa,  São Paulo,  Vinhos

Degustação de vinhos no Empório Húngaro

Confesso que antes de irmos para Budapeste, nem sabia da existência dos vinhos húngaros. Achava que os húngaros só sabiam fazer comida boa pra alma e ruim pras artérias. Ao começar as pesquisas para nossa viagem, percebi que não só eles existem como também são muito bem-conceituados. Quando retornamos de viagem descobrimos a existência do Empório Húngaro, nos dando esperança de degustar mais desses vinhos!

Essa viagem foi incrível. Além dos vinhos húngaros, descobrimos também os checos! Europa Central, a melhor parte da Europa (até agora)!

Tipos de barris de carvalho

Grande parte dos vinhos finos é amadurecida em barris de carvalho. Os mais utilizados e populares são os carvalhos americano e francês. Eles passam aromas e sabores bem característicos aos vinhos o que os tornam ainda mais deliciosos! Mas, mesmo que numa porcentagem bem menor, existem ao menos mais 20 tipos de carvalhos para amadurecimento dos vinhos, dentre eles o húngaro. O húngaro é parecido com o francês, mas não tão encorpado. Passa características picantes ao vinho, com notas de canela e amêndoas, e deixa os taninos macios e redondos (Blog Vinho e Algo Mais).

Aliás, você sabia que os franceses usavam preferencialmente o carvalho húngaro para seus melhores vinhos até o início do século XX? Eu também não! Mas a Grande Guerra melou essa relação de longa data e fez os franceses produzirem barricas de suas próprias árvores.

Após ler sobre o assunto fiquei bem interessada, afinal meus vinhos favoritos são produzidos em barris de carvalho francês, então tinha expectativas bem positivas sobre os vinhos húngaros.

Enquanto estávamos em Budapeste, experimentamos apenas um vinho lá, pois estávamos focados numa experiência de cerveja. De qualquer forma, decidimos trazer dois vinhos de lá, afinal, até então achava que era um parto encontra-los no Brasil.

Empório Húngaro

Até que um dia, não lembro exatamente como, fiquei sabendo do Empório Húngaro – um estabelecimento que vende principalmente vinhos, mas também outros produtos húngaros, como sucos, temperos e patês e coincidentemente, haveria uma degustação no dia 23/06/2018!!! Que super oportunidade!

A degustação era das 11h30 às 15h. Chegamos por volta das 14h e infelizmente as comidinhas estavam quase que no fim, mas tudo bem, vinho ainda tinha bastante!

Vinhos degustados

Degustamos 4 vinhos e uma “sidra” (entre aspas porque não era de maçã). São eles:

1) Ostoros Debröi Hárslevelu 2016 – um vinho branco suave. Cítrico no nariz, doce na boca, um pouco demais para o nosso gosto. Uma harmonização doce talvez ajudasse.

2) Violetta Oszibarack – “sidra” de pêssego. Aroma e sabor intensos e bem característicos de pêssego, muito doce também para o nosso gosto.

E três tintos secos que coloco aqui por ordem de complexidade

3) Vesztergombi Kadarka 2013 – uva húngara, sem passagem no carvalho. Vinho básico, mas bem frutado e honesto.

4) Vesztergombi Cabernet Sauvignon 2014 – passagem no carvalho húngaro por 12 meses. Um vinho encorpado, taninos pronunciados, porém com acidez e álcool equilibrados. O carvalho se sobressai um pouco à fruta. Talvez com um pouco mais de aeração fique mais aveludado na boca.

5) Vesztergombi Bikáver 2013 – em húngaro o nome significa Sangue de Boi. Quem diria que eu gostaria de sangue de boi!!! Passagem no carvalho húngaro por 24 meses. Muito equilibrado e aveludado, taninos macios, bom balanço entre frutas negras e notas de canela. Ficamos na dúvida se já não entrou na curva de suavização ou se este vinho é assim mesmo. Mesmo assim, o adorei !

(Se quiser saber nossa opinião sobre todos os vinhos que tomamos, lembrando que não somos especialistas, nos siga no Vivino! Barbara Cortat e Yuri Mendoza).

O que achamos da experiência?

A experiência foi muito gostosa, os atendentes e o dono são todos muito simpáticos, aprendemos bastante sobre os vinhos, tanto que esquecemos de tirar fotos pois queríamos aproveitar totalmente aquela hora que tínhamos, e saímos de lá com mais 9 garrafas para nossa adega (sempre sem limites…!!).

Foi uma surpresa saber que poderíamos encontrar vários vinhos húngaros tão facilmente aqui no Brasil e melhor, por preços acessíveis. Os vinhos que compramos tinham preços variando entre 35 e 85 reais, mas lógico que tinha vinhos mais caros, ou seja, tem para todos os bolsos e também para todos os gostos, pois há bastantes variedades! Os da degustação estavam em uma promoção bem legal.

Não chegamos a experimentar a quarta garrafa, da direita para a esquerda. Deixamos ela cair da adega 🙁

Ficarei de olho nos próximos eventos e se você gosta de vinhos também e quer experimentar novas variedades, fique de olho também no Facebook e no Instagram do Empório Húngaro para não perder essa oportunidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: