Atacama,  Chile

Roteiro de 7 dias no Atacama/Chile – Opções de passeio no Atacama – Parte 2

Valle de la Luna

Situado a cerca de 13 km do centro de SPA, a 2500 metros de altitude, faz parte da Cordilheira de Sal, que há muito tempo era um lago andino, cujo fundo foi sendo levantando e verticalizado pelos mesmos movimentos que formaram a Cordilheira dos Andes, formando cavernas, dunas, esculturas em pedra.

img_5122

Nas épocas chuvosas, o sal aflora e fica tudo branquinho e em épocas de seca, a coloração é bem marrom.

DCIM100GOPROGOPR7605.

DCIM100GOPROGOPR7607.
Belíssimo anfiteatro.

img_5130

Nosso ponto de encontro foi na agência e o passeio incluiu uma trilha na grande Duna, formada por areia bem fininha, de onde tivemos uma visão incrível do lugar, e depois fomos nas Cuevas de Sal, que são cavernas de sal, onde é possível caminhar entre e dentro delas!!! Cuidado com a cabeça, meu guia nos disse antes de eu bater com tudo e ver estrelas. As rochas são extremamente duras!

img_5149

img_5154
Foi numa dessas passagens que bati gostoso a cabeça!

img_5160

 

DCIM100GOPROGOPR7628.

As agências geralmente fazem esse passeio iniciando entre 15-16h e com término após o pôr do sol no Mirador de Kari onde está a Pedra del Coyote, que está fechada por conta de uma rachadura, mas há diversos outros pontos para tirar belíssimas fotos.

img_5192
Pedra do Coiote.

img_5203img_20171123_194036120_hdr

Considerações Finais

Agência – Nota 9/10, pois o ar condicionado do carro tava meio ruim. Mesmo sem o coquetel que é oferecido no passeio de algumas agências, o guia era muito legal e o passeio foi um muito gostoso.

Passeio – Imperdível! Mas faça ele primeiro, porque ele é menos surpreendente quando você faz no final, como no nosso caso.

O que levar – Casaco corta vento quentinho e sapatos confortáveis (tênis nesse caso por causa da trilha). Use protetor solar e protetor labial. Dinheiro trocado (pesos somente) para pagar a entrada (3 mil pesos), se já não estiver incluído no seu pacote.

Dá para fazer por conta? Sim, inclusive de bike, que nos arrependemos um pouco de não ter feito dessa forma, mas talvez teríamos perdido algumas coisas pela falta do guia.

Temperatura na primeira parada 20-30°C e na última parada 10-5°C.

Geyser del Tatio

O que seriam gêiseres? É um tipo de vulcanismo no qual uma nascente termal entra em erupção periodicamente, formando uma coluna de água e vapor quentíssimos. Esse tipo de fenômeno requer uma hidrogeologia favorável sendo, portanto, considerado um fenômeno raro.

Existem cerca de mil no mundo, sendo metade encontrada em Yellowstone, nos EUA, e os demais na Nova Zelândia, Rússia, Islândia e no Chile!

O Geyser del Tatio é o maior do hemisfério sul e terceiro maior do mundo. Suas águas chegam a 86°C graus, temperatura que a água entra em ebulição nesta altitude (4321 metros), e as colunas podem atingir até 10 metros de altura!

Quanto menor a temperatura externa, melhor serão visualizadas as colunas, por isto esse passeio sai beeeem cedinho, geralmente nos pegam no hotel entre 5-6h da manhã, com retorno entre 12-13h. Está incluído no pacote o café da manhã.

Como foi nossa experiência: Tava beeeem frio. Eu tava bem protegida no tronco, braços e pés, mas não nas pernas, então fiquei um pouco incomodada até o sol nascer. Nós pegamos temperatura de -8°C, que nem era tão frio assim, pois no inverno pode chegar aos -20°C!!!

img_5306
Tava frio mas tava lindo!

img_5299

É um espetáculo, como a natureza é incrível!! Ficamos lá apreciando, andando pelas trilhas demarcadas (não saia delas. Não sei se é lenda ou não, mas disseram que uma turista fazendo selfie foi chegar mais perto, escorregou, caiu dentro e morreu queimada…e o marido ficou gravemente queimado tentando salvá-la), enquanto nosso guia fazia o café da manhã que tava bem gostoso e quentinho (tinha doce de leite novamente!!!!).

img_5313img_5316

Mas assim que terminamos o café da manhã, ele disse que iria nos levar num lugar melhor com menos turistas. Num primeiro momento achei incrível, mas percebi que saímos do parque, tendo passado somente por um ponto, e fomos para um lugar que até tinha um geyser no meio de um bofedal, mas não era aquela coisa que explodia, sabe? Fiquei muito decepcionada.

img_5374

img_5355
Ainda congelando!
img_5353
Observando a amiguinha Viscacha (quase biscate!).
img_5352
Zoom na amiguinha!
img_5360
Notem a fumacinha saindo do riozinho. É água termal!!
img_5377
O geyser que ele nos falou que era mara… Era, mas não o que estávamos esperando…

De lá passamos pelo povoado de Machuca, um pequeno povoado a 4 mil metros de altitude, provavelmente um dos últimos remanescentes. Com apenas duas ruas em terra batida, casinha em adobe (pau-a-pique) e teto de palha e uma igrejinha no alto do morro, dá para conhecer rapidinho, mas ficamos um pouco receosos de ir até a igrejinha porque o guia deu pouco tempo para a gente ali. Ele claramente tava mais interessado em ganhar a parte dele na venda dos espetinhos de llama, pois nos levou diretamente neles e ficou lá conversando. Nós preferimos dar uma volta rápida no povoado que tinha um lindo entorno ao invés de enfrentar a fila do espetinho (Não pela carne em si, mas porque já tínhamos comido carne de llama em outras ocasiões e não estávamos com vontade naquele momento. Mas se você não comeu, é uma boa chance de experimentar uma carne bem gostosa!).

img_5400img_5401img_5402

De lá ainda paramos numa região com um lindo bofedal e no Cânion formado pelo Rio Puritama e voltamos….

img_5387
Bofedal
img_5412
Cânion

Chegamos no centro de SPA por volta das 11-11h30. Pelo menos uma hora antes do planejado.

Imagina se não fiquei putíssima, ainda mais depois que alguém comentou que ele tinha apressado o passeio para ir pegar gente no aeroporto…

Fui na agência, reclamei horrores e recebemos somente um pedido de desculpas, que nada me adiantava, afinal não é todo dia que posso fazer esse passeio, que além de tudo não é barato.

Considerações Finais

Agência – Nota 2, pelos motivos já explicados.

Passeio – Imperdível! Tem que estar no seu roteiro.

O que levar – Vista-se em camadas (no mesmo dia você pega muito frio e muito calor) e com roupas e sapatos confortáveis, casaco corta vento e quentinho, luva, cachecol, gorro. Use protetor solar e protetor labial. Dinheiro trocado (pesos somente) para pagar a entrada (10 mil pesos), se já não estiver incluído no seu pacote.

Dá para fazer por conta? Acredito que sim. Tem guichê de entrada, então deve estar no mapa!

Temperatura na primeira parada -20 a -5°C e na última parada 25°C.

Lagunas Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebinquinche.

Geralmente esse passeio é realizado na parte da tarde, saindo por volta das 15-16h, no nosso caso da agência, e com retorno após o pôr do sol. É provável que na temporada outono-inverno ele inicie mais cedo, já que o pôr do sol será mais cedo. De qualquer forma, tem duração de 4-5h. Inclui um coquetel ao pôr do sol.

1 – As Lagunas Cejar e Piedra, fazem parte de um complexo dentro do Salar de Atacama que fica a cerca de 20 km do centro de SPA, a 2300 metros de altitude.

Por anos, a Laguna Cejar foi uma das atrações mais visitadas em SPA. Nosso guia disse que a concentração de sais ali é maior que do Mar Morto, mas não encontrei nenhum lugar que confirmasse isso, além dos diversos blogs dizendo que os guias deles também falaram o mesmo!!!

Seja como for, cerca de 1/3 de sua composição é de sais, dentre eles arsênio, bastante nocivo aos humanos, por isso há alguns anos já não é mais possível boiar nas águas da Laguna Cejar. Mas daí eles deram um jeito e permitiram a entrada na laguna Piedra, que também tem esse elemento químico, porém em concentrações mais baixas (eles dizem…). Por este motivo não podemos ficar mais de 30 minutos dentro da laguna.

A Cejar só pode ser vistas de mirantes, e não muito bem, porque além de pequenos e não muito altos, ficam lotado de gente.

DCIM100GOPROGOPR7676.

img_5418
Aqui tava mais bonito que para o lado da Laguna e não tinha ninguém!

Mas vamos falar sobre como foi a experiência de boiar na laguna Piedra:

 

– Chegamos lá por volta de 16h30, então a temperatura estava bem alta e o sol ardido.

– A água é gelada, muito gelada, mas em um dia quente é possível acostumar!

– Cuidado com as bordas em sal, machucam!

– Se tiver algum machucado na pele, vai arder (e muito).

– De forma alguma mergulhe a cabeça, vai arder demais as mucosas e olhos. Não tentei fazer isso, já tinha ciência, mas deu para ter noção só pelos respingos de água.

– Não precisa saber nadar, por mais que você tente você não consegue afundar!! É muito divertoso boiar sem fazer nenhum esforço!!! Devia ter tirado as fotos criativas que tem por aí!!!

DCIM100GOPROGOPR7695.

DCIM100GOPROGOPR7697.
Até o Yu boiou, ele que sempre reclama que não consegue boiar!

Estrutura do lugar e o que levar:

– Não tem sombra, se não for entrar na água, leve chapéu para se proteger.

– Toalha e roupão, se sua agencia não oferecer. Eu esqueci o roupão e bateu um frio com aquele vento gelado já no fim da tarde. Você vai querer tomar uma ducha, porque vai ficar branco e grudento do sal!

img_20171125_174656833
Banhados em sal!

– Tem banheiro, chuveiros de água doce fria e vestiário. Não há armários. Eles ficam a cerca de 200 metros da laguna Piedra.

– Dica: Já vá de roupa de banho, para evitar perder tempo nas filas. Mas leve uma muda para trocar depois do banho.

– É proibido utilizar protetor solar, passe no hotel para já ir absorvendo. Lá não pode, para não poluir a laguna.

– Leve dinheiro: Entrada – 15 mil pesos

2 – Os Ojos del Salar são dois grandes buracos, um ao lado do outro, de água doce. Há diversas teorias sobre sua formação que vão desde meteoro até solo poroso.

O banho é permitido somente um dos buracos. A água é gelada e os buracos são bem fundos, então aqui tem que saber nadar. Aproveite o outro buraco para tirar umas fotos espelhadas!

Como a maioria das pessoas não entra, já que não há banheiros, vestiários ou duchas, e não passa de uma grande poça de água, a parada é geralmente curta.

img_5424

Não tem que pagar entrada.

3 – A Lagoa Tebinquinche é uma belíssima laguna com alta concentração de sais. Em seu entorno há grandes acúmulos de sal solidificado, e quando não venta, forma um espelho magnifico. De fundo temos as lindas montanhas e vulcões da Cordilheira dos Andes.

img_5434
Antes do pôr do sol.
img_5449
Durante o pôr do sol.
img_5461
Quase no fim do pôr do sol.

img_5454

Não é permitido entrar na lagoa e deve-se caminhar somente pela trilha demarcada. Enquanto damos uma volta, nosso guia prepara um coquetel para curtirmos enquanto apreciamos um dos pôres do sol mais lindos que já vi na minha vida!!!! Foi nessa hora que rolou aquela inveja das agências mais tops, que tinham mais variedade de comidinhas e bebidas, mas tava gostosinho!

Considerações Finais

Agência – Só diferiu pelo que foi oferecido no coquetel. Não achei relevante não oferecerem roupão após banho. Nota 9/10.

Passeio – A experiência de não afundar é muito legal. Mas existe uma segunda opção para fazer isso, muito mais barata e com menos turistas (falarei em breve). O pôr do sol na Laguna Tebinquiche foi incrível. Conforme o sol ia se pondo, as montanhas a leste iam mudando de tonalidade. SURREAL!!!

O que levar – Leve um casaco corta vento, porque no fim da tarde venta e esfria bastante. Use protetor solar (passe no hotel) e protetor labial. Roupa de banho, toalha, chinelo também são imprescindíveis. Água para beber, vai te dar muita sede depois de brincar na laguna. Leve dinheiro: Entrada – 17 mil pesos, se já não estiver incluído no seu pacote.

Dá para fazer por conta? Sim.

Temperatura na primeira parada 30°C e na última parada 5-10°C.

3 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: