Argentina,  Mendoza,  Road Trip,  Vinhos

Lujan de Cuyo – Dia 2 Road Trip Mendoza

30/05/2018 Quarta

Era dia de conhecer algumas vinícolas da região de Lujan de Cuyo!

Acordamos 7h30 e foi muito bizarro abrir a janela e estar completamente escuro, comum nesta época do ano lá, mas não em São Paulo. Saímos umas 8h30 e tinha acabado de clarear. A vantagem é não precisar acordar muito cedo para ver o nascer do sol! O dia tava mais friozinho e nós, que somos completamente loucos por frio, estávamos adorando!

Bodega Renacer

Partiu primeira parada do dia, Bodega Renacer. Curta o caminho! Ao sair da estrada principal, as ruazinhas são um espetáculo à parte. Infelizmente não dava para ver as cordilheiras, pois o dia estava bem encoberto. Não dá para ter tudo nessa vida. Mas estávamos felizes com o frio!

Nosso tour foi guiado pelo Ivan, um sommelier que manja muito, e havia mais 2 casais de brasileiros que estavam com passeio de agência.

Malbec do pé!

O diferencial deste tour foi ter experimentado uvas Malbec direto do pé (com certeza em março e abril todas as bodegas terão essa opção). O Ivan nos disse que haviam colhido todos os cachos exatamente para os tours. Meu, que docinha, uma delícia. Novamente, mais uma nova experiência! Eles também usam a tecnologia do óculos virtual para nos mostrar o processo de secagem das uvas para fazer o Milamore, um vinho que utiliza uvas passas.

Depois de passear pelas parreiras, tanques etc, voltamos para a salinha para degustar os vinhos. Foram 5 vinhos, 2 brancos e 3 tintos, incluindo o top da bodega. Nenhum na verdade se destacou para mim, acho que todos precisavam de um pouco mais de tempo na garrafa (não que isso fosse o problema, mas já tínhamos comprado vinhos muito semelhantes e já mais evoluídos). Mesmo assim compramos uma garrafa de Milamore, que era curioso por ter um aroma adocicado e na boca encorpado. Para nós era a que tinha maior potencial.

Depois que os 2 casais foram embora, fomos para a segunda parte do tour: fazer nossa própria garrafa! O Ivan nos ensinou como encher direto do tanque, depois colocamos a rolha e os rótulos manualmente. Eu que fiz!!!

Terminado o tour, o Ivan nos liberou para voar o Tub e passear sozinhos pela vinícola. Tem um terraço em cima do restaurante, bem legal. Naquela hora tinha aberto um pouco o tempo e deu para ver as cordilheiras! Lindas de morrer!

Cordilheiras na região de Lujan de Cuyo

Veredito

A degustação comandada pelo Ivan foi muito gostosa, ele explicava sobre cada vinho, pedia para a gente cheirá-lo e dizer quais aromas se destacavam, depois nos ensinou como senti-los adequadamente na boca, para pegar todos os sabores. Foi uma aula mesmo, não só tomar o vinho. Adorei e recomendo.

Valor do tour: 390 pesos por pessoa, mais o valor dos vinhos comprados. O tour sem montar a garrafa custava 290 pesos.

Bodega Terrazas de Los Andes

Baixado um pouco o teor etílico era hora de partir para nosso almoço de 4 passos com vinhos harmonizados na Bodega Terrazas de Los Andes. Não tinha mais ninguém quando chegamos, nosso horário era às 12h30. Sentamos bem no centro do salão, com uma vista linda para o jardim e música francesa tocando de fundo. Muito gourmet!!

O Arquimedes que nos atendeu. Senti falta de uma explicação um pouco mais elaborada sobre os vinhos que tomamos (como as que tivemos nas bodegas até agora visitadas), mas fora isso, gostamos bastante do atendimento dele.

Malbec com sobremesa?

A comida e os vinhos estavam deliciosos e muito bem harmonizados (mais pro lado Gourmet da força). Inclusive, na sobremesa tomamos um Malbec Reserva, uma harmonização inédita para a gente. Sempre harmonizei doces, mesmo os amargos, com vinhos fortificados, porto ou colheita tardia, ou mesmo brancos suaves. Aprendemos que Malbec é excelente para harmonizar com chocolates meio amargos/amargos. Foi uma agradável surpresa.

Almoçamos calmamente, aproveitando cada prato, cada vinho. Esquema slow food, mas não como no primeiro dia (Socorro!).

O terceiro vinho, um Malbec Single Vineyard 2014, surpreendeu, até pedimos mais (lembrou muito aquele do barril da AMP Cava).  Nesse meio tempo chegaram mais dois casais que terminaram de almoçar junto com a gente (sim, aproveitamos cada segundo e cada gota de vinho!). No almoço não está incluído o tour pela bodega, mas dá para se programar para fazê-lo antes ou depois do almoço, pago a parte.

Surpresa agradável!

Para nossa surpresa, ao final do almoço ganhamos uma garrafa do vinho que tomamos com a sobremesa e ficamos muito felizes. Infelizmente, quando a abrimos, o vinho estava vinagrado… poucas vezes demos esse azar, mas se isso acontecer com você, feche a garrafa e leve no lugar onde você comprou para trocar (Nesse caso, não dava para voltar…).

Depois passamos na lojinha e compramos o terceiro vinho que provamos durante o almoço e um outro que o Arquimedes muito nos recomendou, e que tinha baixado de preço recentemente. Tomamos ele esta semana – Incrível!!!! Para quem se interessar era o Malbec 2007 – 16 meses em barrica de primeiro uso. Nos arrependemos de ter comprado só uma garrafa.

Quando olhamos o relógio, já era quase hora do nosso próximo tour, mas não nos impediu de, a caminho do carro, furtar umas uvinhas cabernet sauvignon do pé (colheita já terminada, crime sem vítima)!

Almoço de 4 passos com vinhos: 990 pesos por pessoa mais gorjeta.

Bodega Tapiz

Tínhamos a opção da Bodega Tapiz ou Septima. Queria muito ir nas duas, mas a primeira foi nossa opção, pois ao final do tour tinha passeio de charrete pela vinícola. Ao menos a gente achava que tinha…

O maps indicou o lugar certo, mas dava numa bodega chamada Zolo, não Tapiz. Depois de subir e descer a rua, voltamos lá e perguntamos, era lá mesmo. Ao longo do tour descobrimos que a Tapiz fazia parte do grupo Zolo (e o nome tava em processo de mudança).

Fomos recebidos pelo Peter, um carioca, que manja muuuuito de história do vinho, nos deu uma tremenda aula explicação prévia sobre o grupo Tapiz, a história do vinho em Mendoza e as novas regiões produtoras de vinho na Argentina. Foi bem diferente dos outros, em um tour particular. Depois as degustações foram todas direto dos tanques e barricas. Foram 2 brancos não clarificados direto dos tanques e 3 tintos direto das barricas, incluindo o top. Nenhum dos vinhos ainda estava pronto, precisavam alguns processos ainda, mas deu para perceber o potencial deles.

Ao final, compramos uma garrafa do que mais gostamos.

Llamas!

Estava preparada para o passeio na charrete quando o balde de água gelada veio. Não ia ter por causa do clima, pois, segundo o Peter, as charretes são como relíquias e como o tempo tava fechado, eles não poderiam tirá-las da garagem. Muito #chateada… como assim???? Mas eu tava tão bêbada que me diverti correndo atrás de várias llamas que andavam livres por entre as parreiras, incluindo bebês!!! Meu, as llamas do Peru te encaram e cospem em você, essas eram muito medrosas!!!

As fotos ficaram ótimas! Enquanto isso, o Yu voava com o Tub e me filmava pagando mico.

Não espera encontrar llamas em Lujan de Cuyo!

Apesar dos pesares, gostei bastante do tour na Tapiz, mas tiraram a cereja do meu sundae 🙁

Valor do tour: 200 pesos por pessoa, que são abatidos caso você compre vinhos.

Loja de fábrica Entre Dos

Pela falta da charrete, o tour terminou um pouco mais cedo que o planejado, então decidimos incluir de última hora a parada na fábrica da Entre Dos. O que é a Entre Dos? Só a melhor produtora de alfajores do mundo. Do mundo só não, da Bahia!!!

Conhecemos a marca na primeira vez que fizemos o passeio para o Parque do Aconcágua saindo de Santiago (cenas dos capítulos da primeira ida ao Chile), num restaurantezinho de beira de estrada, bem ao lado da aduana argentina com a chilena. Minha Nossa Senhora do Doce de Leite, que coisa mais maravilhosa, mais bem-feita, mais perfeita.

Ficava mais ou menos, mais para menos que para mais, no caminho de volta para o centro, mas valia o passeio, afinal tinham paisagens lindas e doce de leite no fim do arco-íris! Chegamos lá, tinha um café e uma lojinha com todos os produtos da loja, incluindo o potão de doce de leite!!!

Atendimento nota zero

Os produtos são excelentes, mas o atendimento foi um lixo. Fiz até review na página deles e eles se desculparam pelo ocorrido. A mulher ficou bitching nos apressando para escolher o que queríamos. Detalhe, só tinha a gente na loja e não era hora de fechar.

Meu, um monte de tipo de alfajor, você acha que é fácil escolher??? Bom, no fim compramos uma caixa com 12, um de cada sabor e um pote de 1 quilo de doce de leite. Me arrependi, deveria ter comprado mais! Minha dieta agradece! A caixa saiu 350 pesos e o pote foi 125 pesos.

Saudades!

Já estava escurecendo quando começamos a voltar para Mendoza com os dentes roxos (minha dentista fica mega feliz!). Novamente jantamos em casa e passei mal a noite. Conversei com o fígado e estômago e pedi para aguentarem só mais um dia de bebedeira e assim fomos para o próximo dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: