Parque Nacional do Itatiaia: o que fazer na parte alta

O Parque Nacional do Itatiaia (PNI) está situado na Serra da Mantiqueira, na divisa entre os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, e é dividido em duas regiões, parte alta e parte baixa, baseado na sua geografia. Foi o primeiro parque nacional criado no Brasil, inaugurado em junho de 1937.

O PNI integra a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, reconhecida pela UNESCO, e está em uma área classificada como de prioridade extremamente alta de conservação, visto que, face ao gradiente de altitude, às inúmeras nascentes e às características geológicas e geomorfológicas do PNI, que resultam em uma rica biodiversidade e ampla variedade de ecossistemas.

Circuito Couto x Prateleiras - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Circuito Couto x Prateleiras

Democrático e de fácil acesso!

O Parque Nacional do Itatiaia está localizado às margens da Rodovia Presidente Dutra, a meio caminho tanto de São Paulo como do Rio, a cerca de 4 horas de carro de cada cidade, e a menos de 3 horas dos dois principais aeroportos internacionais do país, Guarulhos e Tom Jobim, respectivamente.

Seja você trilheiro de carteirinha, montanhista ou somente amante da natureza, o PNI é uma excelente opção de passeio, já que há trilhas de todos os níveis de dificuldade, das mais fáceis às mais difíceis, curtas ou longas, e que exigem ou não equipamentos para realizá-las.

Parque Nacional do Itatiaia – Parte Baixa

A parte baixa é caracterizada por ser uma região de vegetação densa e com muitos cursos d’água, alguns com áreas próprias para banho.

A entrada está próxima ao centro de Itatiaia e é a região que recebe maior fluxo de turistas, decerto pelo acesso mais fácil, maior infraestrutura e por suas trilhas serem na maioria de nível fácil a moderado, muitas curtinhas.

Em breve farei um texto exclusivo para esta região do PNI.

Parque Nacional do Itatiaia – Parte Alta

Agora, se você curte trilhas mais longas e desafiadoras e vistas de tirar o fôlego, a parte alta do parque é o lugar!

E não só isso, se você curte frio, saiba que o parque registrou no começo de julho/2021 a menor temperatura do país, -14°C! Sim, 14 graus negativos!!!

Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia no inverno
Cuidado, gelo na trilha!

Já até nevou por lá! Meu povo, neva no Rio de Janeiro! Fala sério se não é um paraíso esse lugar!!!

Também conhecido como Planalto do Itatiaia, na parte alta do Parque Nacional do Itatiaia estão os campos de altitude e os vales suspensos, local onde nascem diversos rios. Ali estão as nascentes de 12 importantes bacias hidrográficas, dentre elas a Bacia do Rio Grande, afluente do Rio Paraná.

Na parte alta do Parque do Itatiaia está localizado o famoso Pico das Agulhas Negras, ponto mais alto do Rio de Janeiro e 5º mais alto do Brasil, com seus 2791 metros.

Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Pico das Agulhas Negras

Quando ir ao PNI

Seja para visitar a parte alta ou a parte baixa, a melhor época do ano para visitar o Parque Nacional do Itatiaia é no inverno e começo da primavera. Adoradora de frio como sou, não estou sendo parcial desta vez!!!

Nesse sentido, entre meados de junho e meados de outubro o tempo costuma ser mais estável, com menos riscos de chuvas, tempestades e raios, o que pode ser bastante perigoso para quem pretende atingir os cumes do parque.

Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Olha esse céu azul! Foto tirada em julho/2021.

Além disso, durante o verão é comum que o acesso a algumas cachoeiras seja interditado por riscos de cabeças d’agua.

Durante o outono até pode dar bom, mas você também pode dar o azar do tempo virar do nada e sua trilha ser cancelada, como foi nosso caso, quando fomos pela primeira vez no fim de maio/2021. Nesta estação a instabilidade é uma característica.

Como chegar à parte alta do Parque Nacional do Itatiaia

Diferentemente da parte baixa, a parte alta do parque está já quase em Minas Gerais, e o acesso é feito por uma estrada de terra que sai da a BR-354.

Se você vem de SP ou RJ, você deve sair da Dutra na saída 330A, seguir 26 km pela BR-354 – uma serrinha linda – até a Garganta do Registro – bem na divisa entre Minas e Rio – e depois seguir por 14 km pela Rodovia das Flores (a estrada de terra que falei) até o Posto Marco Antônio Moura Botelho, mais conhecido como Posto Marcão.

Garganta do Registro - acesso à Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia

Se vier de BH, você trafegará pela Fernão Dias e BR-381 e, após passar Caxambu, seguir pela BR-354 até a Garganta do Registro.

Não entendeu nada? Só colocar “Posto Marcão” no Google Maps que ele indica o caminho certinho!

Posto Marcão - entrada da parte alta Parque Nacional do Itatiaia
Posto Marcão

A estradinha de terra está em condições até que boas, com alguns trechos que requerem um pouco mais de atenção. Sem dúvida carros baixos chegam lá também, só demoram um pouquinho mais! Calcule de 40 minutos a 1 hora para esse trecho, dependendo da altura do solo e do quanto você confia na robustez do seu carro.

Orientações para quem vai visitar a parte alta do Parque Nacional do Itatiaia

Compra de ingressos

Para visitar a parte alta do Parque do Itatiaia é necessário comprar seu ingresso pelo site, já que não há bilheteria por lá.

Se você for fazer o Pico das Agulhas ou o Maciço das Prateleiras, compre seus ingressos com antecedência. As datas são liberadas para até 3 semanas à frente e esgotam rapidamente para os finais de semana, sobretudo na alta temporada (inverno).

Prateleiras, Pedra da Maçã e Pedra da Tartaruga - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Prateleiras, Pedra da Maçã e Pedra da Tartaruga

Para as outras atrações (na hora da compra você escolhe a opção “atrativos de visitação livre”) não precisa de tanta antecedência.

Atualmente (julho/2021), o ingresso custa R$ 18,00 por dia, e há descontos progressivos na compra dos combos de 2 ou mais dias.

Estacionamento

Há estacionamentos no interior do parque. Assim que você chega, eles te entregarão uma filipeta para colocar no retrovisor que indicará qual área você pode estacionar.

Quanto mais cedo você chegar melhor, pois você consegue estacionar mais perto do Abrigo Rebouças, que é o ponto de partida para Agulhas, Altar, Prateleiras e cachoeiras, dentre outras atrações.

Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia

Aproveite e já pague o estacionamento na compra dos ingressos, para facilitar sua vida. Caso contrário, o pagamento só é possível em dinheiro, e pode ser que o atendente nem queira receber, como aconteceu com a gente no nosso primeiro dia.

Sorte que no segundo dia o cara era mais gente boa e conseguimos pagar o estacionamento dos dois dias, porque não há como pagar só o estacionamento pelo site. A opção aparece somente após a escolha dos ingressos.

Infraestrutura

O local conta com pouquíssima infraestrutura. Você vai encontrar banheiros somente no Posto Marcão e no Abrigo Rebouças.

O Abrigo Rebouças é um dos poucos locais em que é permitido se hospedar na parte alta do Parque Nacional do Itatiaia. Nele há 8 beliches, cozinha e banheiro com água fria, e logo ao lado há uma área para camping com capacidade para até 15 barracas – áreas de 3 x 3 metros – nas quais podem ficar até 3 pessoas.

Face à pandemia, o abrigo Rebouças encontra-se fechado, sendo permitido somente acampar. Caso seja o seu caso, reserve no dia e hora que abrir, pois as vagas esgotam rapidamente (hoje não tem mais nenhuma vaga para os próximos 21 dias).

Caso não consiga vaga, ou não abra mão de um banho quentinho e gostoso no fim do dia, minha dica é o Hostel Picus, que fica perto da estrada para o parque, e tem tanto opções de quartos como de camping, com ótima localização e ambiente super agradável!

Hostel Picus
Esse bar do Hostel Picus é demais!

Ah! Estão construindo uma nova área de camping e abrigo, próximo ao posto Marcão, a qual disseram que contará com chuveiros com água quente, previsto para inaugurar até o fim do ano.

Horário de funcionamento

É permitido o ingresso entre 7 e 14h e permanência até 17h.

São proibidos

  • Fogueiras;
  • Consumo de bebidas alcoólicas;
  • Ingresso de animais domésticos;
  • Uso de drones aos finais de semana dos meses de junho, julho e agosto e em feriados prolongados. Fora destas datas, a utilização é liberada em qualquer área (lembre-se de obedecer às demais normas aeronáuticas).
Pico das Agulhas Negras - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Como fomos durante a semana, usamos e abusamos do drone!

Guias e condutores

É altamente recomendável o acompanhamento de guias para as trilhas mais técnicas, como Agulhas e cume das Prateleiras, nas quais é obrigatório o uso de equipamentos de escalada e segurança. No site do parque há uma lista dos guias credenciados.

Nós super recomendamos o Ian do Bem Mantiqueira Turismo, com quem tivemos experiências bárbaras! Em breve conto como foi nossa experiência com ele nas trilhas do Pico das Agulhas Negras e no Circuito Couto x Prateleiras!

Morro do Couto - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
No topo do Morro do Couto com nosso guia Ian (de laranja).

Estar com um guia que te transmita confiança o tempo todo não tem preço!

Check list

Lembre-se de que as temperaturas costumam ser mais baixas na parte alta do Parque do Itatiaia.

  • Mochila confortável;
  • Casaco corta vento;
  • Blusa quentinha (como as de fleece);
  • Calça;
  • Segunda pele;
  • Luvas;
  • Gorro;
  • Cachecol;
  • Calçados apropriados, de preferência botas de trilha;
Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Toda trabalhada no visual trilheira!!
  • Protetor solar e labial;
  • Capa de chuva;
  • Bastão de caminhada;
  • Kit de primeiros socorros;
  • Lanterna;
  • Canivete;
  • Papel higiênico e/ou lenços umedecidos;
  • Saquinho de lixo – de forma alguma deixe seu lixo na trilha. Leve um saquinho para armazenar todo seu lixo (incluindo o papel higiênico) e descarte-o na saída em local apropriado;
  • Água – pelo menos 1 litro por pessoa. Prefira um camelback de 2 litros;
  • Lanchinhos – alguns fáceis de comer enquanto caminha e outros para quando estiver na parada do almoço, por exemplo.

O que fazer na parte alta do Parque Nacional do Itatiaia

Cachoeiras e lagos

  • *Cachoeira das Flores – próxima ao Abrigo Rebouças, o acesso é fácil. É possível mergulhar na piscina natural, mas prepare-se para a água mega gelada, de doer!
  • Cachoeira Aiuruoca – a trilha tem cerca de 6 km de extensão. Sua queda é de 20 metros e é possível o banho;
  • Circuito 5 lagos – você pode iniciá-lo tanto próximo ao Posto Marcão quanto pelo Abrigo Rebouças. A trilha tem cerca de 10 km, passando por 5 lagos e cachoeiras. Se quiser pode desviar para a Cachoeira Aiuruoca e Asa de Hermes, mas considere esse tempo extra no seu planejamento, já que a trilha pode chegar aos 22 km de extensão com esses acréscimos.

Travessias

São três opções de travessias, todas com pernoite:

  • Serra Negra – com 32 km, vai até a região de Santa Clara;
  • Ruy Braga – com 22 km, liga a parte alta com a parte baixa do Parque Nacional do Itatiaia;
  • Rancho Caído – são 27 km até Visconde de Mauá.

Caminhadas e escaladas

  • Asa de Hermes – como o próprio nome diz, assemelha-se à asinha da sandália do deus grego Hermes. Fica em frente à face norte do Pico das Agulhas e está 2630 m de altitude;
Asa de Hermes - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
  • Morro da Antena – acesso próximo ao Posto Marcão. É a antena mais alta do país, a 2548 m de altitude;
  • *Morro do Couto – é o segundo ponto mais alto do parque e nono do Brasil, com 2680 m de altitude. Trilha com cerca de 3 km de extensão com trecho final em escalaminhada, que não requer equipamentos;
  • Ovos da Galinha – são blocos de rochas arredondados que se assemelham a ovos;
  • *Pedra Assentada – ou pedra sentada, dizem que lembra uma foca com uma bola em seu focinho. Nós a procuramos e não encontramos, apenas conseguimos ver de longe, de cima do Morro do Couto;
Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
A pedra assentada é o segundo morrinho da direita para a esquerda naquele monte bem no meio da foto.
Agora que eu sei como ela é, vejo toda hora!
  • *Pedra do Altar – ou morro do altar é a 11º montanha mais alta do Brasil, com 2665 metros de altitude. De lá se tem uma vista maravilhosa do Pico das Agulhas;
  • *Pedra da Maçã e Pedra da Tartaruga – estão lado a lado, bem próximas às Prateleiras. São duas grandes rochas que se assemelham aos nomes, com alguma imaginação;
Pedra da Maçã e Pedra da Tartaruga - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
E aí, parece?
  • Pedra do Sino de Itatiaia – localizada à esquerda do Pico das Agulhas, atrás da Asa de Hermes, está a 2670 m de altitude;

As estrelas da parte alta do Parque Nacional do Itatiaia

  • *Pico das Agulhas Negras – a grande estrela do parque. Recebeu esse nome pelas estrias em suas rochas assemelharem-se a agulhas. Há diferentes vias de escalada com níveis diferentes de dificuldade. A trilha mais usada tem cerca de 4,5 km de extensão, é de nível moderado e com alguns trechos de escalaminhada.
Pico das Agulhas Negras - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
No topo das Agulhas com as Prateleiras lá atrás!
  • **Prateleiras – após o Pico das Agulhas, é uma das trilhas mais disputadas do parque. Está a 2548 m de altitude.
Base das Prateleiras - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Na base das prateleiras.

Outros, fora da parte paga do parque

  • *Morro do Camelo – local ideal para ver o nascer ou o pôr do sol;
Morro do Camelo - Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia
Já na descida do Camelo, mas ainda com um visual incrível!
  • Pedra do Picu;
  • Pedra Furada;
  • Pico Maromba.

*Trilhas que fizemos e que contarei sobre nossa experiência em outros textos!

**Não fomos até o topo, somente até a base, durante o Circuito Couto x Prateleiras que tem cerca de 14km de extensão.

Parte Alta do Parque Nacional do Itatiaia

Um dos parques mais bonitos e incríveis que já tive a oportunidade de conhecer nesse mundão. Paisagens de fazer cair o queixo, energia única, opções de atividades para voltar diversas vezes, incrivelmente limpo, considerando sua pouca estrutura. Isso diz muito sobre as pessoas que o frequentam.

Parte Alta Parque Nacional do Itatiaia

Peca um pouco na sinalização das trilhas menos procuradas, mas você pode se guiar pela versão paga do wikiloc ou pelo Avenza. Neste último caso, precisa baixar os mapas disponibilizados no site do ICMBio e abri-los pelo aplicativo.

Vão, gente! Duvido que não se apaixonem por esse pedacinho incrível do Brasil!

Parques

Conheça estas outras opções de parques que as meninas do grupo “Viagens Por Escrito” sugeriram:

6 Comentários

  • Jeanine Carpani

    Nossa, estou impactada com esse post! O Brasil é gigante, né? Eu confesso que gosto muito de fazer trilhas, mas não tenho nem os apetrechos e nem o condicionamento físico necessários para as maiores e mais robustas. Mas, só de ver a sua foto no Pico das Agulhas Negras e da imensidão lá no fundo… Deu vontade de encarar! Uau!

    • barbaracortat

      Foi uma experiência definitivamente bárbara! Superação dos meus medos, uma conquista incrível!
      Vá no seu ritmo. Você pode se surpreender com o que você é capaz!

    • Pâmela

      Amei o post Bah! Já anotei suas dicas da parte alta para quando voltar ao Parque Nacional do Itatiaia! Só não sei se vou aguentar as trilhas 🤣
      Por enquanto só conheci a parte baixa que é linda e mais tranquila de se fazer 😅

  • Mari Vetrone

    Bá, que lugar lindo! Aqui do ladinho de SP e eu nunca fui! Nem da pra acreditar… Mas olha que eu nunca imaginaria que o inverno seria uma época boa pra essas trilhas… Eu detesto passar frio, mas com essa paisagem até que deu vontade! Quem sabe não me animo? Adorei o post, parabéns! Beijoo

    • barbaracortat

      Fazer trilha com chuva ou após chuva é muito arriscado, ainda mais nesses picos, que um escorregão pode ser fatal.
      Por isso que quando chove os guias conscientes até cancelam a trilha.

  • Luciana

    Ba, adoro ler seus posts pois eles me inspiram. Além disso, trazem dicas importantíssimas, como a de pagar o estacionamento com antecedência e de reservar rapidamente os passeios mais procurados. Faz pouco tempo que comecei a fazer trilhas, e ainda sou muito nutela, mas ja salvei esse post para quando estiver mais preparada. Continue nos mostrando cantinhos barbaros!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: